quarta-feira, 12 de agosto de 2015

GERONIMO (2014), de Tony Gatlif



Por Cristiane Costa



Se Robert Wise realizou "Amor, Sublime Amor" (West Side Story, 1961) e Baz Luhrmann dirigiu uma versão cool de Romeo e Julieta (1996) e registraram na História do Cinema memoráveis canções e atuações sobre o drama do amor proibido entre jovens de famílias rivais, com GERONIMO,  Tony Gatlif  escreveu um roteiro para a revisitação desse amor. Para transformar seu filme em uma experiência marcante e com a marca de seu estilo e apurado bom gosto pela World Music, incluiu recorrentes paixões e influências étnicas e culturais de sua filmografia como as músicas ciganas e o Flamenco. Com um apelo de fusão de ritmos e sons, acrescentou música turca e um elemento mais jovial, urbano e contemporâneo da dança, o street dance (dança de rua) com batidas do hip hop. 




A história traz fortes tensões relacionadas a diferenças étnicas, conflitos entre gangues locais e um apelo de defesa da honra e da família com uso de violência. Nil (Nailia Harzoune) e Lucky (David Murgia) são dois belos e intensos jovens, estão loucamente apaixonados um pelo outro e pertencem a famílias inimigas. Ela é de uma família de origem Turca e abandona um casamento arranjado. Ele é de etnia cigana e está disposto a tudo para ficar com ela. Após ambos fugirem juntos, as hostilidades entre as famílias aumentam com perigosas provocações que colocam em risco a vida dos amantes, de seus irmãos e amigos.  





No meio dessa vizinhança está GERONIMO (Céline Sallette), uma educadora de origem espanhola que cresceu no local, conhece os jovens violentos da região e está adaptada a lidar com os diferentes clãs e tipos de sujeitos.  O mais problemático é o irmão de Nil,  Fazil (Rachid Yous), totalmente intolerante e vingativo por questão de honra familiar. A falta do pai e a fuga da irmã lhe traz uma responsabilidade maior como homem, assim ele se sente no direito de se enfurecer e se comportar como um delinquente.  Por outro lado, Geronimo age como uma diplomata e inspira confiança, porém, em um momento crítico como o amor proibido que irrita as famílias de Nil e Lucky, como Geronimo age e é tratada por esses inimigos? Sua personagem é o ponto de equilíbrio da narrativa e a razão de ser do filme, assim, ela é marcante,  desempenha o papel de corajosa mediadora e representa a humanidade e a esperança em um ambiente violento. 


Em mais um filme passional, assim como Amarga Vingança (VENGO, 2000), GERONIMO apresenta clãs em conflito e com espírito de vingança. A função do roteiro não é explicar didaticamente os motivos das hostilidades, sendo assim, o público é jogado abruptamente em uma história que começa frenética e tensa, o que funciona como uma injeção de adrenalina na veia.  O roteiro segue um padrão musical, com um minucioso e vibrante  design de som, espirituosa fusão de ritmos e danças,  assim como  Tony Gatlif decupa planos que usam referências cinematográficas comuns no universo de brigas de rua entre inimigos como uso de faca, armas de fogo, incêndio e atitudes intempestivas como acessos de fúrias e tentativas de agressão entre personagens que se refletem no incômodo som, em algumas vezes, caótico.






Como um bom musical, a trilha sonora tem que atuar como um excelente personagem e ter um brilho único, peculiar. É o que acontece aqui. Composta por Delphine Mantoulet, Tony Gatlif e a participação do filho do diretor, Valentin Dahmani, o score acompanha a dramaticidade da história e tem como base uma mescla de musicalidades que enriquecem e evocam esse universo multiétnico. Canções como Coup de Feu e La Moto atuam na narrativa como um som diegético, cooperando para fundir a ação dos personagens  à música e tornando som e movimentos mais realistas, viscerais. Além disso, o cineasta não se esquece de sua paixão pelo Flamenco e suas origens ciganas, como inicialmente dito. Introduz canções com belos cantes espanhóis como Indestructible, interpretada por Tomasito, e Santa Maria e Intrusa cantadas por Jur Domingo.






O diretor realiza um musical intensamente modelado a partir de um amor jovem, proibido e impulsivo. Existe um tom passional e fantasioso na narrativa que é projetado através das atitudes dos apaixonados. Eles são como personagens de uma fábula, logo a história tem uma mistura de realidade com ficção.  Embora os amantes demonstrem ser mais velhos, eles são apenas dois adolescentes, tanto que ela tem 16 anos. Agem como seres  intoxicados pela insana paixão, entregues à uma fuga idealista e sonhos de liberdade sem dar muita importância ao clima de fúria que seu amor está provocando nas famílias e muito menos como vão viajar e sobreviver.





Tony Gatlif opta por realizar mais um musical do que um drama, dessa forma a história não evolui no seu potencial dramatúrgico. Essa falta é um dos gaps do roteiro. Toda a intensidade dramática vem de comportamentos temperamentais, logo não há espaço para uma mediação profunda de Geronimo nem diálogos e ações bem desenvolvidos. Ainda assim, a figura da educadora é fundamental para transitar entre os demais personagens, com a intenção de ajudar Nil e Lucky e evitar tragédias.  A atuação consistente e objetiva de Céline Sallette faz a diferença para despertar o interesse pela história, principalmente porque os demais atores jovens são inexperientes e tem pouco espaço para falas. Os que poderiam agregar mais valor à atuação, deixam a desejar, como é o caso de Rachid Yous, inexpressivo mesmo com um personagem coadjuvante maior e violento. 


Considerando que são usados mais recursos de musical, o teor passional dos amantes, a violência das famílias inimigas e a dança, o filme tem um forte lado físico que é equilibrado  pela interpretação de Céline Sallette,  serena, conciliadora e madura.  É ela que agrega uma veia mais dramatúrgica e deixa espaços de reflexão para analisar o papel do educador em uma região hostil.  A atriz é como uma intrusa , mulher que pode ser interpretada como uma estrangeira  em pelo menos dois aspectos: o positivo, como uma pessoa  humanizada, com uma visão diferente para lidar com as desavenças e a figura de esperança e de mudança para as relações humanas; o negativo, como uma mulher que, por ser imigrante e ter uma perspectiva de não-violência, é uma intrusa para essas famílias que não estão dispostas a ceder e corre o risco de ser hostilizada.  Até onde Geronimo está disposta a ir para evitar uma tragédia? Uma questão é clara: o verdadeiro educador nunca desiste das pessoas.





Ficha técnica do filme ImDB GERONIMO
Distribuição: Imovision


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière