segunda-feira, 11 de maio de 2015

Noite sem fim (Run all night) - 2015







Por Cristiane Costa





Liam Neeson foi predestinado a duas "missões" no Cinema: a de fazer filme de ação no qual ele é o herói solitário e imbatível que encara o problema, enfrenta e mata os vilões e a de ser o pai que protege os filhos e se arrisca a dar a vida por eles. Com essas duas "missões", esse carismático ator emplacou os 3 filmes da franquia de Busca Implacável (Taken), um dos seus trabalhos mais vigorosos no gênero ação. Seu mais recente longa, Noite sem fim (Run all night) reforça mais um traço de sua filmografia dos últimos anos: tem a direção de Jaume Collet-Serra, cineasta que começou a trabalhar com o gênero suspense (A Casa de Cera e a Orfã) e tem demonstrado mais habilidade e êxito no de ação. Além desse lançamento, Collet-Serra e Neeson trabalharam juntos em outros dois filmes: O desconhecido (2011) e Sem Escalas (2014).



Além dessa leal parceria, o longa é resultado de um projeto de produtores que têm familiaridade com filmes que envolvem ação, máfia ou violência e um componente de thriller: Roy Lee ("Os infiltrados"), Brooklyn Weaver ("Tudo por Justiça" e Michael Tadross ("Caça aos gângsteres"). John Powers Middleton ("da série Batel Motel") é responsável pela produção executiva. A vantagem de uma equipe como essa é que eles sabem fazer filme de ação com elementos mais dramáticos e de suspense, meramente comercial e para entretenimento, sem presunção de ser o campeão de bilheteria.  Alguns diretores, como Collet-Serra e Roger Donaldson, são contratados por serem  eficientes em determinado tipo de longa que combina ação, crime e  suspense.




 Joel Kinnaman e Liam Neeson : filho e pai em uma relação estremecida


 

Com roteiro de Brad Ingelsby ("Tudo por Justiça"), Noite sem fim é um filme de ação que coloca pai e filho, unidos, em uma dinâmica trama de perseguição após um homicídio inevitável, e os aproxima em uma história de perdão e redenção. Jimmy Conlon "O coveiro" (Neeson) tem um passado violento como matador profissional para Shawn Maguire (Harris), o chefão da máfia no Brooklyn. Conlon é um homem assombrado pelas mortes cometidas no passado, a solidão e a rejeição da família que abandonou e tem uma relação distante com o filho Mike (Joel Kinnaman). Amigos de longa data, Conlon e Maguire mantém uma relação respeitosa até que um acontecimento coloca ambos como inimigos. Conlon terá que proteger o seu filho Mike e sua família, ambos se unem em uma fuga eletrizante na qual a lealdade será testada. O elenco também se destaca pela presença de Vincent D'Onofrio ("série Demolidor"), como um detetive que persegue Conlon há anos, e a participação de Common ("Selma") no papel de um assassino profissional.




 Liam Neeson dá conta de mais um filme "Não mexa com a minha família". Paizão!





Conlon abandonou a família para se dedicar à família do crime e, portanto, não tem lembranças de vínculos afetivos. Se dedicou ao submundo da máfia, não teve mais espaço e nem confiança para retornar ao filho. Na mesma linha de seu personagem de "Sem Escalas", Conlon é um homem que está com mais de 50 anos, encontra refúgio na bebida alcoólica e chega naquele momento da vida no qual olhar para o passado é uma dolorosa experiência de arrependimentos, angústias e fracassos. O longa aborda o seu reencontro com o filho Mike em uma situação de risco, porém necessária para rever as relações familiares. O filme importa novamente a figura paterna de Neeson, escolha que pode ser batida, mas ainda é eficiente para o Cinema do ator. Seu personagem,  mesmo com os erros do passado, tem o dom de cativar facilmente a plateia. É um pai que fez uma escolha pelo crime, pela lealdade a Maguire, e carrega esse fardo. Foi um erro abandonar a sua família? Por um lado, sim. Por outro, não. Na tradição dos filmes com máfia, códigos de lealdade e amizade são como um caminho sem volta. Você está dentro ou fora do crime. Se esses códigos são quebrados, famílias são perseguidas e mortas.  Mais uma vez, Neeson está muito à vontade no papel e continua com vigor para não errar a mira de sua arma e nem deixar de ser um "super herói pai".

 

Muito mais do que um bom filme de ação, no seu aspecto dramático, Noite sem fim se apoia nas escolhas que temos nas relações pessoais e como elas podem ser revistas: escolhas de lealdade, amizade e perdão. Algumas delas são escolhas de redenção, aquelas que temos quando precisamos pensar em um bem maior a outras pessoas , causas, contextos; aquelas que trazem o alívio de que é preciso parar de insistir em um mesma atitude, em um mesmo caminho. Com a  atuação de Liam Neeson e Ed Harris que, de irmãos passam a inimigos, o longa guarda seus melhores momentos.


 




Ficha técnica do filme no ImDB Noite sem fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière