sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Um Filme, uma canção: Kill Bill 2 ( 2004),Tu Mirá de Lole y Manuel

Um filme, uma canção por Madame Lumière
a combinação inesquecível para uma nostálgica emoção





Desde que eu criei o blog, prometi a mim mesma que colocaria aqui uma música de Lole Y Manuel, que está na trilha sonora de Kill Bill II. Essa música se chama "Tu mirá". Não é por ser uma música flamenca belíssima em bulerías, gênero musical que amo muito, mas por ser uma poesia e por trazer certa passionalidade. Fala de olhar, mas de um olhar que penetra e ao qual não dá para se distanciar. Eu sempre penso que este é o olhar da verdade e, independente, se é um olhar de paixão, de amor, de dor, de desilusão, é um olhar profundo que crava como uma espada. Pode machucar e doer, mas há verdade e é o que importa. Não posso negar que quando ouvi a canção no filme, com Uma Thurman guiando um carro e com o olhar focado ainda que com óculos, em minha imaginação é como se aqueles óculos fossem ilusórios e eu contemplasse o olhar da atriz, cheio de verdade e personalidade, fiquei emocionada instantaneamente. A partir daquele dia, comecei a observar se eu e as pessoas que passam pela minha vida olhamos com este “mirar Clavado”.






A gente vive correndo pra lá e pra cá e nem sempre olha o outro. Até com os mais íntimos, sempre há um quê e um qual que passam desapercebidos. Não é dar uma mirada rápida, é OLHAR mesmo. Olho no olho! Olhar e ouvir como se não houvesse mais ninguém no mundo. Só os dois olhares que se cruzam. Escrevendo isso agora, lembrei de pessoas que incrivelmente miram com muita profundidade. Transmitem sensibilidade, cumplicidade e confiança. Podem transmitir raiva, tristeza e solidão, mas são olhares verdadeiros. Olhares fortes, enigmáticos e confiantes. Podem ser olhares de amigos ou de desconhecidos, mas são miradas cravadas. E são estas que fazem a diferença.









Para ouvir a música inteira Tu Mirá de Lole y Manuel,
clique no vídeo abaixo







Y tu "mira"

Se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"
De amores llora una rosa
De amores llora una rosa
Y le sirve de panuelo
Una blanca mariposa


De tanto volar
Sedienta de tanto vuelo
En un charco de agua clara
La alondra se bebe el cielo, ay, ay


Aquella tarde de abril
Te dije vente conmigo
Y no quisiste venir
Y no quisiste venir
No te quisiste venir


Y tu "mira" se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"
(x2)


Y tu "mira" se me clava en los ojos como una "espa"
Y mi tren de alegria se va se va (se me clava en los ojos...)
Y no tengo mis sueno que tu "mira" (se me clava en los ojos...)


Y tu "mira" se me clava en los ojos como una "espa"
Grillo de mis tormentos, rosa troncha (se me clava en los ojos como una "espa")
Cuando sueno tus ojos de "madruga" (se me clava en los ojos...)
Yo no puedo apartarme de tu "mira" (se me clava en los ojos...)


Y tu "mira" se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"
Se me clava en los ojos como una "espa"

Y tu "mira" se me clava en los ojos como una "espa"...

(Tu Mirá de Lole y Manuel )

7 comentários:

  1. madame, não estou acostumado a este tipo de música, mas confesso que gostei.

    gostei mais ainda da sua reflexão a partir dela.

    e o tarantino é foda. o cara conhece tudo que é bom a respeito de cinema, música e cultura em geral. meu ídolo.

    bjos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Bruno,

    Esta música de Lole y Manuel faz parte do estilo flamenco mais tradicional mesmo, bem mais antigo por isso mais raro, até pelo estilo de cante(canto) de Lole mais arrastado. Gosto mesmo do impacto desta música neste "face to face". Tarantino é muito foda mesmo, após o côro da música, eis que surge a guitarra flamenca e as palmas com uma derrapagem do carro. Fico louca com isso, fora que ele é muito cultural mesmo, pegar uma música flamenca das antigas que fala "seu olhar clava em meus olhos como uma espada", tudo a ver até com a espada da noiva. Putz! Nosso ídolo! bjs

    ResponderExcluir
  3. Ah, essa latinidade nossa de cada dia... rsrs
    ótima escolha Madame. Um daqueles raros casos de música que traduzem um filme a primazia.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Madame,
    bela canção para um filme romântico.

    E não é que o Tarantino foi capaz de fazer um filme apaixonante!

    "Kill Bill is Love."

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Reinaldo, esta latinidade é tudo, não é mesmo? Eu não trocaria minha veia e sangue latinos por nada neste mundo. bjs!

    Oi Rodrigo: Kill Bill is love... e Tarantino coloca isso de uma forma tão diferenciada que há pessoas que custam a entender isso. Que bom, o senso comum seria um erro! bjs

    ResponderExcluir
  6. Deliciosamente latina como delicioso és o aspecto tórrido fatal do filme!

    Kill Bill marcou!

    Mamba Negra me define! rs

    ResponderExcluir
  7. Mamba Negra. Hmmm, preciso conferí-la para compará-la com você. Rs! Me faz lembrar de pimenta negra Rsrs!
    bjs!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière