segunda-feira, 8 de março de 2010

Oscar 2010 - Vencedores do 82º Academy Awards


Neste domingo foi realizado a 82ª edição do Academy Awards, o prêmio tradicional master da indústria de cinema apresentando uma noite de gratas surpresas, umas previsíveis outras nem tanto.já geradas pelo novo sistema de votação da Academia que, aparentemente, funcionou bem para premiar e homenagear uma variedade maior de filmes. O awards foi apresentado pelos atores Alec Baldwin e Steve Martin que adicionaram o humor e o carisma esperados. O grande campeão da noite não foi o filme de maior bilheteria da história, Avatar de James Cameron. Em seu lugar, reinou Guerra ao Terror dirigido por sua ex-mulher Kathryn Bigelow que, de forma inédita, foi premiada como a primeira mulher a ganhar um Oscar como melhor diretora. Guerra ao terror liderou com 6 premiações ganhando também na categoria de melhor roteiro original com texto de Mark Boal.





Dentre as premiações previsíveis, os atores coadjuvantes mais principais e favoritos que existem: Christoph Waltz (de Bastardos Inglórios) e MoN'ique (de Preciosa - Uma história de Esperança) ganharam as estatuetas. Jeff Bridges por Coração Louco e Sandra Bullock por Um Sonho Possível confirmaram as previsões como atores principais e emocionaram a platéia na noite mais glamourosa de Los Angeles com seus discursos de agradecimento impregnados de simplicidade e gentileza. As grandes surpresas da noite foram as premiações de melhor roteiro adaptado para Preciosa, escrito por Geoffrey Fletcher e baseado na novela de Sapphire, tirando o roteiro de Amor sem Escalas de Jason Reitman e Sheldon Turner da premiação e a surpreendente mas bem merecida premiação de O Segredo dos Seus Olhos do formidável cine Argentino de Juan José Campanella como melhor filme estrangeiro no lugar do favorito A Fita Branca, confirmando que o Cinema Argentino é um dos mais sólidos da América Latina e capaz de competir efetivamente com o cinema Europeu.





Nas categorias de trilha sonora original e melhor animação, a atenção foi toda voltada para o belíssimo UP - Altas Aventuras honrando, respectivamente, a magia e a perfeição das animações da Pixar e o competente trabalho musical de Michael Giacchino. Mais música boa foi premiada com a envolvente cool song The Weary Kind de Ryan Bingham e T. Bone Burnett, cantada em Coração Louco. Como já esperado, Avatar conquistou prêmios nas categorias técnicas como cinematografia, efeitos especiais e direção de Arte, mas perdeu nas categorias de Edição de Filme, Edição de Som e Mixing de Som para Guerra ao Terror, o calcanhar de Aquiles de Cameron. Convém mencionar que as categorias de figurino e maquiagem seguiram o bom senso estético e criativo premiando respectivamente The Young Victoria e Star Trek, este último bem mais pela concepção do make up da ficção científica, reinterpretando o antológico estilo de Guerra das Estrelas.





A premiação teve uma média de duração de 3 horas e foi exibida pela TNT e, parcialmente, pela Globo no Brasil (com comentários de Maria Beltrão e José Wilker). De maneira geral, o Oscar 2010 equilibrou os prêmios, dando ao público o prazer de comemorar com vencedores já dados como vencedores e, ao mesmo tempo, propiciando à platéia o efeito surpresa em algumas categorias. Para ver a lista oficial de vencedores, acesse a página do Oscars.

6 comentários:

  1. Cerimônia bastante chatinha e morna, sem sal.

    Visto que os filmes deste ano nem todos foram empolgantes, fato.

    Sandra Bullock melhor atriz? Era a mais fraquinha das indicadas, sinceramente. Até Carey Mulligan por Educação estava melhor que ela! Lamentável, como sempre as premiações são estranhas - lembra de Reese Whiterspoon ter tirado o Oscar de Felicity Huffman por Transamerica? Julia Roberts ter tirado o Oscar das mãos de Ellen Burtyn por Requiem para um sonho? como sempre, filmes comerciais imperam mais - vide as atuações. Fato!

    Guerra ao terror é bom, sim...mas, Bartados Iglorios que deveria imperar nas premiações...só levou o oscar de coadjuvante? Sem comentários.

    Jeff Bridges merecia há anos, esse sim valeu a pena! foi bonito de ver. Gostei das premiações técnicas de Avatar, mas merecia melhor som e mixagem também! Boa a premiação de filme estrangeiro, apesar do páreo duro este ano nessa categoria. Essa sim teve filmes densos e interessantes!

    Taylor Lautner e Kristen Stewart estavam agradáveis na apresentação dos filmes de terror - o que Lua nova também fazia nas cenas juntos com os filmes de terror? Achei estranho também, visto que o filme não é macabro, mas acho que o critério de seleção dos filmes era mais por ter elementos do horror(vampiros, lobisomens, etc). Vai entender mesmo, rs.

    Eu acho que a trilha sonora deveria ter sido por James Horner, Avatar ou mesmo o de Hans Zimmer que fez um belo trabalho no Sherlock Holmes - mas, você vai me condenar, mas eu preferia mesmo é que a trilha de Alexandre Desplat por Lua Nova tivesse sido vencedora, já escutou? recomendo! Sério, o score é lindo e intenso.

    Bom, que venha o próximo Oscar!

    Beijo, Madame
    E é uma pena que tenha desaparecido do meu blog!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. A cerimônia foi chatinha, a maioria dos prêmios injusta, mas ainda assim, foi melhor ( na distribuição dos prêmios) do que eu esperava. Quanto a cerimônia em si, foi frustante. A do ano passado bota essa no chinelo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei menos que o ano passado, mesmo que as vencedoras da noie (Bullock e Kathryn) fossem minhas preferidas. Acho que os cortes das músicas foi sentido e que a apresentação de SYTYCD nas trilhas foi ótima. Agora é esperar pelo próximo ano.

    ResponderExcluir
  4. Oi Cris:

    De fato, a cerimônia do Oscar foi sem paixão e isso é inadmissível de aceitar, porém a Academia sempre se conserva formal e sem um pingo de inovação nas premiações.

    O problema da premiação de Bullock é que ela fez um papel bem americano e bem perfeitinho caindo no gosto popular que reavivou o estigma da eterna namoradinha da América. O lobby funcionou. Sob o ponto de vista da interpretação, como falei na minha crítica de Um sonho possível, ela só fez um papel um pouco mais sério com um contexto dramático, mas não a achei um estupendo sucesso de interpretação para merecer o Oscar. Enfim, o prêmio veio a calhar pelo contexto, sorte dela!

    Lamentei muito Bastardos Inglórios não ser reconhecido como deveria.Só Waltz salvou a noite, mas isso foi insuficiente para quem acompanha o trabalho de arte de Tarantino.

    O Jeff Bridge merecia ganhar, não só pela interpretação, mas por ser um ator completo e humilde. Avaliando por este lado mais sólido de sua carreira, achei bom ele ter ganhado.

    Beijo,

    ResponderExcluir
  5. Oi Reinaldo,
    Dividimos a mesma visão sobre a celebração. Agora é esperar a do ano que vem e que venham filmaços para acirrar a competição e a qualidade dos indicados. bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Luis: A cerimônia foi frustrante e deixou realmente a desejar em comparação a do ano passado, agora é esperar a postura que eles terão no ano que vem, espero que o fracassante espetáculo deste ano os ajude a elaborar melhor a próxima cerimônia. A única questão é que talvez eles não enxerguem o fiasco deste ano porque eles estão vendo n. de audiência, principalmente e, sob este aspecto, o Oscar foi um sucesso e teve boa margem de audiência. bjs

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière