segunda-feira, 24 de maio de 2010

Cine Família: Estão todos bem (Everybody's Fine) - 2009



Refilmagem do longa-metragem italiano "Stanno tutti bene(Estados todos bem)" do aclamado cineasta Giuseppe Tornatore (de Malena e Cinema Paradiso), Estão todos bem traz Robert de Niro em mais uma comédia, desta vez, com uma abordagem familiar e um pouco dramática. Ele é Frank, aposentado, viúvo e pai de quatro filhos, a dançarina Rosie (Drew Barrymore), a publicitária Amy (Kate Beckinsale), o músico Robert (Sam Rockwell) e o artista David (Austin Lysy). Frank é o espelho daquele tipo de pai que se encontra solitário após a morte da mulher e que criou os filhos a vida inteira e exigiu o melhor deles, até que um dia todos se casam e/ou decidem morar sozinhos e ficam espalhados em vários cantos do país. Frank vê na possibilidade de rever os filhos um grande momento, mas nem tudo são flores quando os filhos saem da aba dos pais.





Impossibilitados de vir visitar o pai em um final de semana combinado, os filhos de Frank cancelam o compromisso familiar. Frank decide desobedecer as ordens médicas e parte em uma jornada de um pai em busca de visitar os saudosos filhos, e se conectar com os mesmos já que, quem era mais próxima ao diálogo com os filhos era sua falecida esposa. A cada encontro com os filhos, como um bom pai, Frank deseja saber se "Estão todos bem", um mote que, aliás, é básico quando os filhos saem de casa. Qualquer pai ou mãe que se preze deseja saber se os filhos estão bem e, na verdade, nem sempre tudo está tão bem quanto as aparências por isso, à medida que Frank visita os filhos, ele também se autodescobre como um pai que exigiu demais deles e que acabou sendo poupado dos problemas reais, afinal, a própria esposa de Frank era uma mãe conciliadora e canalizava os problemas dos filhos.





Sob o ponto de vista familiar, "Estão todos bem" é uma película bem agradável porque se torna um retrato do que realmente acontece às famílias, principalmente porque um pai e/ou uma mãe cria os filhos para o mundo, não para eles. Muitas vezes, as expectativas de sucesso colocadas nas costas dos filhos, mesmo que duras, não é em si uma cobrança devastadora, mas somente o desejo de que todos estejam realmente bem e tenham uma vida digna. Muitas vezes, os filhos também querem poupar os pais de problemas, afinal os pais já batalharam bastante na vida, já estão em idade avançada, logo, mesmo que "Estão todos bem" não é um filmaço, é um filme genuinamente nobre em seu argumento, tem uma bela canção composta por Paul McCartney e um elenco bem atrativo que faz o que lhe é proposto, então, por si só, o longa já vale um Cine Família. Após assistir o filme, você pensará muito mais nos seus pais e em seus(suas) irmãos(irmãs) e como, apesar das contendas naturais à qualquer família e das diferenças entre seus membros, todos nós queremos que todos estejam bem, enfim, é bom saber que estão todos bem.



Avaliação MaDame Lumière



Título original: Todos estão bem
Origem: EUA, Itália
Gênero: Drama
Duração:
99 min

Diretor(a): Kirk Jones
Roteirista: Kirk Jones, Massimo De Rita, Tonino Guerra, Giuseppe Tornatore
Elenco: Robert De Niro, Drew Barrymore, Kate Beckinsale, Sam Rockwell, Lucian Maisel, Damian Young, James Frain, Melissa Leo, Katherine Moennig, Brendan Sexton III, James Murtaugh, Austin Lysy, Chandler Frantz, Lily Mo Sheen, Seamus Davey-Fitzpatrick

5 comentários:

  1. Nossa Madame, você leu os meus pensamentos! rs
    Desde quando eu vi o trailer deste longa, eu fiquei louco para conferir, eu adoro filmes famílias, ou seja, é pra mim esse filme! rs
    Bjs=)

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a crítica madame.Tenho interesse em conferir esse filme. Cine Família sempre me apetece. O melhor de tudo, e recuperando algo que já abordamos e que vira e mexe alguém futuca indevidamente ou no meu ou no seu blog, vc avaliou o filme em sua devida perspectiva. O que representa um dos pilares da boa crítica.

    Bjs e parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Oi Alan
    Saudades de ti, viu!? Em breve apareço lá no Cinema Público.
    É um filme gostoso de assistir, faz a gente refletir sobre esses lances familiares. Enjoy the session!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Reinaldo,

    Obrigada pelo sábio comentário. É isso mesmo, tudo o que quero é "sentir a emoção do filme" e não tirar os meus pés do chão com relação à perspectiva de cada longa-metragem. Mesmo com nossos estilos diferentes de escrever, uma coisa é fato: tanto o Claquete quanto o MaDame Lumiere respeitam essas perspectivas e extraímos o melhor do filme, isso é o que importa.

    Lembro-me que li algo sobre ti, que vc preza bastante pela família, então você vai gostar de assistir esse filme, eles expõem algo recorrente nas famílias e é colocado de uma forma agradável.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. É verdade madame. Sou cara muito família e sensível ao seu significado. Feliz por sua lembrança. Bjs

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière