segunda-feira, 26 de julho de 2010

Encontro Explosivo (Knight and Day) - 2010




Tanto Tom Cruise quanto Cameron Diaz já protagonizaram filmes de ação nos quais suas mortais habilidades acrobáticas e de tiro ao alvo foram testadas: Ela como a Pantera Natalie Cook de As Panteras e As Panteras detonando, Ele, em especial, como o agente Ethan Hunt da franquia Missão Impossível. Acrescidos a estas habilidades com efeitos especiais, o charme e sorriso cativantes do galã de longa data com o viés cômico da loira de comédias românticas criam em Encontro Explosivo um novo casal na gama de comédias de ação como foi Angelina Jolie e Brad Pitt em Sr & Sra Smith (2005), Jennifer Aniston e Gerard Butler em Caçador de Recompensa (2010) e o próximo lançamento nacional, previsto para final de Agosto, Par Perfeito com Katherine Heigl e Ashton Kutcher. Sob a direção de James Mangold (do ótimo Jonnhy e June), Tom Cruise e Cameron Diaz entregam uma diversão ligeira, despretensiosa e descontraída que mesmo sem um roteiro impecável, não peca na química do casal e nem no efeito cômico, e ainda entrega uma combinação de atração física imediata entre os personagens centrais, que vivenciam uma série de situações inusitadas de ação bem balanceadas com o flerte e o humor em belas locações globais como Jamaica, Espanha, Áustria, etc.







June Havens (Cameron Diaz) e Roy Miller (Tom Cruise) se conhecem no aeroporto. Ela, uma mulher comum em trânsito de viagem, tem o casamento da irmã mais nova no próximo final de semana. Ele, um agente secreto da CIA, que está fugindo da agência. A atração entre eles é instantânea e ele a usa como isca para embarcar em um avião. A partir daí, a vida dela muda da água para o vinho Bacciano(mas sem sexo), da vida ordinária de uma mulher solitária para uma perigosa e arriscada incursão ao mundo dos agentes secretos. Perseguidos pelo agente Fitzgerald (Peter Sarsgaard) sob o comando da Diretora George (Viola Davis), June e Roy viajam por um cenário repleto de locações internacionais onde páram pelas formas mais rápidas e improváveis possíveis. O roteiro forçado no inusitado da ação tem a velocidade (e a atratividade ) de funcionar como uma viagem global, embalado por esta atração deles que não é movida por uma relação amorosa oficial, pelo contrário, eles se paqueram e o que vale é a excitante companhia. June confia nele e se sente empolgada por estar próximo dele, mesmo que corra risco de ser morta a qualquer momento. Já Roy a acha uma mulher bonita, inteligente e especial e tem um senso de proteção com ela. Esta tensão amorosa na comédia de ação e como Cameron Diaz performa melhor e brilha muito mais que Tom Cruise é o que eleva a natureza qualitativa desta película considerando seu subgênero que não tem nada a acrescentar além do entretenimento fácil, por isso Encontro Explosivo é bom aperitivo cinematográfico para um fim de tarde ocioso. O expectador é presenteado com a sensualidade do 'tangotronic' do fascinante Gotan Project com as calientes Santa Maria (do tango entre Richard Gere e Jennifer Lopez em Dança Comigo) e Diferente e com a dançante canção-tema Someday do The Black Eyed Peas, além das presenças ilustres de Viola Davis e Peter Sarsgaard que, mesmo em papéis menores, legitimam a seriedade e competência de suas coadjuvantes ações.






Embora mais experiente que Cameron Diaz e com mais abertura para desempenhar a sua veia cômica neste filme (tanto que faz bem o lado 'engraçado' de Roy), Tom Cruise faz somente a lição de casa. Por culpa do roteiro? Também sim, mas, de maneira geral, o filme não agrega tanto em sua carreira. Ele já era Ethan Hunt e tem no currículo outras melhores performances de ação como Missão Impossível e de drama como Colateral e Magnólia, com isso a sensação para quem gosta dele e aprecia sua filmografia ao longo de mais de 20 anos é que Tom Cruise ou não tem selecionado melhores seus papéis de ator 'sênior' ou não tem surgido convites que não sejam de filmes de ação ou de melhor desafio interpretativo. Cameron Diaz já teve uma melhor sorte com este Encontro Explosivo. Como uma atriz mediana e com humor graciosamente infantil em alguns trabalhos prévios, ela incorpora ao já papel limitado de June Havens mais maturidade, carisma, romantismo e um toque feminino à ação de Roy. As cenas em um trem na Áustria, em um hotel em Sevilla e na praia jamaicana dão a dimensão de que ela não é relegada a um papel de mulher indefesa e tola, pelo contrário, ela é esperta e também dita a ação assim como Tom Cruise e, o melhor, ela dá o tom humorístico certo daquela mulher que está se apaixonando por um homem misterioso que a tira do lugar-comum do anonimato, daquela mulher também vulnerável que só deseja ser beijada por um bonito e corajoso agente secreto... isso sim é mais explosivo, e ainda tem Scorpions na trilha sonora para 'estremecê-la como um furacão'.




Avaliação MaDame Lumière




Título Original: Knight & Day
Origem: EUA
Gênero(s): Ação, Comédia
Duração: 110 min
Diretor(a): James Mangold
Roteirista(s): Patrick O'Neill
Elenco: Tom Cruise, Cameron Diaz, Peter Sarsgaard, Jordi Mollà, Viola Davis, Paul Dano, Falk Hentschel, Marc Blucas, Lennie Loftin, Maggie Grace, Rich Manley, Dale Dye, Celia Weston, Gal Gadot, Jack A. O'Connell

5 comentários:

  1. Ótimo texto Madame!
    Eu amei este filme, rs. Ele era tudo aquilo que imaginava, afinal você vendo esse poster e lendo a sinopse você já tem uma ideia do que te espera e no meu caso foi uma surpresa agradável.
    Gostei bastante de Cruise e Diaz em cena, tem uma boa química, e gostei das cenas e o roteiro simples, ou seja, eu gostei mesmo do filme! hahahaha

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Ótima análise do filme e dos atores!
    Sou fã da Cameron justamente por ela dar aquele tom de inocência à personagem. Já em relação ao Tom Cruise, sempre espero boas atuações dele, pois minha referência é Vanilla Sky, Magnolia - filmes em que ele atuou brilhantemente!

    Abração!

    Sandro Azevedo
    blog24fps.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adorei a crítica madame. É bem isso mesmo. Gostaria de louvar a disposição de orientar o teu leitor a apreciar outros aspectos da produção como as paisagens, os cenários e as músicas que acrescem a pegada de entretenimento da fita.
    Só uma rápida correção: O filme que cita de Tom Cruise é Colateral. Efeito colateral é com o governator...
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Dietrich!

    Este filme pipoca vale uma revisão!

    Eu gostei e fiquei cego perante as falhas de roteiro e etc...(como o detalhe do Scorpions, não prestei atenção), rs!

    Tom, obviamente já esteve ULTRA melhor em outros papéis, e você citou muito bem Magnólia e Colateral (tbm acho Entrevista com Vampiro e Negócio Arriscado excelentes em seu currículo) e gostei mais deste Encontro..que Missão Impossível!
    A Cameron com o seu sorriso e simpatia, é impossíval não gostar dela neste tipo de fita.
    Aliás ambos tem química. Assistiu Vanilla Sky?

    E aqui entre nós: toda mulher queria passar por uma aventura explosiva destas não? Vale um Tom Cruise, rs!

    A sequência na Espanha é divertidíssima!

    Gostei de seu texto ter abordado com precisão as nuances musicais. Chique!

    Bjs,

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei desse filme por duas razões: a excelente química entre Cameron Diaz e Tom Cruise e a diversão que ele me causou. Fui surpreendida com isso, uma vez que não esperava muito da obra.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière