sexta-feira, 28 de maio de 2010

Um Filme, uma canção: Uma Secretária de Futuro (Working Girl - 1988 ) , Let the river run, de Carly Simon

Um filme, uma canção por Madame Lumière
a combinação inesquecível para uma nostálgica emoção




Mike Nichols
, celebrado diretor por excelentes filmes como A primeira noite de um homem e Closer - Perto demais entregou-nos em seu legado cinematográfico um dos filmes mais adoráveis da década de 80 no que se refere a temas como à dedicação ao trabalho, o espírito de superação de desafios e o foco na carreira e, entrega uma adorável comédia, Uma Secretária de Futuro, com um elenco de peso: Sigourney Weaver, Harrison Ford, Melanie Griffith , Alec Baldwin e Joan Cusack. Para complementar a produção, a canção Let the river sun de Carly Simon ganhou o Oscar de melhor canção original em 1988 e virou hit inesquecível da cantora. Let the River run é mais um exemplo de uma canção tema que é imediatamente associada ao filme e compõe a alma musical do longa. É impossível não lembrar da secretária Tess McGill (Melanie Griffith), de como era o seu visual super pop cabelereia nos anos 80 e, pouco a pouco, ela foi se superando além da aparência física. Torna-se mais impetuosa, bonita, sofisticada, decidada, inteligente e segura em suas ações, então é como vê-la "deixando o rio correr" para desembocar sua vida em águas calmas, no alcance de um sucesso profissional sólido e bem merecido. Além disso, ela lida com a insuportável chefe Katherine Parker (a maravilhosa Sigourney Weaver, em um papel diferente de ficções científicas como Alien) que é namorada do charmoso Harrison Ford no papel de Jack Trainer o qual se apaixona por Tess. Uma comédia simples em seu enredo, porém cheia de momentos que se relacionam com grandes verdades do meio corporativo.





Embora a letra de Let the River Run tenha um texto mais espiritualizado, com trechos como "acorde a nação, deixe o rio correr a Nova Jerusalém e estão pedindo provação", esqueçamos a letra e pensemos no seu tom melódico, sua música. É muito empolgante, alegre, otimista, motivadora e é isso o que importa para ter se tornado um canção agregadora à proposta de Uma Secretária de Futuro pois ela ilustra essa energia de superação de Tess. Lembro-me que, quando assistia ao filme na minha adolescência, ouvir Let the River Run sempre me elevava para um estado de espírito de que eu poderia conseguir o que eu quisesse na minha vida contanto que eu trabalhasse com paixão, fé e honestidade, acreditando em meu potencial, deixando esse "rio fluir dentro de mim", aprendendo a ser mais profissional expondo minhas idéias e opiniões no meu ambiente de trabalho, não me rebaixando perante os desafios, agindo integralmente perante os conflitos. Mesmo que eu ainda fosse muito jovem e nunca havia trabalhado, Tess McGill me projetava uma imagem de que eu seria feliz na minha carreira, que eu não temeria ninguém que quisesse me prejudicar, que eu não me afundaria perante as dificuldades, que críticas destrutivas e "puxadas de tapete" viriam mas o mais importante era eu superar-me a cada dia sem ferir meus valores e minhas crenças e, principalmente, nunca desistir. Por isso, com momentos de águas rasas e profundas em minha vida, eu sigo acreditando em mim, em meus talentos, em meu potencial. Ouvir essa canção e lembrar do filme só validam que a gente nunca pode deixar ninguém dizer que a gente não é capaz de fazer algo e nunca será capaz de conseguir realizar nossos projetos. Todos têm futuro, basta nunca desistir de si mesmo.



4 comentários:

  1. Já assisti a este filme algumas vezes, mas confesso que não me lembrava dessa música.

    ResponderExcluir
  2. Oi Kamila,
    Se eu não me engano, ela toca no final quando Tess está na sala dela.

    ResponderExcluir
  3. Sabe que nunca vi esse filme? Preciso...

    ResponderExcluir
  4. adoro esse filme pos ele mostra q tudo e possivel ,e essa musica que toca no decorre do filme e maravilhosa

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière