segunda-feira, 11 de abril de 2011

Metalinguagem no Cinema: Vincere (2009) e O Garoto (1921)


Metalinguagem no Cinema: A sétima Arte pela Sétima Arte




Não há beleza mais ímpar do que o Cinema dialogando com o Cinema, expressando a ele mesmo, através do atemporal e fascinante poder da memória e da imagem cinematográficas, no qual um filme conversa com um outro filme, em um discurso metalinguístico que dispensa palavras, somente a imagem fílmica e o aflorar do apaixonante e tocante sentimento de amor pelo Cinema nos arrebatam para esse momento tão único que é o encontro de duas obras de Arte. Em uma emocionante Metalinguagem no Cinema, a beleza de Vincere de Marco Bellocchio se une a de O Garoto (The Kid) de Charles Chaplin em uma cena emblemática e de profunda comoção. Ida Dalser (Giovanna Mezzorgiono) está no Cinema de um hospício, injustamente internada como louca e distanciada de seu filho Benito Albino, filho rejeitado pelo pai, o ditador fascista Musollini. Em uma perfeita metalinguagem, Ida se emociona ao assistir a cena de O Garoto no qual o garotinho (Jackie Coogan) é tirado do adorável vagabundo (Chaplin). Essa magnífica junção está intimamente relacionada com uma mãe que não pode nem ver o próprio filho e, visualmente, quando o garotinho de The Kid estende os braços para Chaplin é como se Benito estivesse pedindo o abraço de Ida. Um momento sublime, uma poesia cinematográfica!








2 comentários:

  1. Nossa madame! Que observação maravilhosa. Poética msm! Dessas coisas que o cinema tem que nos arrebata...
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Poxa, que texto legal. Me deixou curiosa para assistir 'Vincere', que todos elogiam bastante.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière