sábado, 22 de maio de 2010

Um Filme, uma canção: O Clã das Adagas Voadoras (House of Flying Daggers - 2004), Lovers, de Kathleen Battle

Um filme, uma canção por Madame Lumière
a combinação inesquecível para uma nostálgica emoção




O cinema chinês de Zhang Yimou (de Lanternas Vermelhas e Héroi) sempre me encantou, não só por ter se tornado uma referência mais "acessível" do Cinema oriental trazendo grandes atores como Zhang Ziyi, Jet Li, Takeshi Kaneshiro, Andy Lau e Tony Leung , mas também porque ele consegue absorver em seus filmes o sublime aspecto afetivo dos orientais divididos entre o emotivo e o racional de suas escolhas e, dessa forma, rendendo algumas boas histórias de amor e de heroísmo que se tornam também histórias trágicas; uma das mais belas tragédias do Cinema chinês é o Clã das Adagas Voadoras (Shi mian mai fu), um filme belíssimo no qual eu tenho inestimável apreço.





O filme absorve o caratér épico da China de 859 que vivencia um momento dinástico decadente no qual insurgem grupos heróicos que lutam contra o governo corrupto, um deles o Clã das Adagas Voadoras que tem como uma das melhores rebeldes, a bela e cega Mei (Zhang Ziyi) que está na mira de dois soldados Leo (Andy Lau) e Jin (Takeshi Kaneshiro). O longa une ao épico o romance conflituoso de um triângulo amoroso formado por Mei, Leo e Jin que lutam não só em prol de suas responsabilidades sociais mas lutam contra seus sentimentos amorosos já que Mei e Jin se apaixonam perdidamente e pertencem a lados opostos, além de Leo ser obsessivamente apaixonado por Mei. Jin e Mei são os Lovers, os amantes da magnífica canção de Kathleen Battle que a interpreta de uma forma poeticamente sublime com sua suave voz soprano. Um primor clássico!







Lovers
é um música que, em seu embrião melódico, amoroso e trágico, é uma bela canção que declara o amor de Mei e Jin, é praticamente a confissão de um amor eterno entre eles, a ver pela letra: "Então eu sonho repetidamente, que você está me abraçando sob as estrelas, e eu fiz uma promessa para o meu querido senhor, eu o amarei para sempre". Mei fez uma escolha. Jin fez uma escolha. Ambos escolheram o amor acima de seus ofícios e, muitas vezes, escolher o amor é como morrer na tragédia e viver esse amor na eternidade de doloridas emoções; por isso ouvir
"Sua voz ainda ecoa no meu coração, você é o meu verdadeiro amor" encontra ressonância direta nas emoções com relação ao filme. Na impossibilidade deles viverem esse amor, é a canção que resta a ser ouvida e sentida no contexto do filme como uma promessa de fidelidade de amor eterno entre os amantes. Definitivamente, Lovers é como uma adaga, que não só belamente perfura os ouvidos com uma melancólica canção de amor, mas perfura os corações românticos que sempre lembrarão de Mei e Jin.


3 comentários:

  1. Bela escolha madame. Tanto a meção ao filme de Yimou (meu cineasta chinês preferido), quanto a bela canção. Um épico de ação que tb é um épico sobre o amor.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Reinaldo,
    Obrigada! Gosto bastante desse filme do Yimou. Eles são demais, não é mesmo? Filme e diretor. Gosto muito de épicos orientais e, em especial, essa poesia a partir das imagens que existe no cinema chinês. Sobre a canção, é uma maravilhosa canção de amor.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Adoro o filme e, obviamente, a música. Particularmente, sou apaixonada pelo Takeshi Kaneshiro, simplesmente, muito gostoso!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière