domingo, 23 de agosto de 2015

Românticos Anônimos (Les émotifs anonymes - 2010), de Jean-Pierre Améris




Quando alguém se apaixona e é tímido, como conquistar a pessoa amada? Eis o primeiro desafio. E quando a pessoa amada também é tímida? O desafio é redobrado. Se ambos tem a chance de conversar e se conhecer, o desafio é acompanhado por situações de autodescobertas e, se ambos tiverem sorte, a dois, muitas vezes hilárias. Com direção de Jean-Piere AmérisRomânticos Anônimos (Les Emotifs Anônimos, 2010) é uma adorável comédia Francesa que nos apresenta dois encantadores personagens patologicamente tímidos: Jean René (Benoît Poelvoorde) e Angélique Delange (Isabelle Carré). Não são qualquer tipo de tímido: São demasiado emocionais. Eles têm uma timidez crônica que precisam fazer tratamentos como terapia e grupo de ajuda. Aí está um dos charmes da história.





Jean René é dono de uma fábrica de Chocolate e está lidando com um grande problema na empresa: uma iminente falência dos negócios. Seu chocolate é tradicional e não agrada mais os clientes. Não há nenhuma inovação do produto à vista. Ele contrata Angélique como vendedora, porém, ela não é especialista comercial e ainda guarda um grande segredo por causa da sua dificuldade de se expor diante dos outros. Imagine a situação divertida! Eles mal conseguem se comunicar e, por incrível que pareça, o destino os colocou frente a frente pois são amantes e conhecedores das delícias do chocolate.  Vão conseguir vencer a timidez e salvar a empresa? O que o destino reserva aos dois?







Essa é uma encantadora comédia bem afrancesada, partindo da belíssima direção de arte que cuida dos pequenos detalhes das cores, locações, móveis e demais objetos do ambiente e cria uma atmosfera charmosa e sensorial que se assemelha, em partes, com o estilo de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. Lado a lado, está o figurino e a fotografia que casam perfeitamente com essa direção. Como um dos diferenciais, o filme apresenta uma agradável trilha sonora composta com uma incrível sensibilidade e bom gosto para acompanhar a narrativa e combinar com várias cenas, com destaque para J'ai confiance en moi, cantada por Isabelle Carré, Les Yeux Noir com Elisabeth Anäis e Big Jet Place dos músicos cool Angus e Julia Stone. 



Românticos Anônimos é como levar o público para um pedacinho doce e delicioso da França, como apreciar uma bandeja de variados chocolates e ser servido com uma história degustativa que combina romance com riso, e uma caótica timidez que coloca Jean René e Angélique em situações  de teste. A história é muito mais do que uma mera comédia romântica e toca em temas como superação, confiança e autoestima.







As atuações de Isabelle Carré e Benoît Poelvoorde são carismáticas e conquistam pela doçura do jeito de ser de cada um.  Ambos têm uma química peculiar e engraçada porque são atrapalhados, confusos. Eles tentam a todo o momento vencer a timidez, ficam tensos e envergonhados e é perceptível o quanto eles também sofrem com ela. Esse tipo de personagem é de difícil interpretação porque tem que equilibrar a desenvoltura cômica com a timidez, a tentativa de superar o medo com as dificuldades de fazer escolhas seguras. Os atores conseguem andar por essa corda bamba dos personagens com competência. O resultado é uma graça, tem sabor de chocolate com recheio de Amor.





Ficha técnica do filme ImDB Românticos Anônimos




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière