domingo, 21 de fevereiro de 2010

BAFTA 2010 - Os Vencedores do Oscar Britânico


A British Academy of Film and Television Arts (BAFTA), considerado o Oscar Britânico divulgou seus vencedores, aquecendo ainda mais o termômetro do Oscar de 7 de março. Dessa vez, Guerra ao Terror de Kathryn Bigelow (ex-mulher de James Cameron de Avatar) foi o grande vencedor com seis premiações confirmando que a Rainha Bigelow reinou sobre o "Rei do Mundo", autoproclamação de Cameron quando realizou o blockbuster Titanic. E o melhor de tudo, o BAFTA foi mais justo que o Globo de Ouro em algumas categorias, para a alegria geral dos cinéfilos inconformados pela politicagem do GGA.

Clique aqui para a lista geral dos vencedores e
confira abaixo, resumidamente, o que
MaDame achou das principais categorias


Melhor Filme: Guerra ao Terror

"Meu favorito era Bastardos Inglórios que infelizmente não foi indicado nessa categoria. Amor sem Escalas era minha segunda opção, porém acho merecido o prêmio mais por causa do trabalho de Bigelow que o filme em si. De alguma forma, encarar a tensão da adrenalina da câmera de Bigelow e a de um militar viciado em guerra é raridade."





Melhor Diretor: Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror)

"Estava torcendo por Tarantino ou Bigelow. Assumo que, em um universo tomado por homens, Bigelow fez um excelente trabalho e merece ser a favorita ao Oscar, além do lobby ter funcionado bem. Confesso que é irresistível ver a coroa de Cameron caindo dessa vez. Ele ganhará em outras categorias com o seu Avatar, então é justo ceder um pouco do sucesso à sua ex esposa que, aliás, tem luz própria."





Melhor Ator: Colin Firth (Direito de Amar)

"Aconteceu o que eu tanto desejava, Colin Firth ganhar sobre o favorito Jeff Bridges(que também é formidável) . Firth precisou superar muito mais o estigma de engomadinho de comédias românticas, além de Direito de Amar ser o primeiro trabalho do empreendedor empresário e estilista Tom Ford e ter uma temática homossexual, tudo a la Tom Ford."





Melhor Atriz: Carey Mulligan (Educação)

"Sem Sandra Bullock no BAFTA, Carey Mulligan reina maravilhosa na sua Inglaterra. A única que poderia tirar-lhe o prêmio era a diva Meryl Streep por Julie & Julia, mas Mulligan entregou mais performance em sua Jenny do que caracterização. O seu papel a ajudou."


Melhor ator coadjuvante: Christoph Waltz (Bastardos Inglórios)

"Ich liebe Waltz", é tudo o que posso dizer sobre o invencível ator coadjuvante mais principal do momento. Inteligente atuação, sempre versátil e elegante como Hans. E que venha o Oscar!"


Melhor atriz coadjuvante: Mo'Nique (Preciosa)

"A interpretação mais visceral dentre os candidatos ao BAFTA e ao Oscar. Mo'Nique está tão maravilhosamente odiosa para ser amada pelas premiações. E que venha o Oscar também!"


Melhor filme estrangeiro: Um Profeta, França

"Um milagre que pode ser compreendido: Um Profeta batendo no favorito A fita branca, de Haneke. Não é superior ao filme alemão, mas é um excelente trabalho sobre as questões étnicas na Europa, com uma forte abordagem de um herói que cria suas próprias leis de sobrevivência. E esse herói é o mais anti herói no estigma social: um presidiário de origem árabe. Será que vai dar zebra no Oscar?


Melhor animação: Up Altas aventuras

"Sensível, adorável, supremo e com excelente trilha sonora
que também venceu merecidamente o BAFTA. Vai ganhar o Oscar com o selo da qualidade Pixar."



Melhor roteiro original : Guerra ao Terror

"Mil vezes o roteiro de Bastardos Inglórios, mas melhor ver
Guerra ao Terror ganhando do que Se Beber não case.
Seria capaz de me alcoolizar se isso ocorresse."



Melhor roteiro adaptado: Amor sem escalas

"Clap, clap, clap. Reitman realiza um roteiro conciso, totalmente preciso
e coerente com a modernidade do livro. Estou na torcida do Oscar por ele."

6 comentários:

  1. Amei o seu blog...
    sempre estarei por aqui!
    Bjs**
    ESTOU TE SEGUINDO!

    ResponderExcluir
  2. Belos comentários madame. Tb gostei dos resultados. Alguns de meus preferidos não prevaleceram(Ok, muitos. rsrs),mas não posso dizer que não foi uma premiação justa. Muito mais do que o Globo de ouro como bem lembrou. Vamos torcer para que o Oscar se mire no Bafta (nossa nunca pensei que fosse falar isso)rrsrs, mais uma vez.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, Madame!

    Eu também estava torcendo por Bastardos Inglórios, na verdade, em todos prêmios em que concorreu. Mas fiquei feliz por The Hurt Locker sim, pois apesar de não se tratar do melhor filme do ano, acredito que ele, no meio em que o filme foi ambientado, conseguiu dar o seu melhor!

    E o nosso perfeito roteiro ganhou!!! Muito bom ver Up In The Air ser reconhecido.

    Apesar de nossa torcida por Bastardos Inglórios, devemos entender que apesar de serem racional ao escolher os premiados, eles também são levados ao emocional, e toda essa guerra de hoje está em evidência maior lá fora. Então, ao ponto de vista deles, entendo o favoritismo pelo filme. Mas é inegável que Quentin Tarantino fez um trabalho mais interessante.

    Em falar em Tarantino, li em um lugar que foram 10 anos para realizar o roteiro do filme dele, mas não lembro onde eu vi essa notícia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Mitsuya, obrigada pelo carinho. E te volte mais vezes aqui, inclusive para comentar sobre os filmes que tenha assistido. bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá Reinaldo,

    Obrigada! Que bom que gostou dos resultados, decerto um ou outro não foi como imaginamos, não é mesmo? mas no final um pouco de bom senso à uma premiação. Rsrs! Tambén nunca imaginei que você falaria isso (da mira do Oscar no BAFTA). O que só tenho a te dizer que você não está sozinho, eu espero que o Oscar não seja como o GGA e se incline mais ao BAFTA. bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá Raphael,

    Estamos quites porque eu também estava levantando os BAFTAS fictícios para Tarantino (viu como rimou!? RSRS).

    Acho que Bigelow foi mulherão ao gravar Guerra ao Terror. E ela teve uma orquestração muito boa para não tomar partido, enfim, o filme se chama Guerra ao Terror e não é um terror que nem muito filme fraco indicado ao Oscar, por exemplo. Rs!(Deixa eu limpar meu veneninho!)

    Ainda penso que o trabalho de Tarantino é superior, porém concordo que filmes de Guerra em si sempre foram queridinhos nos USA(apesar que este prêmio é inglês), de qualquer maneira, filme de guerra sempre tem um viés político mesmo que não seja politizado.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière