segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Prêmio Globo de Ouro 2010: Vencedores politicamente e popularmente corretos



Aconteceu neste domigo a premiação do Globo de Ouro 2010 (Golden Globe Awards) e, para minha previsível indignação, o Hollywood Foreign Press Association (HFPA) decidiu seguir a linha: "Não se mexe em time que está ganhando", tendo uma postura bem conservadora e batendo o martelo, ou melhor, a estatueta do Globo de Ouro para os indicados politicamente e popularmente corretos. Uma premiação, digamos, enfadonha e com pouco senso crítico, salvo algumas justas premiações como a de Christoph Waltz (melhor ator coadjuvante por Bastardos Inglórios), Mo'Nique (melhor atriz coadjuvante por Preciosa), Jeff Bridges (melhor ator Drama por Coração Louco), Meryl Streep (melhor atriz Comédia por Julie & Julia), Sandra Bullock (melhor atriz Drama por O Lado Cego ), UP (melhor animação e trilha sonora) e The Weary Kind ( melhor canção em Coração Louco). A propósito e, de novo, todas escolhas previsíveis para o Cinema, inclusive que continuarão como potenciais vencedores do Oscar. Para a TV, a premiação foi bem mais emocionante, principalmente nas vitórias de Chloe Sevigny (Big Love), Drew Barrymore (Grey Gardens), Michael C Hall (Dexter) e Kevin Bacon (Taking Chance) e na homenagem ao mestre Martin Scorsese, premiado com o Cecil B DeMille Award.



Mas vamos às minhas impressões de telespectadora. Primeiramente, colocar Ricky Gervais para mestre de cerimônias foi um grande desastre. Ele não foi inteligentemente humorístico e, a pior coisa que pode acontecer em uma celebração deste tipo é um apresentador que quer forçar um humor inexistente naquele momento, então suspeito que ele mesmo não estava suportando o Globo de Ouro 2010 que, aliás, prometia ser uma premiação cheia de glamour. Glamour, aonde? A impressão que tive é que nem os convidados estavam se divertindo e mal viam a hora de tomar uma birita. Eu também afogaria minhas mágoas cinéfilas na mesa do bar, principalmente após ver James Cameron tendo MUITO espaço para vibrar o reconhecimento de sua megalomania blockbusteriana.



Embora eu goste de Avatar e Se Beber não case, confesso que ver James Cameron ganhando o prêmio de melhor Diretor e melhor filme Drama e Hangover o de melhor comédia foi angustiante. Kathryn Bigelow e Quentin Tarantino como diretores colocaram bem mais naturalmente suas habilidades com câmera a seu favor, sem depender tanto de sofisticação técnica, então o prêmio do Melhor Diretor baseado em popularidade, politicagem e tecnologia me causa um certo dissabor; não premiar principalmente a ex-esposa de James Cameron foi uma mega injustiça e, Quentin, como já esperado, sofrerá mais ainda os males de sua própria subversão, os engravatadinhos da Academia não devem premiá-lo no Oscar, para meu desespero total. Mas voltemos a Avatar, gosto bastante, mas é um gostar muito mais emocional para a racionalidade esperada em um Globo de Ouro. Ficou claro que o
s membros da Associação dos Correspondentes Estrangeiros em Hollywood premiaram James Cameron para reconhecê-lo pelos esforços de seu blockbuster. De fato, seria frustrante para o diretor ver que seu Avatar exigindo que ele colocasse um Avatar e fosse para o planeta Pandora para nunca mais voltar, diretamente, há uma cobrança por sucesso e reconhecimento após 10 anos de espera para rodar esta mega produção. Embora um grande trabalho, suas premiações foram bem políticas.



Se Beber não Case é uma comédia agradavelmente cômica, mas ganhar de 500 Dias com Ela é um infeliz exagero. Em termos de construção de personagens, roteiro mais elaborado e direção, 500 Dias com Ela é bem superior. Se Beber Não Case tem a vantagem de cair no gosto do público, de forma muito apelativa e divertida, logo comparar uma comédia mais comercial com uma mais cool, fica complicado que a última vença números de bilheteria em uma premiação que valoriza este tipo de reconhecimento. Outra decepção, porém seguindo o bom senso de assumir que é um excelente roteiro é a vitória de Amor Sem Escalas, abatendo o querido Bastardos Inglórios. O roteiro de
Jason Reitman e Sheldon Turne foi bem construído, caindo no gosto dos críticos, que ajudaram a dar um empurrãozinho neste favoritismo. A maior surpresa da noite foi ver a vitória de Robert Downey Jr como melhor Ator Comédia por Sherlock Holmes, confirmando que ele, assim como Sandra Bullock, estão em grandes momentos de carreira, bem assessorados e estimados. Apesar da surpresa, acredito que Robert tem lá os seus predicativos de um humor cínico e sabe ser comicamente sedutor. Adoro-o, mas Joseph Gordon Levitt era o meu escolhido da noite.

Apesar das surpresas politicamente corretas deste Globo de Ouro,
assumo que a premiação foi conservadora, porém com méritos. Todos os vencedores fizeram um bom trabalho, tinham ótimas e expressivas produções para abocanhar o prêmio. Obviamente, em premiações da magnitude de um Globo de Ouro que promete retornar ao status e credibilidade de antigamente, a minha expectativa era de uma premiação menos popular e mais baseada em critérios na contra-mão das bilheterias e dos lobbys da indústria, por isso espero que o Oscar venha para surpreender a todos com uma competição mais emocionante, menos previsível e ainda assim, justa.


Confira a lista de vencedores, clicando no ícone abaixo


10 comentários:

  1. À noite irei postar sobre o globo de ouro no meu blog.Mas apesar da vitória de alguns de meus favorits, posso dizer que a premiação como um todo foi frustrante. E muito.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. É detestável ver Avatar ganhar, sendo que The Hurt Locker, Precious ou Bastardos Inglórios possuem uma história bem mais elaborada(e de melhor qualidade), assim como atuação, do que Avatar.

    Mas... Tudo bem né! Entendo a força de um blockbuster!

    ResponderExcluir
  3. AVATAR ganha a corrida pela tecnologia inovadora que ostenta — os Óscares de categorias técnicas não lhe escapam —, mas os outros candidatos também foram bastante inovadores, sobretudo narrativamente.

    Quanto à "secção" Comédia ou Musical, acho que as escolhas foram muito pobres este ano (aposto que nem um deverá figurar entre os 10 candidatos a Melhor Filme) e deu a sensação de que ninguém quis "pensar" muito. Ou a filosofia do «Vamos pelo mais popular!»

    Cumps cinéfilos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Reinaldo,
    Concordo totalmente, apesar de ter ganho alguns de meus preferidos, este GGA foi frustrantérrimo!
    Aguardo ansiosamente seus lúcidos comentários.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi Raphael,
    Obrigada pela sua visita e comentário. É vero, Avatar tem lá suas qualidades e aprecio as mesmas, mas no mínimo James Cameron deveria ter ganhado 1 só prêmio nesta noite. Muita areia pro Avatarzinho dele ganhar 2 GGA.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá Sam, falou tudo! O HFPA teve preguiça de pensar e encarar a massa de opiniões. Nem precisa ser crítico pra ver a diferença de qualidade em algumas produções e atuações. Espero não passar no Oscar o nervoso que passei ontem à noite.
    Saudações Cinéfilas!

    ResponderExcluir
  7. A propósito, ninguém merece ver Mike Tyson subindo no palco para celebrar o prêmio por Hangover, mesmo que a participação dele é descartável. O fim da credibilidade das premiações em categorias nobres, definitivamente.

    ResponderExcluir
  8. Justamente Madame.

    O maior problema que essas celebrações sofrem é o fato de não agradar muito o público, resultando na queda de audiência ano a ano. Sendo assim, acredito que o golden globe decidiu agradar eles dessa vez, optando pelo mais popular, que e o filme que eu não consigo engolir chamado Avatar ;D

    Sobre Hangover... O humor dos americanos é MUITO diferente do nosso, só pode!

    ResponderExcluir
  9. Raphael, Acho que não só o humor. Estava navegando em uns blogs de cinema americanos (coisa que nunca havia feito!) e eles têm um gosto diferente do nosso, pelo menos, em algumas opiniões sobre filmes.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Sandra Bullock sem dúvida mereceu.Sua interpretação em Um Sonho Possível foi incrível ela simplesmente arrasou..

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière