segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O Fantástico Sr Raposo (Fantastic Mr. Fox) - 2009



Wes Anderson é um diretor excêntrico e gosta de dirigir filmes com personagens excêntricos, por isso suas produções cinematográficas podem causar várias reações, do mais aprazível louvor ao mais odioso desgosto e, pelo jeito, ele continua encarando este risco. Filmes como os Excêntricos Tenenbaums (2001) e Viagem a Darjeeling (2007), entre outros, fazem parte de sua filmografia, e agora, para a alegria ou tristeza de alguns cinéfilos e fãs do livro Raposas e Fazendeiros de Roald Dahl, Wes Anderson adapta a fábula do autor e dirige sua primeira animação, o Fantástico Sr. Raposo, rodado em técnica de stop-motion com um elenco principal bem peculiar: raposas e seus amigos e vizinhos de natureza que entram em um tremenda e aventureira confusão, perseguidos por um grupo de fazendeiros que tiveram suas posses roubadas pelo fantástico Sr. Raposo (voz de George Clooney).




O raposão é um tremendo ladrão na mais sofisticada das expressões. Na verdade, ele é muito elegante até para esta função. Até o dia que sua esposa Sra Fox (voz de Meryl Streep) engravida e o faz prometer que ele nunca mais roubará nem galinhas, nem patos, nem gansos, nem nada mais. Ele se torna escritor de uma coluna de jornal, mas percebe que ele não tem inclinação alguma para se afastar de seus roubos e se sente um tanto deslocado. Ele decide sair da toca e se mudar para uma árvore próxima a três fazendeiros, donos de deliciosas posses que passam a lhe interessar. Ele não resiste a tanta tentação e volta à vida de ladrão, ocultando tal fato de sua esposa e de seu filho Ash (voz de Jason Schwartzman), este último, a propósito, um filho "diferente", problemático, não reconhecido por suas qualidades e que não tem a admiração de seu pai.
A vida de Ash se torna mais complicada quando seu perfeito primo Kristofferson (voz de Eric Anderson) vem à sua casa para ficar um período indeterminado. Os dramas existenciais ficam mais evidentes, porém grandes descobertas pessoais estão por vir.



A animação é excentricamente criativa e bem enquadrada na técnica, quadro a quadro ressaltando os detalhes dos animais e do ambiente, entre tocas e pêlos de raposas, entre perseguições e confissões existenciais, a excelente expressividade da família Fox assim como os diálogos com um humor nada convencional e a perfeita dublagem dos competentes George Clooney e Meryl Streep são as virtudes que tornam
Fantástico Sr. Raposo uma animação diferente assim como a própria família protagonista, destacando o patriarca da família que é fidedignamente uma inteligente figuraça. Entre a aventura de se livrar dos fazendeiros persecutórios e a união com outros animais das redondezas, fica claro que Sr. Raposo é nitidamente um personagem que se encaixa no estilo de Wes Anderson. Ele é excêntrico e é um herói por ser peculiar. A grande moral da animação que vale a pena ser conferida é que o Sr. Raposo volta a roubar porque esta é a sua existência, esta é a sua essência, é isso que o faz Fantástico e é assim que ele será aceito por aqueles que o amam ainda que haja as divergências naturais em relacionamentos, além disso, o mesmo acontece com seu filho Ash que, desde o início, é intitulado como "o diferente" e está à margem de todos, no entanto, até mesmo o pai perceberá que ele é único, que ele é realmente o filho do Sr. Raposo, logo é esta a natureza que não se pode negar, seja ela levemente ou muito excêntrica, os excêntricos sempre têm o seu lugar no mundo e, melhor ainda, eles têm lugar em um mundo fantástico.


Avaliação Madame Lumière



Título original: O Fantástico Sr. Raposo
Origem: EUA
Gênero: Aventura, Animação, Infantil
Duração:
87
min
Diretor(a):
Wes Anderson
Roteirista(s):
Roald Dahl, Wes Anderson, Noah Baumbach
Elenco: Bill Murray, George Clooney, Meryl Streep, Adrien Brody, Owen Wilson, Willem Dafoe, Jason Schwartzman, Brian Cox, Wes Anderson, Michael Gambon, Anjelica Huston, Helen McCrory, Roman Coppola, Garth Jennings, Wallace Wolodarsky

8 comentários:

  1. Que inveja. Ainda não vi O fantástico Sr. Raposo e desconfio que não o verei nos cinemas. De qualquer maneira essa moral que ao qual o filme tangencia e vc menciona em sua critica me parece uma característica do cinema de Wes Anderson. Aceita-te como tu és. E também aceita os que amas como o são. É justamente esse o principal verniz dos filmes do diretor que vc citou no principio da resenha. Com destaque para o excepcional Os excentricos Tenembauns.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Reinaldo, a sua frase é perfeita : Aceita-te como tu és. E também aceita os que amas como o são.

    Nunca pensei que ele o faria neste filme de uma forma tão bonita, ficou nítido na cena final. Quando assistir o filme,observe também a cena com o lobo. Vc irá amar a sua essência, o seu significado.

    No começo achei que não iria gostar do filme, mas depois fui vendo que são raposas com dramas humanos.

    bjs!

    ResponderExcluir
  3. Não vi ainda também, lamentável! nem trailer tinha visto, pode? seu post me fez atentar mais! Excêntricos Tenenbaums? eu adorooo, estou até pra revê-lo! gosto muito, pena que o dvd saiu de linha e acabei nem comprando.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Haha... Cristiano, entendo perfeitamente. Ultimamente não ando vendo muito os trailers, já vou assistindo os filmes mesmo. Vida de blogueira de cinema é meio louca, né!? Tanta novidade e pouco tempo.

    bjs!

    ResponderExcluir
  5. Madame,

    Wes Anderson animando?

    Hum..preciso conferir! Ele só tem que parar de viajar pelo próprio umbigo.

    Adoro Três é Demais!

    Bjokas!

    ResponderExcluir
  6. Oi Rodrigo, sim! Animando e muito, mas aquele humor excêntrico, hilário para os mais cinéfilos mais cult.

    Eu acho que ele tem viajado no próprio umbigo pq suspeito que ele tem esta necessidade de se autoafirmar através de seus personagens. Ele deve ter problemas sérios de existência rsrs.

    Três é demais é o único que eu gosto.

    bjokas!

    ResponderExcluir
  7. to louco para ver este!!!

    beijos Madame

    ResponderExcluir
  8. Eri, tua cara ver este filme! Assista e depois me fale o que achou do trabalho espirituoso de Wes Anderson. bjs!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière