sábado, 23 de janeiro de 2010

Sherlock Holmes (Sherlock Holmes) - 2009



Sherlock Holmes, o famoso detetive criado pelo escritor escocês Arthur Conan Doyle está nos cinemas em uma versão para lá de repaginada, com muito charme e humor. Para este papel, o diretor Guy Ritchie (ex-marido da Madonna e escandalosamente muito competente como diretor deste filme provando que há vida pós matrimônio), escalou nada mais nada menos que o muso da temporada, Robert Downey Jr, que se encaixou perfeitamente nesta versão moderna do clássico Doyliano, comprovando mais uma vez que ele é o ator mainstream do momento, com sua veia cômica, seu estilo sexy, seu carisma fora de série na melhor boa forma de dar a volta por cima após os vários escândalos de sua vida. Além disso a charmosa química entre Robert Downey Jr e Jude Law (no papel do fiel médico e escudeiro de Holmes, Doutor Watson) e as atuações irresistíveis de Rachel McAdams (Irene Adler, o (ex) affair mal resolvido de Holmes) e de Mark Strong (Lord BlackWood, o vilão da história) tornam Sherlock Holmes um ótimo blockbuster para uma certeira diversão.




Na trama, Sherlock Holmes resolve um caso no qual Lord BlackWood é condenado à morte por crimes de assassinato e magia negra, no entanto o caso tem que ser reaberto(e, por razões óbvias, não lhes tirarei a surpresa do suspense), então Sherlock Holmes se vê novamente na ativa do mesmo caso, sendo intimidado por forças do mal que pretendem usá-lo nesta grande manobra que pode colocar em risco o bem da Inglaterra. Paralelamente, Doutor Watson está noivo de Mary Morstan (Kelly Reilly) o que garante boas risadas ao ver como Sherlock Holmes se incomoda ao ver seu amigo envolvido amorosamente (um incomôdo que está longe de ser um traço de homossexualismo, como muita gente andou especulando por aí) e a presença da adoravelmente perigosa Irene Adler dá uma dinâmica de ação e romantismo à vida de Sherlock Holmes, ainda que infelizmente o filme não tenha priorizado qualquer tipo de aprofundamento amoroso entre ambos.



Nesta série de aventuras de Sherlock Holmes fica evidente que a revisitação do personagem pode chocar os fãs mais tradicionais porque este Sherlock Holmes está longe de se encaixar na formalidade britânica do clássico ainda que suas falas sejam racionalmente brilhantes. Robert Downey Jr encarna um personagem meticuloso na investigação, mas nada na forma de se vestir, sendo sensualmente mais rústico, mais sujo, mais agressivo a ponto de apreciar até uma briga física. Este aspecto não invalida o personagem porque, para fins mais comerciais de entretenimento somado ao charme de Robert Downey Jr e ao estilo mais cool de Guy Ritchie, este Sherlock Holmes jamais poderia ser muito formal, do contrário deixaria de ser interessante assim como verossímil com a contemporaneidade da fita. Ele está perfeito em ser diferente e facilmente capaz de conquistar a platéia sem deixar o mínimo de inteligência de lado.



Com relação os predicativos mais técnicos do filme, o roteiro maniqueísta obviamente não é original mas necessário para esta luta bem x mal e os diálogos são bem elaborados destacando a oposição razão (Holmes) x magia negra (LordBlackwood) e a perspicácia do detetive em ver evidências onde jamais o espectador veria. A fotografia de época está excelente, minimamente detalhada neste ambiente investigativo mais fétido e mais escuro de Londres em contraposição à vibrante presença das personagens que não tornam o filme frio. Guy Richtie trabalha muito bem a direção das cenas de ação com a trilha sonora composta por Hans Zimmer dando um toque simbiótico entre as linguagens musical e cinematográfica, e especialmente em alguns pontos do filme, ele se serve de uma técnica de flashback das ações de Sherlock Holmes que previamente não haviam sido expostas, seja na forma de agir seja na forma de pensar antes de agir, o que imprime uma diferenciação de como o suspense foi rodado.O elenco tem o seu carisma, no entanto este filme não existiria sem Robert Downey Jr que é a razão e a emoção desta megaprodução. Seu humor atípico para o personagem: racional, cínico, palhaço, inteligente e cativante faz de Sherlock Holmes uma espécie de "Robert Downey Jr. Holmes", o novo velho herói da Hollywood moderna a qual me parece desejar um Sherlock Holmes 2.


Avaliação Madame Lumière


Título original: Sherlock Holmes
Origem: Inglaterra, Austrália, EUA
Gênero: Ação, Aventura, Suspense
Duração: 128 min
Diretor(a): Guy Ritchie
Roteirista(s): Michael Robert Johnson, Anthony Peckham, Simon Kinberg, Lionel Wigram. Adaptado da obra de Arthur Conan Doyle
Elenco: Robert Downey Jr., Jude Law, Rachel McAdams, Mark Strong, Eddie Marsan, Robert Maillet, Geraldine James, Kelly Reilly, William Houston, Hans Matheson, James Fox, William Hope, Clive Russell, Oran Gurel, David Garrick

12 comentários:

  1. Concordo plenamente com tudo que você disse. Acho que Guy deu uma nova visão do detetive inglês e o transformou em um ícone pop. Adoro a trilha, Law está perfeito e só acho o Downey um pouco exagerado, mais nada demais.
    Um belo filme a altura dos livros.

    ResponderExcluir
  2. Olá Obrigada pela sua visita!

    Exatamente e, com relação ao exagero de Robert Downey Jr, acho que ele é um pouco excêntrico e sabe que ele está em alta (rs).
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. E que venha Sherlock Holmes 2. Com Robert Downey Jr. usando e abusando e exagerando. Pq esse é o tom do registro pretendido afinal. Concordo plenamente com tudo que disse madame. E Guy Ritchie provou que sabe fazer filmes cool com pequenos orçamentos (jogos trapaças e dois canos fumegantes) ou com grandes orçamentos ( caso desse Sherlock Holmes). Puta(ops)diretor esse cara. Gosto cada vez mais do cinema dele.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Fiu fiu... haha, que venha mesmo e com Robert Downey Jr ainda mais irresistível. Eu adorei este filme, Reinaldo! Contagiante e charmoso. Fiquei impressionada com o talento de Guy Ritchie e como ele enfrentou o desafio da cobrança por um grande filme, afinal, ele não tinha um background de blockbusters. Agora ele os terá!!!!! Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Madame!!
    Eu gostei bastante do Sherlock Holmes também.
    Para o que o filme se propõe ser, um blockbuster competente, cumpre perfeitamente seu papel. Diversão sem comprometimento. E com colírios como Downey Jr, Jude Law e Rachel McAdams, não tem como não agradar.
    bjoss

    ResponderExcluir
  6. Melhor momento do Downey Jr. desde...sempre!!
    Sinceramente, ele estava muito inspirado.

    O filme tem toda uma renovação, mas mesmo assim se mantém no mais absoluto clássico de sempre. Saí do cinema renovado!

    Belo texto!
    Madame, você me cativa sempre!

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Monsieur Apimentário, concordo em gênero, número e grau. O clássico é mantido com uma estampa modernizada.

    Fofo! Você me cativa sempre também, apimentando minha vida cultural. bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Patty, bem ressaltado que a Rachel McAdams é um colírio mesmo mesmo que eu não corte para este lado(rs). Gosto muito do rosto dela, acho ela uma fofa inesquecível no meu queridinho "Diário de uma paixão". bjs!!!!

    ResponderExcluir
  9. Madame, eu também não sou chegada [rsrs], mas sei reconhecer uma beleza feminina, e acho a Rachel particularmente lindíssima. E por falar nisso, você também gosta de "Diário de uma paixão"?? Sou alucinada por esse filme!!! Já escreveu sobre ele?
    bjosss

    ResponderExcluir
  10. Madame,

    este 'Holmes' é divertidamente bobo..a continuação vai rolar mesmo, com mais pancadarias e efeitos especiais...

    Gosto do Jude law aqui!

    Guy Rithie pode produzir filmes grandes, mas a careira dele acho bem esquisitinha (seus filmes bobinhos).

    Bela Resenha

    ResponderExcluir
  11. Oi Patty, hahaha... não tenho dúvidas, flor! Eu quis mesmo é dizer que eu também sei reconhecer a beleza feminina, inclusive ando reconhecendo mais a feminina ultimamente do que a masculina. Onde estão os homens bonitos? hahaha. Acho que ela tem um rosto simpático e de bonequinha, muito linda e, de uma beleza não comercial.


    Patty, sou louca por Diário de uma paixão e ainda pretendo um dia comprar o livro no Ebay e lê-lo no original. Cheguei a detonar o DVD de tanto assistí-lo e a decorar até mesmo as falas haha... na verdade, este filme mexe muito comigo, acharei o dia exato para escrever sobre ele aqui. Até e beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Rodrigo,

    Exato! Quando falei do lado "palhaço" é que ele tem um jeito de "clown" neste filme mesmo que a base de seu personagem não tenha uma ironia de circo. Penso que Robert Downey Jr tem um jeito de bobo mesmo, no mais sério e brilhante dos conceitos. bjs!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière