terça-feira, 15 de junho de 2010

Cine Família : Plano B ( The Back-up Plan) - 2010




A cantora e atriz Jennifer Lopez retorna à cena cinematográfica com a comédia romântica Plano B, ao lado do bonitão australiano, Alex O'Loughlin; o filme que teve sua estréia no Dia dos Namorados para espalhar um pouco mais o Romance nas salas de Cinema, aproveitar que J. Lo é uma das cantoras de sangue latino mais populares no Brasil e tem um histórico cinematográfico bem firmado em comédias românticas ao lado de atores que são belos princípes encantados, basta lembrar de O Casamento dos meus sonhos com Matthew McConaughey, Encontro de Amor com Ralph Fiennes e A Sogra ao lado de Michael Vartan, com os quais a atriz teve uma boa química facilitando que os suspiros românticos da audiência viessem à tona. Distante dos longas-metragem desde 2006, Jennifer Lopez volta ao Cinema aplicando um forte tema que tem permeado seus últimos anos: Ser mãe. Desde o nascimento de seus filhos com o cantor Marc Anthony, a atriz evidencia através dos tablóides a sua dedicação às crianças, e como forma a celebrar este momento materno chegou até a lançar uma linha com perfume e loção corporal inspirada na sua maternidade.





Plano B retrata uma nova experiência na vida de Zoe (Jennifer Lopez), uma mulher solteira, sem filhos e proprietária de um pet shop. Orfã de mãe desde os 8 anos, Zoe só tem uma avó que vive em uma casa de idosos. Cansada de esperar o futuro pai dos seus filhos que ainda não apareceu em sua vida e desejosa de construir uma família, ela toma a decisão de ser mãe solteira através de inseminação artificial, desconhecendo totalmente o nome do doador de esperma.O procedimento de inseminação é um sucesso e ela engravida assumindo a responsabilidade de criar seu bebê sozinha. O que ela não esperava era encontrar em seu caminho o dócill Stan (Alex O'Loughlin), um vendedor de queijos e estudante de uma escola noturna que, de imediato, se sente muito atraído por ela e vice e versa. Após alguns encontros a dois movidos pelo óbvio destino das comédias românticas, Stan e Zoe se apaixonam e ela tem que contar a ele que já foi inseminada, ou seja, ela já está grávida de outro desconhecido homem.


A comédia segue a mesma fórmula mágica dos casais que se encontram, se apaixonam e tentam superar as dificuldades para ficar juntos, por isso Plano B conta com o apelo do romance que o(a) espectador(a) torce para que dê certo, mesmo que ele(a) já saiba que dará tudo certo no final. A diferença aqui é que o argumento maternal (e familiar) da película é um diferencial em tempos modernos de solteirice de mulheres que desejam ser mães, que já estão com seus "relógios biológicos" em alerta e não encontram bons companheiros para construir suas famílias. O bem da verdade é que esta premissa é nobre e muito honesta para com o público feminino que já pensou em apelar para uma inseminação artificial, uma transa casual para fazer um filho ou um pedido de esperma para o melhor amigo gay. Estas preocupações em engravidar à medida que a idade avança acontecem naturalmente, mesmo que não sejam convertidas em planos mirabolantes de gravidez. Como gerar e criar um filho nestas condições? Como lidar com o preconceito social e a reação crítica da família? Como lidar com os custos de educar um filho sozinha? Como lidar com as emoções femininas neste processo? Na contemporaneidade da nova família, tudo é possível já que as relações familiares também estão mudando com o advento de pais homossexuais se empenhando em processos de inseminação artificial e adoção. Por isso, Plano B é uma comédia atual, agradável e que deve ser assistida baseada neste contexto, mesmo que ela ainda leve o tema na esportiva, sem profundidade e com as velhas receitas do humor romântico que acabará no previsível "happy end".






Em comparação às suas prévias comédias, Jennifer Lopez está bem mais à vontade em cena, quebrando as poses de celebridade e de mulher bonita, romântica e educada. Em Plano B, ela arrota, se alimenta como uma esfomeada e interpreta Zoe de uma forma mais engraçada, mais carismática, mais caricata. No entanto, quem rouba a cena é Alex O'Loughlin, bonito, sexy, divertido, carismático , apaixonado e muito compreensivo, ele é o perfeito gentleman para uma mulher nas condições de Zoe, chegando a ser surreal já que ele encarna a gentileza em pessoa e é um homem tão ideal para esta comédia romântica porque além de ter um tom cômico sedutor e uma deliciosa química com J.Lo, ele encarna o raro homem que ama muito uma mulher e é muito bondoso para segurar uma responsabilidade paternal na qual ele não foi envolvido, e nem poderia sê-lo já que conheceu a amada após a inseminação. Um homem destes é perfeito, fora do plano B de Zoe, mas dentro dos sonhos de qualquer romântica mulher.




Avaliação MaDame Lumière


Título original: The Back-up Plan
Origem: EUA
Gênero: Comédia Romântica
Duração:
106 min

Diretor(a): Alan Pou
Roteirista: Kate Angelo
Elenco:
Jennifer Lopez, Alex O'Loughlin, Michaela Watkins, Eric Christian Olsen, Anthony Anderson, Noureen DeWulf, Melissa McCarthy, Tom Bosley, Maribeth Monroe, Danneel Harris, Robert Klein, Linda Lavin, Carlease Burke, Amy Block, Jennifer Elise Cox


Querida leitora,
se você quisesse ser mãe e nada de aparecer o princípe encantado, você levaria uma gravidez sozinha, usando a inseminação artificial como recurso?

Querido leitor,
você assumiria a paternidade de um filho de Zoe se estivesse na situação vivida por Stan?






Vote no Cinema
Vote no MaDame Lumière

4 comentários:

  1. J.Lo não é uma grande atriz, mas eu simpatizo com seus filmes, ela consegue se sair bem nas suas comédias românticas.
    Quero ver PLANO B, mas acho o filme ideal para se ver em DVD não no cinema, mas quem sabe, rs
    Ótima resenha Madame!
    PS: Bem, em reposta a sua pergunta Madame, é claro tudo depende das circunstâncias, mas agora eu não acharia problema em assumir a paternidade.
    Abs.

    ResponderExcluir
  2. O filme é excelente, eu que n curto muito a J.Lo achei ela EXCEPCIONAL no filme... carrega tudo nas costas, e ta gostosa como sempre.

    ResponderExcluir
  3. MaDame, eu acabei de assistir a este filme e adorei! Sou fã de comédias românticas e acho que essa oferece aquilo que o gênero tem de melhor: uma história que envolve e entretém enquanto o filme dura - apesar da previsibilidade da obra.

    Fora que Alex O'Laughlin e Jennifer Lopez possuem uma boa química e a gente torce por eles.

    ResponderExcluir
  4. é bem isso mesmo madame. Concordo quanto a boa premissa (o grande trunfo do filme mesmo). É uma nova roupagem para abordar a insegurança feminina em uma comédia romântica, infelizmente foi isso mesmo, apenas uma nova roupagem. Mas o filme é divertido e J.LO está muito bem.
    três estrelas me parece uma classificação justa.
    bjs

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière