sábado, 16 de janeiro de 2010

Coraline e o Mundo Secreto ( Coraline ) - 2009


Coraline é a mais nova animação 3D com roteiro e direção de Henry Selick, baseado na adaptação do livro infantil do escritor britânico Neil Gaiman. O filme tem elementos que misturam o fantasmagórico do terror e o fantástico das fábulas com elementos de ação e aventura em uma arte animada expressionista bem marcada pela estética stop-motion de Henry Selick. Como em o Estranho Mundo de Jack (1993), o mundo de Coraline tem uma magia sombria e gótica que tem um paralelo com a estética de Tim Burton. Os personagens, em especial, os do mal tem uma peculiar vivacidade estranhamente obscura, como se eu pudesse tocar a tela de O Grito de Munch e trasladar para o Fabuloso Mundo de Henry Selick.



Coraline tem uma proposta diferenciada do recorrente em animações infantis da Disney e da Pixar. O mundo da heroína infantil Coraline é idealmente um mundo para crianças mais adultas e para adultos que apreciam esta estética do horror das fantasias da Literatura Infantil e são fascinados por este universo paralelo e sombrio que equilibra muito bem o fantasmagórico com a candura da infância e toda a beleza da ilusória imaginação. Ainda que Coraline seja uma garota madura, inteligente e esperta, ela tem atitudes de uma menina que sonha e se entusiasma com um mundo secreto, de perfeita realidade que somente a fantasia pode exaltar e dar-lhe. A vida dela é muito chata e solitária. Não é o ideal de uma vida de criança, mas muitas crianças e adultos se identicarão com ele. Seus pais só pensam em trabalhar, ela mora em uma casa caíndo aos pedaços, os vizinhos são desagradáveis. Coraline tem uma vida que ninguém deseja.




Certo dia ela descobre uma pequena porta em sua casa que a levará para um mundo perfeito, a antítese do dela em todas as mais diversas facetas. Neste novo mundo de sonhos, sua mãe é amorosa, comprando presentes e cozinhando deliciosa comida, seu pai adora jardinagem e se dedica a cuidar do jardim, suas idosas vizinhas Senhorita Forcible e Spink não se digladiam, o garoto Wybie Lovat não fala asneiras e o excêntrico Senhor Bobinski não é tão irritante. No mundo secreto,
Coraline vive o próprio sonho perfeito. No entanto, nem todo o sonho é tão bom quanto parece, ela é iludida e se envolve em uma grande aventura que impacta sua real vida.



Neste filme, a voz de Coraline é da atriz Dakota Fanning e, na minha opinião, é um dos destaques do filme. A dublagem da jovem atriz dá vida à Coraline de uma forma vibrante e carismática como se a própria Dakota incorporasse o papel no plano da ação. Coraline, como a maioria das fantásticas animações, é pura contemplação com o fascinante e perfeito trabalho da arte dirigida por Selick, rica em detalhes sobre um mundo fantasmagórico que não assusta mas que fascina, além disso, o roteiro traz uma bela mensagem sobre o valor da família e das escolhas, tão essencial em todas as idades.



Avaliação Madame Lumière


Título original: Coraline
Origem: EUA
Gênero: Animação, Infantil
Duração: 101 min
Diretor(a): Henry Selick
Roteirista(s): Henry Selick, Neil Gaiman
Elenco: Dakota Fanning, Teri Hatcher, Jennifer Saunders, Dawn French, Keith David, John Hodgman, Robert Bailey Jr., Ian McShane, Aankha Neal, George Selick, Hannah Kaiser, Harry Selick, Marina Budovsky, Emerson Hatcher, Jerome Ranft

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière