domingo, 4 de julho de 2010

Madame Teen : Top Gun - Ases Indomáveis (1986)

MaDame Teen:
Coletânea de filmes dos anos 80
que marcaram minha (pré)adolescência




Não há como passar os anos 80 em branco sem citar o sucesso de bilheteria, Top Gun, um filme que mistura ação e romance e carrega para a tela grande o gene da sedução de um galã emergente: Tom Cruise. Na época, ele já tinha beleza e talento o suficiente para cativar as massas blockbusterianas; tinha o desejável perfil para atender tanto as expectativas femininas de ver um homem bonito, sensual e apaixonado quanto a virilidade para representar um estudante de aviação e atender expectativas masculinas em cenas de ação bem a la Tony Scott, mestre na ágil câmera, especialista em colocar adrenalina na platéia. Mais tarde, tanto Tom Cruise quanto Tony Scott trabalhariam juntos em Dias de Trovão (1990) e Tom se destacaria como o belo Ethan Hunt na excelente franquia de ação Missão Impossível.






Maverick (Tom Cruise) é um charmoso jovem piloto da Aeronáutica que se destaca por suas habilidades na aviação, tem como fiel amigo, Goose (Anthony Edwards) e como instrutora Charlie (Kelly McGillis), com a qual Maverick se envolve em um relação amorosa complicada e marcada por inesquecíveis cenas de beijos e pegadas fortes. Sendo talentoso, jovem e imaturo, Maverick tem que lidar com os fantasmas que acompanham seu desenvolvimento na aviação, entre eles ser tão bom quanto o seu falecido pai, ex-piloto de renome, e também lidar com sua imaturidade a qual envolve manobras de risco na aviação, brigas com seu inimigo Ice (Val Kilmer) e confrontos com sua professora (e namorada). Com boas cenas de ação, a sedução deste irresistível romance entre aluno e professora e uma marcante presença de Tom Cruise, Top Gun é um clássico para os jovens que viveram esta época e foram seduzidos por esta deliciosa película 'hormonal'. Ainda que tenha um roteiro deficiente em comparação a outros filmes do gênero, Top Gun estava sob bons cuidados: nas mãos de Tony Scott, irmão de Ridley Scott e um cineasta de ação em ascensão com seu 1° grande sucesso de bilheteria, além da produção do influente Jerry Bruckheimer que já se especializava em lançar entretenimento aos jovens com filmes como Um tira da pesada e Flashdance os quais tiveram uma ótima aceitação entre a adolescência desse período.





Porém, ator, diretor e produtor à parte, Top Gun tem uma peculiaridade que o enaltece: sua importância saudosista embalada por uma canção vencedora. Com uma trilha sonora de baladas que tocavam em bailes da juventude, principalmente a emblemática ganhadora do Oscar, Take my breath away do grupo Berlin, o romance entre Maverick e Charlie que nutriu muitos sonhos amorosos adolescentes, o apelo Hollywoodiano de filmes com Forças Armadas Norte-Americanas com bonitos e sarados rapazes em seus uniformes fetichistas, dinâmicas cenas de ação com caças da Aeronáutica, as amizades e rixas entre alunos de uma escola de Aeronáutica e um elenco com atores como Tom Cruise, Val Kilmer, Meg Ryan e Tim Robbins, Top Gun era diversão garantida que, mais tarde, geraria a paródia Top Gang, produzida também por Bruckheimer. Para quem entrava na (pré)adolescência em 1986 e via em Tom Cruise o galã Hollywoodiano de expressivo sorriso e enigmáticos olhos, excelente candidato à genro da mamãe, com certeza, Top Gun reforçado com o hit Take my breath away liberava hormônios do prazer, da ação e do perigo, estimulando as mais diversas sensações na audiência. Mulheres queriam um Maverick e ainda ganhar uma volta na garupa daquela moto cool. Homens queriam ser Maverick e ainda ganhar uma 'professora' loira experiente e um jato de caça. Haja serotonina e adrenalina! Eles chegavam no Top(o).



Avaliação MaDame Lumière





Título original: Top Gun
Origem: EUA
Gênero: Ação, romance
Duração: 110 min
Diretor(a): Tony Scott
Roteirista: Ehud Yonay, Jim Cash, Jack Epps Jr.
Elenco: Tom Cruise, Kelly McGillis, Val Kilmer, Anthony Edwards, Tom Skerritt, Michael Ironside, John Stockwell, Barry Tubb, Rick Rossovich, Tim Robbins, Clarence Gilyard Jr., Whip Hubley, James Tolkan, Meg Ryan, Adrian Pasdar







4 comentários:

  1. Deu uma certa nostalgia agora, hehe. Lembrando das festinhas pré-adolescentes ao som de Take my breath away. Tinha o poster do filme na parede do meu quarto exatamente esse segundo que vc colocou. Boa lembrança. E a paródia, TOP GANG ri muito na época.

    Ah, obrigada pela força no prêmio BMD.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Acredita que até hoje, nunca vi este filme ?
    Só leio sobre ele, rs
    Falando nisso será que tem espaço na Madame Teen, sobre "A Lagoa Azul" e "Elvira", rs
    Bjs =D

    ResponderExcluir
  3. Deu uma boa geral madame. Um Bruckheimer ascendente, um Tom Cruise cheio de amor para dar, uma canção matadora e um clássico instantâneo.
    bjs

    PS: Esqueceu de falar do apelo homerótico dos pilotos suados se entreolhando. rsrs

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu tenho o LP..o vhs e o dvd duplo! os dois primeiros foram de minha mãe, ela deixou aqui comigo...mas, sei que pode pedir a qualquer momento! rs
    Cresci assistindo...e ainda acho um filme nostálgico...Take my breath away exerce toda uma boa sensação em mim, nem sei explicar bem...

    Triste foi ver o quão envelhecida, esquisita e diferente está Kelly McGillis - por sinal, assumiu a sua homossexualidade recentemente.

    Beijão!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière