domingo, 18 de abril de 2010

Ritmo do amor (Love N'Dancing) - 2009



Antes de revisar esse filme, pensei várias vezes se o faria. Para falar a verdade, não faria tanta diferença já que o longa-metragem que une a descoberta da dança e do amor faz jus clássico ao clichê romântico e dançante dos filmes do gênero, porém dança é dança e romance e romance e, por que não, valorizar o que o Ritmo do amor se esforça em fazer. Além disso, desde que abri o blog, decidi que seria um blog democrático com o próprio Cinema, sem fazer acepção de gêneros, estéticas, diretores, etc. O bom blogueiro e/ou crítico de cinema tem que estar preparado para desenvolver um olhar sobre todos os tipos de filmes, até os mais besteiróis e tirar algum proveito disso sem depreciar o trabalho alheio, por isso, confesso que entrei no Ritmo do Amor em relação a filmes que não atendam as minhas expectativas, mas ainda assim, são parte do Cinema.





Ritmo do Amor tem a direção de Robert Iscove (de Ela é demais) e relata a história de uma professora de inglês Jessica (Amy Smart) que se adaptou à sua triste cotidiana vida, porém ainda não se deu conta disso. Ela é noiva do workholic Kent (Billy Zane) que só pensa em trabalhar e não tem tempo nem para fazer as desejadas aulas de dança com ela. Kent é o típico homem que não tem tempo nem para a noiva e só pensa em crescer na carreira, logo ele acaba se tornando a personagem mais realista do filme já que existem vários homens desse tipo e, consequentemente, mulheres insatisfeitas e caladas como Jessica. Então, Jessica conhece o professor de dança e ex-campeão americano em campeonato de dança swing, Jake (Tom Malloy) que é deficiente auditivo (fato que torna o personagem dele interessante já que ele consegue conciliar o talento dele para a dança , independente de ser surdo). Ela começa a ter aulas com ele, desenvolvem uma ótima química, decidem competir juntos por um novo campeonato e, à medida que eles ensaiam para o grande espetáculo final, eles passam a vencer suas próprias negações e a se envolverem emocionalmente, ainda que em silêncio. Ela se torna mais bonita e mais feliz e repensa se vale a pena casar-se com um homem viciado em trabalho. Ele supera o fiasco que foi o relacionamento dele com sua ex-parceira de dança, Corinne (Nicola Royston) e descobre um novo amor em Jessica.






Ritmo do Amor é fraco tanto como romance quanto como filme de dança, o que é lamentável pois o amor e a dança são uma mistura bombástica entre parceiros de dança que potencialmente desenvolvem um relacionamento. Dançar a dois é uma troca de energia, de cumplicidade, de confiança, de desejo e, embora Jessica e Jake descubram o amor um pelo outro a partir da dança, isso não é acompanhado pela emoção da dança e pela emoção do romance. Entendem a questão? Falo isso com certa propriedade porque já dancei muito e não há coisa mais maravilhosa ao bailar do que trocar essa energia com um parceiro. Eu entendo o valor da dança e como ela traz felicidade mas também muito autoconhecimento e sedução. Além disso, não há sex appeal algum em Tom Malloy, e muito menos habilidade como roteirista e como dançarino, o que o torna nada interessante em comparação à sensualidade e carisma de grandes atores bailarinos como Patrick Swayze (Dirty Dancing) e John Travolta (Os Embalos de Sábado à noite). Por isso, o longa em si não foi bem desenvolvido, nem na questão da deficiência auditiva (que poderia ser um grande tema a ser explorado), nem mesmo aprofundado para uma dinâmica mais movimentada com espetáculos de danças mais emocionantes a partir do meio e fim do filme, pelo contrário, Ritmo do Amor deixou a dança performática (que é o que mais interessa em filmes desse tipo) para o grand finale, por isso acabou perdendo o ritmo.



Avaliação Madame Lumière:



Título Original:
Love N' Dancing
Origem:
Estados Unidos
Gênero(s):
Dança, Romance
Duração:
93 min
Diretor(a):
Robert Iscove
Roteirista(s):
Tom Malloy
Elenco:
Amy Smart, Tom Malloy, Billy Zane, Nicola Royston, Caroline Rhea, Leila Arcieri, Rachel Dratch, Betty White, Alexandra Krizman, Purva Bedi, Frank Bond, Shane Crown, Jennifer Dunstan, Elise Eberle, Pamela Finley

6 comentários:

  1. "Ritmo do Amor tem a direção de Robert Iscove (de Ela é demais)". Motivo suficiente para eu passar longe HAHAHAHA! Foi o mesmo cara também que dirigiu aquele "De Justin para Kelly", uma das coisas mais grotescas da década passada.

    mas eu vi o trailer deste filme e... sem comentários. Sua resenha diz basicamente tudo o que esperava =)

    E Amy Smart (não tão smart assim) não acho uma atriz excepcionalmente ruim, mas ela se fim, esaventura em cada porcaria que fica difícil creditar algum valor a ela.


    abs, MaDame!

    ResponderExcluir
  2. Oi querido Elton,
    É isso aí, o filme consegue com, muito esforço, uma estrela,rs! E, olha que sou uma MaDame tolerante.

    Também percebi que Amy Smart tem uma beleza delicada e carismática, porém ela só escolhe porcaria mesmo, deve ser triste chegar a esse ponto de estrear um filme que não consegue nem ganhar pela dança. Pior é que eu aluguei porque o dono da locadora falou que o pessoal estava "alugando" muito e gostando "muito", deve ser influência da "Dança dos Famosos" do Faustão, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. eu gostei do filme seus criticos

    ResponderExcluir
  4. Ola Madame,

    concordo com varias partes, discordo em que o ponto alto dos filmes de dança (de salão) são as apresentações/competições, sempre dando a entender que quem dança quer competir, o que foge muito a realidade. O ponto q gostei desse filme foi o mostrar as aulas de dança/ensaios entre os dois, bem como os bailes q acontecem. Minha Opinião.

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei do filme no motivo que aqui no Brasil ajuda a divulgar uma dança super nova, o West Coast Swing.Cujo nome não foi bem traduzido (dublado ou legendado), mas ajuda quem estah começando nessa dança a se motivar mais!

    ResponderExcluir
  6. É triste constatar a forma patética e canhestra que o gênero musical é tratado nos dias atuais. Depois de Moulin Rouge e até Mamma Mia!, deveriam ter vergonha de lançar algo como esse Ritmo do amor.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière