sexta-feira, 7 de maio de 2010

Um Filme, uma canção: Edward Mãos de Tesoura (Edward Scissorhands - 1990), The Ice Dance, de Danny Elfman)

Um filme, uma canção por Madame Lumière
a combinação inesquecível para uma nostálgica emoção




Se há uma parceria de sucesso que se aproxima a de Tim Burton com Johnny Depp, essa é a parceria entre Tim Burton e o compositor Danny Elfman, o qual assina trabalhos musicais para filmes do excêntrico diretor, como o último Alice no País das Maravilhas, recém estreado no país. A inesquecível trilha sonora do comovente e lírico longa-metragem Edward Mãos de Tesoura (1990) se ajusta perfeitamente bem tanto a essa sensível obra prima do Cinema TimBurtoniano e à sinérgica parceria dessas brilhantes mentes como também ao dócil e criativo Edward, interpretado pelo talentoso Johnny Depp, e o mundo mágico e solitário que ele vivencia e faz com que o vivenciamos através dessa nostálgica película.





No score do filme, a canção The Ice Dance é uma peça musical formidavelmente sensível e amorosa, evocando uma atmosfera de sublime e surreal encanto, de introspectiva e triste reflexão, de delicada entrega ao drama de Edward, e é de uma gentileza aos ouvidos, à alma e ao coração. Além disso, é uma adorável canção de amor, imortalizando a presença apaixonante de Edward e Kim (Winona Ryder), um lúdico casal "conto de fada" na história do Cinema e, trazendo às memórias a dança no gelo de Kim, com os flocos de neve dançando naquela atmosfera de sonhos, na qual o gentil e inocente Edward realiza maravilhosas esculturas de gelo.





Amo muito essa canção e, sempre ao ouví-la, é como se eu pudesse abraçar Edward, amá-lo, compreendê-lo e ser amada por sua docilidade. É
como se eu reconhecesse sua estranha e mágica personalidade e ela criasse em mim um imediato processo de identificação, ser capaz de amar, tornar o mundo mais bonito e também machucar-me e machucar os outros sem, necessariamente, querê-lo. Como muitos dos amantes do cinema, emociono-me muito ao escutar essa canção, em um misto de um encantador momento e uma dor no peito. O fato de Edward não receber as mãos que o possibilitariam tocar Kim sem machucá-la é um triste destino, mas por outro lado, sem as tesouras como ele poderia embelezar o mundo ao seu redor? Como ele poderia fazer-me dançar no gelo, no mais sublime dos meus sonhos cinematográficos? Como ele poderia fazer-me dançar no gelo, fugindo para meu mundo lúdico, fugindo da mais fria realidade?





The Ice Dance, de Danny Elfman




Confira também essa deslubrante versão em piano

3 comentários:

  1. Ah, Madame

    Este filme é lindo, meigo e mágico. O trabalho mais singelo, expressivo e sensivel do Tim Burton, não concorda? Eu assumo aqui: considero uma pequena obra prima que jamais envelhece...

    Essa canção me proporciona um sentimento de paz, de amor e há uma sentimentalidade nela...a cena é realmente marcante, eu considero um dos melhores momentos do filme e, talvez, uma das cenas mais marcantes do Cinema...é de uma perfeição tocante.

    Ah, gosto muito da interpretação de Depp neste filme...até Winona é convincente e atua muito bem, não acha?

    A trilha sonora realmente contribui pra "surrealidade" do filme...e conseguimos sentir também os personagens...

    beijos sonoros pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Sem nenhum exagero, choro toda vez q ouço essa música e a vejo casada com a cena do Depp e da Ryder nesse filme. É uma das primeiras lembranças q tenho de uma história q toca a alma no cinema.

    ResponderExcluir
  3. Só de pensar nesta canção, começa a sair lágrimas de meus olhos, rsrs. Belíssima, assim como o filme, que em minha opinião, é o melhor do Tim Burton.

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière