segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Literatura no Cinema: Salomé de Oscar Wilde em Salomé de Carlos Saura (2002)

e o mistério do amor é maior que o mistério da morte.
( por Salomé, em Salomé de Oscar Wilde).


A vida é cheia de mistério e inquietude, misturando o previsível e o imprevisível. Tudo o que acontece nela tende a ser muito mais imprevisível - quando acordo de manhã, o que acontecerá? Não sei. Posso me planejar e investir tempo, dinheiro, esperanças na melhor das metas, conseguirei alcançar? Talvez. Acredito que para isso que estou (e estamos) aqui, para conseguir desfrutar a vida da melhor forma, no que acredito e gosto de fazer ainda que não haja certezas. Nos caminhos de uma vida imprevisível e cheia de mistérios, pensei mais uma vez no amor, desta vez, tomando como inspiração a Literatura de Oscar Wilde através de Salomé e o Cinema de Carlos Saura e sua magnífica obra Salomé, representada através da dança. Uma metalinguagem reveladora em mais um Literatura no Cinema por MaDame Lumière.

Amar é a mais imprevisível das conquistas. Conseguir um emprego, uma casa, um carro são conquistas palpáveis que não dependem do sentimento mútuo de corações apaixonados, de certo, estas são conquistas mais racionais e podem ser previstas e até mesmo planejadas com uma boa dose de estratégia, mas e o Amor? Com relação ao amor, não há planejamento nem certezas, somente esperanças. E nem sempre esperanças surtem efeitos positivos. Pessoas sofrem desiludidas com o Amor, e amar e não ser amada(o) de forma correspondida pode levá-las por caminhos pertubadores e destrutivos como os da história bíblica de Salomé e seu amor por João Batista. Uma mulher que o amou muito e mesmo de posse da cabeça de Batista - num desespero de tê-lo a qualquer custo, não viveu este amor por completo.
É uma tragédia do cotidiano. A gente não pede a cabeça do outro, como ela pediu a Herodes a cabeça de João Batista, mas a gente perde a cabeça, de alguma forma, no desejo intenso de que a pessoa amada tenha o pensamento em nós, definitivamente tenha a cabeça em nós. A gente perde a cabeça, perde os sentidos, perde a esperança, perde uma parte do coração. Por isso, a obra de Salomé merece ser lida e vista.





Carlos Saura, conceituado diretor espanhol (e pelo qual eu sou apaixonada) é muito conhecido por usar a dança em seus filmes e fez um belo trabalho metalinguístico em Salomé com várias linguagens dentro do cinema: a dança, o teatro, a literatura no qual os atores bailarinos vivem um enredo em que se preparam para um espetáculo teatral, o de Salomé. Neste longa-metragem o roteiro é puramente musical e dançante, expressivo como uma matéria humana viva que faz de cada corpo o canal de confissão das emoções, e Carlos Saura ainda coloca 2 dos grandes bailarinos tradicionais de dança flamenca (Aída Gómez como Salomé) e Paco Mora (como Rei Herodes) em uma suprema atuação técnica e emotiva. Gosto deste conceito da imprevisibilidade do amor e da previsibilidade da morte que toma conta de meus pensamentos enquanto leio e/ou assisto Salomé e, aprecio muito a obra pela sua verdade porque esta é realmente a minha leitura: a morte é previsível, o amor não o é. Há pessoas que passam uma vida inteira em busca do amor e não o encontram. Há pessoas que têm imensuráveis força e alegria de viver e encontram enfermidades e morte. Tudo é imprevisível debaixo do céu, menos o nosso fim, por isso busquemos amar, sem perder a cabeça.



Salomé segura a cabeça de Iokanan (João Batista)
em ilustração de Aubrey Beardsley


"Ah, como te amei? ainda te amo, Iokanan. Só amo a ti... Tenho sede da tua beleza. Tenho fome do teu corpo. E nem o vinho, nem as frutas podem saciar o meu desejo. Que farei agora, Iokanan? Nem os rios, nem as grandes águas poderiam apagar a minha paixão. Era princesa, tu me dedenhaste, era virgem, tu me defloraste. Era casta, tu me encheste as veias de fogo... Ah!Ah! Por que não me olhaste, Iokanan? Se me houvesses olhado, haver-me-ia amado. Sei muito bem que me haverias amado, e o mistério do amor é maior que o mistério da morte. Só para o amor se deve olhar".


Continue acompanhando
Literatura no Cinema por MaDame Lumière,
a partir de hoje, com periodicidade quinzenal


Saudações Cinéfilas e Literárias


3 comentários:

  1. Madame, muito legal essa sua coluna!! Eu acho que vou ter que acabar com a ideia do comPARECER, que tbm analisaria literatura e cinema!! Vou começar um curso todo dia de noite a partir de março!! Não vou ter tempo pra nada!!

    É melhor isso do que fechar o blog inteiro!!! Coisa que eu não queria, mas acho que vai acabar acontecendo!!!

    Mas prometi a mim mesmo que ia organizar meu tempo melhor! Só que teria apenas o final de semana para postar comentários!!!

    Oh dúvida cruel!!! Gostaria de saber sua opinião Madame!! Não sei que faço e gosto muito de você!! Sua opinião é importante!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Eri, entendo como blogs tomam tempo. Meu tempo também diminuirá drasticamente depois do carnaval por conta de projetos de trabalho, e ainda não sei quanto a atualização do Madame Lumière será impactada, mas não acho que você deva fechar o NSC (pelo amor de Deus, não faça isso!). Reveja as prioridades, faça uma lista de filmes dos quais tem condições de falar mais facilmente(que te inspiram em palavras) e uma lista de filmes que deseja assistir em tempo livre. Posteriormente, comece a postar o comParecer 1 x / mês pra começar. Se não for possível, faça-o a cada 45 dias ou bimestralmente, mas coloque a idéia em prática. Te digo isso porque o Cinema fala com várias linguagens como a dança, a literatura, o teatro e tantas outras áreas que são do saber. A idéia de unir literatura + cinema é fascinante, por quê você vai desistir sem nem ao menos ter iniciado?



    Não se desespere, meu amigo! Você é muito jovem e talentoso para deixar os compromissos tirarem o seu tempo passional à sétima arte. Eu sou também super atribulada e minha vida não tem sido fácil, mas o blog me ajuda a desestressar assim como o Cinema. Falo isso por experiência própria, depois que a gente fica mais velho(a), a gente vê que tanta correria por conta de cursos, trabalhos e obrigações racionais não valem tanto a pena. Há que ter o tempo para a diversão, o puro luxo, o puro prazer.


    Comece com o comPARECER pouco a pouco, lembre-se que literatura é vivaz e intimista assim como o cinema, vc não precisa saber tudo e falar de toda a obra + filme, você pode fazer como eu, recortar um tema/foco e falar naturalmente em um post mais curto. Eu também pretendo resenhar livros sobre cinema no Madame Lumière. Sei que é loucura ter tempo pra ler também, mas é um desafio pessoal, mesmo que eu não veja muito tempo, quero escrever uma notinha sobre esta experiência e compartilhar com as pessoas. Blogar tem que ser diversão e não obrigação, não é mesmo?

    Beijo e obrigada pelo carinho. Também gosto muito de você!

    ResponderExcluir
  3. Madame muito muito muitooooo obrigado!! Não sei o que faria se não fossem as suas palavras!!

    Pode parecer loucura que com 15 anos não tenha tempo para nada, mas é verdade! Eu organizo muito mal o meu tempo, sou daqueles que gosta de fazer o que vir na cabeça na hora!! E se me deixam fico horas seguidas no pc sem ver o tempo passar! Ainda que tenho a minha mãe para me controlar, mas já é difícil com ela, imagine sem???!!

    Inicialmente pensei em fazer o comPARECER trimestralmente pq tbm teria o Festival e outra coluna nos outros dois meses!! Mas essa coluna eu não consegui pensar em nada, e o Festival é muito ruim de se fazer (vai sair semana que vem!! Consegui terminar)!!!! Daí já estava desistindo de tudo antes mesmo de começar!! Agora pensando melhor, acho que vou conseguir fazer sim!! E os créditos são seus, que me fez abrir os olhos!!!

    Olhei melhor e vi que a maioria dos livros que tenho, há filmes baseados neles! Claro que a maioria é infanto-juvenil, tipo Harry Potter, As Crônicas de Nárnia (os filmes são melhores que os livros)... mas achei A Bússola de Ouro, que é um livro que eu amo, muito bom, e tem o filme tbm (que é ruim)!!! Acho que como primeiro post vou falar dele, pq apesar de fazer tempo que li (não consegui ler este mês) me lembro de muitas coisas pq me marcou muito!!!

    Sabe Madame, estava pensando em desistir do blog várias vezes ao dia essa semana que passou. Primeiro pq eu fiquei tão fascinado pelo blog que não queria saber de mais nada!!! Era só filme, internet, filme, internet!! Depois tinham as colunas que eu pensei na praia pra deixar o blog mais interessante! Eram ideias legais, mas como fazer??? O Festival estava saindo, me deu um trabalhão danado, mas acabei conseguindo fazer!! Se o festival, que era só assistir a 5 filmes, eu demorei tudo aquilo, imagina ler um livro e assistir ao filme pra falar no mês que vem?? Surtei geral!

    E aida por cima, tinha as minhas unhas dos pés, que tinha que fazer cirurgia!! Fiz cantoplastia terça-feira (sem caminhar até sexta, doendo muito e alugando a minha família)!! Não queria mais nada tbm neh??

    Ainda que agora tive uma ajuda e tanto sua!!! Desculpe o desabafo!! Tinha que agradecer e vim só enxer mais linguiça neh?? Bem fora da casinha!!

    E eu que agradeço o carinho e a paciência comigo!! Muitíssimo obrigado novamento Madame!

    Beijos

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière