terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cinéma Musique: O Último Samurai / The Last Samurai (2003) ~ Hans Zimmer

Cinèma Musique: Trilhas Sonoras Inesquecíveis
por MaDame Lumière




"Amo Trilhas Sonoras.
Elas adornam a beleza dos filmes
com o encontro de duas grandes Artes:
a Música e o Cinema"
(M. Lumière)



Ouvir a trilha sonora de um filme sem as cenas do filme é uma experiência única. Não é segregá-los por completo, pelo contrário, é uní-los muito mais além dos planos visual e sonoro. É um experiência tão intensa que chego a ver as cenas do filme surrealisticamente perante os meus olhos. A cada nota, vejo rostos, movimentos e, no auge da emoção, toco o meu rosto como se a tela do Cinema pudesse tocar minha face, com afeto, selando uma íntima relação entre nós para sempre. Sinto-me assim com uma boa parte das minhas favoritas trilhas sonoras, especialmente, as mais introspectivas como O Último Samurai, composta pelo supremo Hans Zimmer. Neste, é como se eu sentisse o que os personagens sentem, como se eles falassem comigo não com suas bocas ou expressões corporais, mas através de canções que acariciam meus ouvidos para um jornada inesquecível para as terras do Japão, em uma aldeia de Samurais, o local do encontro da verdadeira e ideal essência humana: coragem, honra, amizade, amor, lealdade, sinceridade e justiça. Não posso negar que me emociono demais com esta trilha como se meu coração urgisse pela presença de Katsumoto (Ken Watanabe) e Nathan Aldren (Tom Cruise) próximos a mim para que eu compartilhasse desta profunda amizade entre eles, para que eu pudesse lutar com eles, para que eu fosse uma família com eles em um mundo idílico, precioso. Na ausência deste mundo distante, ouço-a com tristeza, na impossibilidade de viver O Último Samurai.



Muitas vezes no auge de consumir com os olhos um longa-metragem em cada detalhe, do figuro ao roteiro, não notamos profundamente o valor da trilha sonora para a composição, pelo menos, não durante o filme. Depois, para aqueles que apreciam a música do cinema, fechar os olhos enquanto são tomados pelo sentimento de imensurável doação às canções é algo profundamente mágico. Magia é ouvir Hans Zimmer, um músico que já me fez chorar muitas vezes com envolventes scores, principalmente em épicos como este e O Gladiador. Em o último Samurai, Hans Zimmer mistura a intimista e delicada sonoridade advinda do background de orquestras ocidentais e dos instrumentos japoneses, um encontro entre Oeste e o Leste assim como o de Nathan e Katsumoto, balanceando uma trilha sonora que tem sons introspectivos destacando o tradicional da antiga cultura japonesa e sua bela discrição que se misturam aos dramáticos e épicos ritmos de batalhas, estes últimos mais vibrantes, ora exaltando um clima de tensão, ora exaltando o ápice de uma guerreira ação; muitas vezes misturados em uma única canção em camadas musicais, bem delineadas para dar a emoção entre a bravura dos guerreiros japoneses e a mansidão de seu povo. Hans Zimmer mantém magnificamente uma espécie de acorde musical central que é recorrente em uma estrutura de boa parte das canções como um fragmento musical e temático que concebe toda a obra, um valioso acorde que é a alma sonora deste filme, logo o desejo iminente é transferir esta alma sonora para dentro da minha própria alma. Sentir a partir dela a emoção de O Último Samurai ainda que as cenas do filme não estejam passando diante dos meus olhos, eu escuto e vejo O Último Samurai, eu escuto e vejo Katsumoto, o guerreiro imortal em um dos mais inesquecíveis filmes épicos do Cinema, em uma das mais inesquecíveis trilhas sonoras do Cinema.




Hans Zimmer

Para ouvir a trilha sonora de o Último Samurai, clique aqui.

Visite o Cinéma Musique da Madame Lumière,
minhas playlists com minhas trilhas sonoras de filmes favoritas.

Um comentário:

  1. Mais uma trilha sonora magnífica de Hans Zimmer. Um dos temas principais é um desenvolver de um tema já iniciado em PEARL HARBOR, tinha notado?

    Vou passar a seguir seu blogue! Fica também o convite para visitar o CINEROAD.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière