quinta-feira, 22 de abril de 2010

Dança Comigo? Shall We Dance? (2004)




Ontem, enquanto eu escrevia o MaDame Loves com o tema Dança, não pude incluir no meu top 10 o romance Dança Comigo?, remake do japonês Shall we dansu? (1996) de Masayuki Suo, pois iria completar 11 filmes, e optei por privilegiar o Ela Dança, eu danço por ele trazer dança de rua e mostrar um jovem marginalizado que consegue mudar seu comportamento para algo melhor, no entanto assumo que esse Dança Comigo? é um delicioso e despojado romance com Richard Gere no qual ele está muito charmoso lembrando até mesmo os seus tempos áureos de "Uma linda mulher" e, melhor, ele está aprendendo a dançar, o que o torna mais cativante, dando até gosto de vê-lo na telinha.




No filme, Richard Gere é John Clark, um homem maduro, pai e marido, que está entediado com sua própria vida, a rotina que já parece não levá-lo a lugar algum. Até seu casamento com Beverly Clark (Susan Saradon) sofre desse tédio. Certo dia, ele avista uma linda jovem na janela de um prédio, Paulina, interpretada pela bela Jennifer Lopez
e, mesmo que, inicialmente, ele tenha ficado fascinado pela sua beleza, mais adiante eles não se envolvem amorosamente, pelo contrário, ela se torna a professora de dança dele, o que trará transformações em suas vidas e ajudará John Clark a canalizar suas frustrações.. Com direção de Peter Chelsom, esse filme tem a virtude de ser muito gostoso de assistir, e Chelsom repete essa atmosfera agradabilíssima como o fez com um dos meus romances preferidos, Escrito nas Estrelas, com John Cusack e Kate Beckinsale.





Dança Comigo?, estrelado por esses adoráveis atores tem 3 atrativos principais além da presença desse elenco. Embora os atrativos sejam clichês em filmes desse gênero, são clichês que merecem ser assistidos porque permitem que as pessoas se sensibilizem com relação ao que elas são capazes de fazer e mudar em suas vidas, principalmente usando a dança a seu favor. A primeira é a iniciativa pela dança, ou seja, John Clark toma a iniciativa de aprender a dançar e ficar mais descontraído e seguro como homem. De fato, os homens deveriam tomar essa decisão e dançar mais. A segunda é a descoberta pela dança, ou seja, John Clark também se descobre um homem bem melhor e menos complicado quando começa a ter aulas de dança com a exuberante Paulina e, ela também resolve os grilos que a afligiam. A terceira é o reconhecimento pela dança, que não necessariamente vem a partir de um troféu em um final de campeonato de dança, pelo contrário, John Clark obtem benefícios superiores a qualquer premiação os quais aparecem em sua vida pessoal, inclusive seu casamento. Dança Comigo ainda brinda a audiência com o talento dançante de J.Lo, e claro, a excepcional canção do tango moderno, Santa Maria, do fantástico Gotan Project.


Avaliação MaDame Lumière



Título original: Shall We Dance?
Origem: EUA
Gênero: Romance, Comédia Romântica
Duração: 90 min
Diretor(a): Peter Chelsom
Roteirista(s): Masayuki Suo, Audrey Wells
Elenco: Richard Gere, Jennifer Lopez, Susan Sarandon, Lisa Ann Walter, Stanley Tucci, Anita Gillette, Bobby Cannavale, Omar Miller, Tamara Hope, Stark Sands, Richard Jenkins, Nick Cannon, Sarah Lafleur, Onalee Ames, Diana Salvatore


4 comentários:

  1. Um adendo merecido a lista. O que me chama a atenção nesse filme é, além dos coadjuvantes fortes,o uso da dança como catalisador para mudanças profundas na vida do personagem de gere. Ele começa as aulas com a clara intenção de flertar com a professora de dança e acaba por se aproximar e de sua família e se reiventar como pai e marido. Um belo libelo sobre liberdade e reivenção.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Reinaldo,
    Exatamente! A isso me referi na parte "descoberta pela dança". Ele se reinventa e achei bacana a sua mudança do interesse inicial por Paulinia, o filme não segue essa previsibilidade de um envolvimento amoroso entre ele e a professora, pelo contrário, ambos se ajudam a ser pessoas melhores.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Legalzinho o filme, mas bem esquecível. Mas me recordo da cena no final, que tem um diálogo bem bonitinho.

    ResponderExcluir
  4. Oi Wally,
    A parte final é bem interessante pq é um momento mais familiar, entre esposa e marido, acho que resume os avanços que John Clark teve.

    Bjs,

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière