terça-feira, 3 de agosto de 2010

MaDame Cult: Garganta Profunda (Deep Throat) - 1972

MaDame Cult:
Um culto aos cult movies




Para estrear a nova seção do MaDame Lumière, MaDame Cult, eu poderia escolher uma série de filmes cult mais 'bem comportados' e são excepcionais clássicos da filmografia mundial, mas a intenção de colocar um porn cult movie famoso como Garganta Profunda é proposital, provocativa, e como manobra de quebra de preconceito e valorização do que ele representou na História do Cinema dentro de seu gênero, além de aproveitar o movimento midiático de Inferno, a cinebiografia da atriz Linda Lovelace, estrela de Deep Throat que será interpretada por Lindsan Lohan, sob a direção de Mattew Wilder. Garganta Profunda é o único filme em sua categoria capaz de estar aqui como objeto cult, um status mais 'artistíco' e controverso. Ele teve uma influente função social em plena década de 70 como bandeira de libertação sexual e uma produção polêmica que cumpriu o seu papel de incomodar os mais tradicionais e abrir espaço para o gênero.






Gerard Damiano foi um diretor e roteirista controverso porém longe de ser tolo, fútil. Ele criou um argumento diferenciado que, de alguma forma, tem tudo a ver com a valorização que o sexo oral tem para o sexo masculino e como ato sexual 'tabu'. Ele deu a Linda Lovelace uma característica muito peculiar: Ela tem um clitóris na garganta, logo o seu ponto G só pode ser alcançado com sexo oral e um pênis cujo tamanho alcance a sua fonte de imensurável prazer sexual. De alguma forma, tal argumento pode soar bem machista porque representa o mundo ideal para os homens, impulsionando a mulher a praticar a felação para sentir-se plena e brindada por um orgasmo, porém pensando na revolução sexual na época, o filme é muito eficaz ,e praticamente cria o riso pela situação inusitada, tanto que embora as cenas de sexo sejam cruas, o enredo chega a ser uma comédia.







Linda Lovelace deixa claro na película que quer sentir 'o barulho dos sinos' até que ela descobre o seu problema e, com o incentivo do médico Dr. Young (Harry Heems), ela goza. Logo em seguida, diz a ele para se casar com ela, mas o médico é mulherengo anti-ético que transa com as enfermeiras. É interessante notar que, antes de descobrir onde está o seu clitóris, Linda tem total noção de que não faria um homem feliz (e não seria feliz no casamento). Faltava-lhe algo para ser uma mulher completa. Ao descobrir o prazer, ela já pensa em ter um homem efetivo ao seu lado, e a partir daí, dará início à sua saga pelo homem 'ideal', aquele que possa satisfazê-la; a busca por prazer é feminina e é bem engraçada. Na película é possível rir das diversas situações, por isso além de ser um pornô chic de revolucionária relevância cultural, que ambiguamente, não foge da obscenidade normal de seu gênero com closes em felações, cunilínguas e penetrações, é bem curto (apenas um hora de duração)
e de baixa qualidade para o Cinema, Garganta Profunda tem um senso de humor que é muito funcional como 'tapa na cara' na sociedade puritana; é como dar risada da cultura sexual dos Estados Unidos que, de forma hipócrita, já era pervetida por trás dos bastidores mas tinha coragem de censurar o filme em mais de 20 estados Americanos. Não a toa que o filme foi defendido por figuras públicas como Mike Nichols e Warren Beauty, cultuado por várias personalidades refinadas de Manhattan (Truman Capote e Frank Sinatra) e tem como contemporâneos filmes com forte conteúdo sexual como Emanuelle, Saló ou os 120 dias de Sodoma e Gomorra, Império dos Sentidos e O Último Tango em Paris.





Como produto cultural que mobiliza e catalisa a mudança social e é elemento dinamizador de uma revolução sexual, Garganta Profunda tem várias características provocativas e cômicas no enredo, tais como: Com intuito de ajudar Linda a encontrar um homem (e com ele um orgasmo), ela e sua amiga Helen (Dolly Sharp) decidem realizar uma 'tarde sexual' distribuíndo senhas para vários homens; Linda atinge o orgasmo com o médico que a ajudara a descobrir onde estava seu clitóris,
se torna uma enfermeira e se envolve sexualmente com os pacientes (o que foge da ética da Medicina); Linda é uma mulher totalmente depilada na virilha o que era raro e sinônimo de libertação feminina; Linda vê sinos e lançamentos de foguete quando alcança o orgasmo, que remetem, respectivamente, à igreja - instituição de valores tradicionais e à ciência, ao governo e suas conquistas tecnológicas, ou seja, libertar-se sexualmente era antitradicionalismo e progressista; então desta forma, o sexo explícito não é tão relevante assim como registro; os elementos na narrativa citados são mais efetivos como película e para dar a força libertária, e tornam-a um marco na produção cultural americana, por isso, muito mais válida de ser vista sob este panorama.


Avaliação MaDame Lumière




Título Original: Deep Throat
Origem: USA
Gênero(s): Comédia
Duração:
61 min
Diretor(a):
Gerard Damiano
Roteirista(s): Gerard Damiano
Elenco: Harry Reems, Linda Lovelace,Dolly Sharp, Bill Harrison, etc.

4 comentários:

  1. O clássico eterno dos filmes X-rated! Não sei se você sabe, mas tem um documentário recente sobre o escândalo que esse filme gerou na época. Procure. E a insossa presidiária Lindsay Lohan vai fazer (ou já fez) uma cinebio da Linda Lovelace chamada "Inferno".

    Cultura na veia:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Essa semana estava vendo os ótimos cartazes da cinebiografia da Linda Lovelace, com a Lindsay lohan e sabe, gostei, fiquei com uma baita vontade de conferir a cinebiografia..!
    Já sobre "Garganta Profunda", ainda não tive a chance de conferir, primeiro por ser dificil, até mesmo para baixar (eu tentei mais veio um pornozão daqueles, e o pior, era um povo estranhoo! rs), enfim, por enquanto fico só na vontade de conferir!

    Muito bacana fazer um texto sobre o filme, apesar de conhecer a fama dele, eu não sabia nada do filme, ele parece ser bem bizarro, rs

    Ótimo texto Madame!

    Bjs =D

    ResponderExcluir
  3. Caloroso texto Madame, nossa! Ui! Gostei da iniciativa do MaDame Cult!

    Eu ouvi vagamente sobre este filme. Obrigado pelas informações. Poderia postar algo do diretor Tinto Bras futuramente? Rs!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Madame, eu assisti, eu vi "Garganta Profunda", rs
    Claro, o filme tem o seu valor, mas foi uma das coisas mais bizarras que eu já vi, rs
    Acho que nunca ri tanto com um filme! hehehe.

    Abs.
    novo endereço: eodiabodissenao.blogspot.com

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière