domingo, 2 de novembro de 2014

Sob o céu de Líbano (Le cerf-volant / The Kite ) - 2013







Vencedor do Grande Prêmio do Júri do Festival de Veneza em 2003, Sob o Céu do Líbano é um filme sobre um amor proibido no desabrochar da maturidade da jovem Lamia (Flavia Bechara) e ocorre em um cenário de conflito na fronteira entre Líbano e Israel. Prometida ao casamento com seu primo Sami (Edmond Haddad), Lamia  vive em um vilarejo Libanês e é uma garota de personalidade destemida e que não aceita essa condição. Mesmo após o casamento com Sami, ela se rebela com essa forma convencional de matrimônios arranjados e desenvolve um afeto por um soldado do exército Israelense Yousseff (Maher Bsaibes), um amor inocente e platônico pois não podem conversar, se tocar e ter qualquer tipo de aproximação. 


A narrativa é construída com um equilíbrio entre o foco na jovem protagonista e seu comportamento mais rebelde e isolado e outros planos nos quais a família dele e do esposo conversam por megafones, ressaltando as negociações e o fracasso do casamento assim como o espírito do conflito entre as fronteiras que dividem povos  e os impedem de conversar pessoalmente.  Tal contexto, embora filmado de forma mais discreta e com momentos mais inusitados e bem humorados, dá um tom de drama aprisionante na vida dos jovens. É praticamente um amor de Romeu e Julieta no Cinema Libanês mas sem muita força dramatúrgica no desenrolar do roteiro, um dos seus maiores pecados e que não o tornam um excepcional filme. A ideia é boa e pertinente às tensões com Israel e a tradição local que decide o destino dos jovens porém ainda é um filme sutil e que trabalha o conflito da protagonista com mais melancolia e menos originalidade. O público só tem a lamentar o peso social imposto à jovem Lamia e, principalmente sua tragédia pessoal pela desonra no auge de sua jovialidade. 


Apesar de não ser um filme top e não conquistar facilmente, Sob o céu do Líbano oferece uma oportunidade de olhar as produções do Líbano  e perceber essa atmosfera  mais poética e impregnada de impossibilidades, o uso de trilha sonora regional e melódica que tem uma função importante nos silêncios e palavras que não podem ser ditas abertamente na cultura e a atuação da jovem Flavia Bechara, cuja beleza natural e serena dá um toque mais contemplativo à película.  No mais, basta ao público admirar a sequência final que evoca uma bela metáfora visual que é possível amar em sonho mesmo quando as fronteiras reais permanecem.





Ficha técnica do filme ImDB Sob o céu do Líbano


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière