sábado, 13 de fevereiro de 2010

O Segredo dos seus Olhos (El Secreto de sus Ojos) - 2009

Indicado Oscar 2010 - melhor filme estrangeiro
Resenha integrante da Maratona Oscar 2010
por MaDame Lumière.
Glamourize-se antes da premiação
com MaDame.



O Segredo dos seus olhos
, uma produção Argentina-Espanha com a assinatura do sólido Cinema Latino Americano de Juan José Campanella (de O Filho da Noiva e Clube da Lua) que, neste longa metragem, mais uma vez consolida sua parceria com o excepcional ator Ricardo Darín é um daqueles raros suspenses bem roteirizados envolvendo um misterioso assassinato que se mistura com traços de um contexto sócio político argentino de corrupção e violência, uma história de amor contida, dramáticos questionamentos de um homem sobre o seu passado e uma reflexão intimamente existencial a partir de suas memórias. Ambientado em Buenos Aires em 1974, época do Peronismo de Isabel Perón, e adaptado do romance La Pregunta de sus Ojos de Eduardo Sacheri, o filme aborda a história de um ex oficial de justiça penal Argentina, Benjamín Expósito (Ricardo Darín, excelente) que, após aposentar-se, decide escrever um romance baseado em um caso criminal arquivado há mais de 25 anos atrás, no qual a bela e jovem Liliana Coloto (Carla Quevedo), esposa de Morales (Pablo Rago) e antiga colega de juventude de Gómez (Javier Godino) é estuprada e morta violentamente. Jazendo lá morta, nua, ensanguentada e com os olhos abertos, cujo segredo sobre quem é o assassino ela leva junto à morte, Benjamín se vê envolvido a desvendar o crime em favor da justiça, em meio à impunidade da Argentina dos anos 70. Após ver dois imigrantes inocentes acusados injustamente do crime pelo corrupto Molinari (José Luiz Gioia), Benjamín está disposto a investigar paralelamente o assassinato apoiado por seu amigo Pablo Sandoval (Guillermo Francella,em estupenda performance) e sua chefe Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil, maravilhosa), mulher pela qual Benjamín nutre um verdadeiro e contido amor.




O longa metragem é dividido
em dois planos narrativos, presente-passado. No primeiro, Benjamín inicia a investigação novamente, começa a escrever o romance interagindo com Irene (que o lê e apoia a aventura novelística de Benjamín) e que, agora, já está casada com outro homem, com filhos e uma família estável. No segundo, há um flashback das ações de investigação após o assassinato.
O Segredo dos seus Olhos foi indicado ao Oscar 2010 como melhor filme estrangeiro e está na disputa com dignidade pelo prêmio máximo do Cinema (mesmo que não ganhe do favoritismo de A Fita Branca, de Michel Haneke). É um filme digno de nomeação pela Academia porque Juan José Campanella escreveu um roteiro bem entrelaçado nas características acima sem negligenciar a amarração e a harmonia entre as partes, e ainda apresentando excelentes enquadramentos em um plano de imagens sequenciais sinérgicas entre si e exaltadas por uma competente fotografia realista. Além disso ele se mantem fiel ao seu texto autoral impregnado de existencialismo, humor latino(com direito aos velhos e recorrentes palavrões) e pequenos grandes detalhes sobre a conjuntura sócio-política argentina e, ainda consegue enquadrar uma sensível história de amor que nem o tempo conseguiu desgastar. A participação de Guillermo Francella (Pablo Sandoval) como o alcóolatra amigo de Benjamín é maravilhosa porque, além de ser um dos principais comediantes da Argentina e ter mostrado um lado cômico e marginal em cenas incríveis com Ricardo Darín, Francella está espontaneamente verossímil em uma Argentina de 1974, mergulhada na injustiça e na corruptível natureza conservadora do Governo Perón, ele representa um homem contemporâneo para a época, um homem bom e honesto que só deseja viver loucamente sua própria paixão pela bebida, ele bebe muito porque, segundo afirma, esta é a paixão dele, ele gosta de ir aos botecos e ficar bêbado, brigar com aqueles que o sacaneiam (e o prazer aqui , em uma época assolada pela violência política e social, é uma paixão ainda mais aflorada, uma fuga existencial que é compreensível). Sandoval também é responsável por verbalizar uma das mais sábias frases para o entendimento deste filme que servirá como catalisador na descoberta da verdade por Benjamín durante a investigação presente do crime: "As pessoas podem mudar tudo: de cara, de casa, de família, de namorada, de religião, de Deus, mas há uma coisa que não se pode mudar, Benjamín. Não se pode trocar de paixão."



Campanella merece palmas por manter a qualidade do Cinema Argentino e entregar um dos filmes mais aclamados pelo povo Argentino, representando-nos enquanto América Latina no Oscar 2010, em especial considerando que é um desafio trabalhar um roteiro em dois planos de narrrativa presente-passado, ressaltando focos narrativos que misturam não ficção e a ficção, a realidade e o romance escrito baseado em memórias, definitivamente o passado e o presente que se conciliam em um momento da vida de Benjamín. Por muitas vezes, eu, como espectadora me enveredei neste roteiro no qual eu tinha dúvidas exatamente se um fato aconteceu e/ou não aconteceu, se o escritor vivenciou aquele acontecimento ou uma parte do mesmo foi apagado em sua memória cheia de incertezas ou se, determinada cena, foi criada para dar coesão ao seu romance, no entanto, independente disso, a sensação como espectadora é genial, ver estes planos mesclados com tensão e instigante contemplação sem perder a harmonia entre eles. Nesse aspecto, está a suprema competência de Juan José Campanella em mesclar o romance escrito que é inspirado por um passado questionador e que ficou em suspenso, tanto no desfecho da investigação quanto da história de amor entre Irene e Benjamín. Ao assistir O Segredo dos seus Olhos, eu lido com as memórias de alguém, com um homem que tenta encontrar respostas para o seu próprio presente, muito além de retornar à investigação. Para isso, todos os desdobramentos da morte de Liliana, em especial o amor de Morales por sua esposa morta, o catalisarão a evoluir neste romance, a rever sua relação com Irene. Irene, o nome da canção musa da magnífica música de
Federico Jusid.



O Segredo dos seus Olhos é um suspense e, de forma suprema, ele se mantém um suspense até o seu desfecho, por isso ele também será um suspense em MaDame Lumière que deseja arduamente que você se envolva nesta jornada entre passado e presente, com ótimos atores, roteiro, fotografia, direção, trilha sonora e maquiagem, ou seja, puro prazer cinematográfico. Qual será o desfecho desta investigação? Qual será o desfecho da vida de Benjamín em sua experiência como escritor e em seu drama amoroso?. De fato, será impressionante, sensivelmente tocante assim como o cinema de Campanella. Sabe qual é a beleza deste filme além da história de amor silenciada e que capturou minha sensível adoração ao trabalho de um dos meus cineastas preferidos na América Latina? É que Juan José Campanella resgata a reflexão existencial a partir de um passado, a partir do que deixou de acontecer lá, e consequentemente no presente, por uma escolha do passado ou por simplesmente um fatal destino. Campanella sempre o faz em seus filmes e a forma como ele o expõe é fascinantemente honesta, principalmente a partir de Irene e Benjamín, sempre silenciados neste amor, em seus papéis de chefe e subordinado, de distanciados através de um atual casamento, separados há mais de 30 anos.



Durante as mais de 2 horas de exibição, imperceptíveis, somos projetados ao drama de Benjamín, ao drama do amor que é guardado como um segredo nos olhos. O olhar é um elemento importante da película, ele é um protagonista que denuncia o sentimento contido ainda que, ambiguamente, o reserve no mais íntimo dos protagonistas, como se o olhar quisesse falar algo silenciado pelas palavras. A forma quimicamente hesitante como Ricardo Darín e Soledad Villamil se olham é magnífica e digna de se dizer: "Essa é a emoção que se lê nas imagens do Cinema", principalmente em uma das mais belas cenas do filme no qual eles estão em uma estação de trem. Naquele momento, a sutileza das interpretações, estranhamente impregnada por uma forte carga emocional que encontra aceitação em si é formidavelmente mimética. Quantas vezes desejamos dizer algo naquele adeus que, mesmo não contextualizado como uma despedida, é um adeus à oportunidade de dizer o que sentimentos no amâgo de nossas emoções? O olhar diz tudo, as lágrimas e o acenar da mão também. Eles dizem o que o coração é incapaz de verbalizar, eles dizem o segredo que o coração guarda nos olhos.


Avaliação MaDame Lumière





Linda trilha sonora da Banda Sonora de Federico Jusid





Título original:
El Secreto de sus Ojos
Origem:
Argentina, Espanha
Gênero:
Drama,Suspense
Duração:
127
min
Diretor(a):
Juan José Campanella

Roteirista(s): Juan José Campanella . Adaptação do Romance La Pregunta de sus Ojos de Eduardo Sacheri
Elenco: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago, Javier Godino, Guillermo Francella, José Luis Gioia, Carla Quevedo, Bárbara Palladino, Rudy Romano, Mario Alarcón, Alejandro Abelenda, Sebastián Blanco, Mariano Argento, Juan José Ortíz, Kiko Cerone

7 comentários:

  1. tenho certeza que vou gostar desse filme...
    quem não quer se emocionar com um filme, né?

    bjos!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Bruno: Acho que você vai curtir. Esta parte investigativa com a parte política lembra muito a literatura Argentina de influências de Ricardo Piglia, por exemplo, logo o vejo com cara de Campanella e cara de América Latina. bjs!

    ResponderExcluir
  3. Há muito tempo a Argentina já se consolidou como a principal cinematografia do cinema laitino americano. Rivaliza com o México pelo status de melhor aqui do lado de baixo da linha do equador.
    Gosto do cinema do Campanella. Achei a premissa do filme bem interessante. Vou ver se eu consigo ver esse antes do Oscar. Vi A fita branca ontem. Excelente. Um dos melhores filmes que vi nos últimos tempos. um primor de narrativa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá Reinaldo, concordo totalmente com você. O cinema Argentino tem uma qualidade excepcional e um estilo muito próprio que dá conta de sua marca na América Latina. Gosto demais de Campanella e volte aqui para contar-me o que achou do filme.

    Vou assistir a fita branca esta semana (espero que dê certo). Tenho ouvido ótimos elogios. bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Madame, bela crítica! Ainda sou desconhecido do Cinema Argentino! Que eu me lembre não assiti nenhum ainda! Mas, agora que tenho o blog, vou ter que começar essa relação!! E logo!!

    Acho que O Segredo dos seus Olhos pra começar vai ser bom não?? Quero ver se assisto essa semana!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Eri, obrigada!

    Sim, comece pelo cinema de Campanella que também traz algumas mensagens excelentes para nossa existência humana. Fundamental assistir Clube da Lua e o Filho da Noiva, pra começar e, claro, o segredo dos seus olhos já fazendo um esquenta pro Oscar. Se não encontrar na locadora da sua casa, baixe da internet. Nem sempre estes filmes europeus e latinoamericanos são facilmente achados em locadores de bairro, caso a sua seja uma destas.

    Depois me conte como foi a experiência. Adoraria saber sua opinião.

    bjs!

    ResponderExcluir
  7. Ótima Crítica acima, Parabéns!

    Devo ter assistido uns 50 filmes esse ano e poucos eu revi tanto como esse maravilhoso filme Argentino.
    Fui atraído pela presença de Ricardo Dárin, ator que me tornei fã quando assisti Nove Rainhas(outro filmaço) e me deparei com um roteiro bem preciso e surpreedente e uma atuação iluminada do Guilhermo Francella(todo elenco está muito bem).
    Enfim, um grande filme para ver e rever.
    Abraço a todos.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière