segunda-feira, 15 de novembro de 2010

MaDame Series Opina: Seriado The Walking Dead - 1x02 - Guts ( 1ª Temporada - 2010)

MaDame Series Opina: O momento fora de série sobre Seriados de TV






O piloto ' Days gone bye' de The Walking Dead provou que visceral é o sobrenome legítimo da série de Zumbis. Desta vez, a carnificina de intestinos e sangue para fora é a ordem visual, e toma proporções assustadoras bem como cômicas em um tenso ambiente claustrofóbico na qual humanos estão presos em uma loja de departamentos. Novos personagens são agregados e os enquadramentos de câmeras são sofisticados o que comprova que Frank Darabont está entregando uma produção com um olhar bastante cinematográfico. O elenco começa a nos sinalizar os moldes de seus carateres e como lidam com os conflitos da situação. Temos a presença de Merle Dixon (Michael Rooker), um branco racista e metido à valentão que deseja ocupar ilegitimamente o posto de comando do grupo, eis que surge a figura da vilania que deixa a incógnita se criará problemas ou não nos próximos episódios; em outras cenas afloram sentimentos de culpa por deixar humanos para trás, principalmente culpa advinda de outros tipos de abandonos como é o caso da de Lori Grimes (Sarah Wayne Callies) e Shane Walsh (Jon Bernthal) que, queiram aceitar ou não, deixaram Rick em coma, para trás, e carregam consigo outra problemática que promete esquentar a série.


Guts é um episódio bem interessante sob o ponto de vista técnico, o que proporciona um agradabilíssimo exercício do olhar. Para começar, observe o realismo do tesão da relação sexual, o prévio ritmo de suspense na floresta, Lori rendida no chão pelo rústico Shane, a urgência de transar, os ruídos, e enfim, o enfoque na aliança repousada no gramado enquanto a objetiva altera a nitidez da face de prazer de Lori.
Observe as texturas e cores dos prédios e do céu, como a luz é trabalhada no plano, como são filmados de forma a realçar aquela atmosfera cinza e inóspita. Observe o movimento realista em câmera baixa enquanto zumbis e humanos andam, a profundidade de campo nas cenas com automóveis; depois o ritmo cinematográfico dado aos 40 minutos de episódio. Eletrizante e desesperador com uso da câmera alta que nos dá a visão vertical de Atlanta invadida por um amontoado de Zumbis famintos. Somos convidados a testemunhar os sobreviventes presos no alto do prédio da loja departamental e não podemos fazer nada. Não há saída aparente, o que eles farão?.


Avaliação MaDame Lumière




Dirigido por Michelle McLaren. Com Andrew Lincoln, Jon Bernthal, Sarah Wayne Callies, Laurie Holden. Roteiro de Frank Darabont. Baseado na HQ The Walking Dead de Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard.

4 comentários:

  1. Tá todo mundo comentando este programa, mas, sinceramente, ele não chama muito a minha atenção!

    ResponderExcluir
  2. Na boa my Darling, adorei seus posts sobre séries! The Walkind Dead (Ufa) e Dexter tbm!

    Fiquei fascinado por esses Zumbis modernosos! Vou devorar a série como um curioso expectador já fã da obra. Adoro a temática de mortos-vivos proposta por Romero, em que o maior vilão é a pessoa ao seu lado tentando sobreviver HA HA!

    Você baixou o telefilme do Darabont que te falei? 'Burried Alive'?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de ágil e extremamente eficiente, tanto dramática quanto tecnicamente, acho este episódio inferior ao anterior. O elenco está mais irregular e os clichês não são tão bem trabalhados quanto poderia. Mas ainda assim The walkind dead impressiona com seu vigor.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Estou gostando muito da série, mas só vi os dois primeiros mesmo. Adorando esse tom visceral.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière