domingo, 28 de março de 2010

Maldita Sorte (Good Luck Chuck) - 2007



O ator comediante Dane Cook leva jeito para performar homens que são o playground sexual das mulheres. Em Maldita Sorte (2007) com Jessica Alba e no seu último trabalho Amigos, Amigos, Mulheres à parte (2008) com Kate Hudson, comédias muito engraçadas e com significativo apelo sexual já na própria linguagem do protagonista, ele conquista as duas belas atrizes em cena e ainda transa com uma série de mulheres que se rendem ao seu charme "pegador". O apelido de Dane deveria ser cock(opss! Tive que falar!). Não posso negar que, apesar da cara escrachada de cafajeste do ator, ele tem um abdômen espetacular com aqueles gominhos laterais bem delineados e que são difíceis de encontrar. Embora não o ache bonito, tenho que confessar que ele inspira exatamente três qualidades que combinam bem com seus papéis e que garantem diversão para mulheres que se atraem por tal tipo: descomplicadamente disponível para o sexo, corpo sarado e atrativo e cara de safado e senso de humor. Definitivamente, ele é um playground completo e, por incrível que pareça, nestes dois filmes ele se oferece às mulheres como um homem objeto, que respira e vive o sexo casual e que ainda é capaz de se apaixonar loucamente. Viva ao Dane Cock!






Ri bastante com seu último trabalho com Kate Hudson, no qual ele assina a produção, no entanto demorei bastante para assistir Maldita Sorte, ainda que seja uma comédia romântica. Parecia bem um besteirol apelativo quando li a sinopse a qual basicamente relata que Charlie Logan (Dane Cook), um charmoso e bem sucedido dentista, é amaldiçoado quando criança após rejeitar uma garota sinistra durante uma brincadeira de beijo. A maldição não parece tão má: ele terá várias mulheres mas não ficará com nenhuma delas e toda mulher com a qual ele transar, com o próximo homem que ela conhecer, ela se casará. Resumindo: Charlie está condenado a ficar sozinho sem se privar das mulheres, afinal, à medida que elas conseguem se casar após sair com ele, a famosa propaganda boca a boca fica mais dinâmica e Charlie se torna o amuleto da sorte de qualquer mulher que queira se casar Para os solteiros assumidos da contemporaneidade, esta maldição seria uma benção, mas para Charlie, virá a ser uma possível tragédia amorosa, em especial, quando ele encontra Cam Wexler (Jessica Alba) e se apaixona por ela, sofrendo as consequências de poder perdê-la após dormirem juntos.





Maldita Sorte
é um filme para entretenimento de veia cômica, mesclando o apelo sexual e romântico de um homem que se apaixona por uma mulher após ter dormido com várias outras. É um filme fadado ao estigma de ser mais uma comédia clichê, no entanto vale pela diversão. O fato de Charlie Logan ser bonito e bem sucedido e optar por transar com várias mulheres mais em função de ajudá-las a encontrar a alma gêmea do que propriamente divertir-se sexualmente torna o filme menos descartável e bastante válido para arrancar algumas risadas porque, verdadeiramente, Charlie é um homem bacana, ele só foi amaldiçoado e passa a acreditar nisso cedendo espaço a um comportamento de louco com a possibilidade de perder Cam. Eu ri bastante do cômico da situação, principalmente nos extras das posições sexuais de Charlie (a tosca sex matrix da história) e até pensei que não seria nada mal as mulheres terem um amuleto da sorte como Charlie, afinal, transar casualmente costuma dar mais azar do que sorte já que nós, mulheres, tendemos a fantasiar relações que começam a partir de um encontro descompromissado e, infelizmente, há muita decepção amorosa e falsas expectativas. Com Charlie isto não existe porque as mulheres transam com ele pensando no futuro marido que brevemente virá. Ambiguamente, ele é o foco da atenção mas não é o foco da relação. Esta idéia de amuleto da sorte, o "lucky cock", não deixa de fazer jus àquela velha citação que diz
: "Enquanto você não encontrar o homem certo, divirta-se com os errados."


Avaliação MaDame Lumière



Título original: Good Luck Chuck
Origem: Canadá
Gênero: Comédia romântica, Comédia
Duração: 96 min
Diretor(a): Mark Helfrich
Roteirista(s): Josh Stolberg, Steve Glenn
Elenco: Jessica Alba, Connor Price , Troy Gentile, Mackenzie Mowat, Sasha Pieterse, Caroline Ford, Dane Cook, Chelan Simmons, Dan Fogler, Natalie Morris, Ellia English, Chang Tseng, Michael Teigen, Chiara Zanni, Ben Ayres, Carrie Anne Fleming

4 comentários:

  1. Vizinha, arrume tempo para um chá. Tem adoçante no meu blog, rs!

    Acho que foi uma bendita sorte eu não ter assistido a essa comédia romântica.

    O LEITOR eu achei ótimo (adoro a Winslet e o Daldry) apesar da crítica ter ficado dividida.

    O filme A ORFÃ foi uma daquelas porqueiras: " Eu não sou a porra da sua mãe..." rs!

    Suas resenhas são sempre chiques e açucaradas..okay esqueça a xícara de açúcar..pego sempre aqui, rs!

    BJS!

    ResponderExcluir
  2. Achei Amigos, amigos, mulheres à parte bem melhor do que esse maldita sorte. De qualquer maneira, gostei do filme. Acho o Dane Cook, um cara carismático e com ótimo timing cômico. Escolhendo bons projetos, pode dar ainda muito o que falar. não sei se vc já teve a oportunidade de assisti-lo em stand up comedy. Ótimo. Ele tinha um programa de talk show tb nos EUA, mas não deu certo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Reinaldo,
    Eu também prefiro Amigos,amigos, mulheres à parte. Acho bem mais cativante e Kate Hudson é sempre uma simpatia em qualquer comédia romântica. Gosto também da forma como eles se apaixonam.

    Com relação a Dane Cook, eu acho que ele tem um charme cômico peculiar, mais viril e, ao mesmo tempo, meninão. Nos extras de Maldita sorte, ele inventa uma série de finalizações piadistas mudando o texto original e de forma muito rápido o que indica que ele é stand up comedian. Realmente espero que ele consiga mais trabalhos e que estes sejam bem mais interessantes.

    bjs!

    PS: Nunca vi o stand up comedy dele.

    ResponderExcluir
  4. Oi vizinho, que bom que você tem adoçante, adoro um edulCORANTE pra manter minha gostosura HAHA!...

    Pois é, bendita mala suerte... você tem algo contra o Dane Cook? rsrs...eu adoro ver o abdômen do moço já que não dá pra ver outra coisa rsrs...

    Eu gosto de O Leitor, embora acho que depois que entra Ralph Fiennes o filme fica meio deprê. E eu que pensava que Fiennes ainda ia ter tempo de degustar Winslet (mas depois que ela envelhece em cena, nem eu a pegaria) rsrs...

    Rsrsrs... a parte do "eu não sou a porra da sua mãe" é ótima... Precisa saber que o professor de luta da Farmiga...sabe o que eu fiz? Apertei o pause na hora do "eu não sou a porra da sua mãe"... e vi o pescoço da Esther em processo de quebra haha... como sou má!

    Você é um vizinho com mel e açucar, Rô! Obrigada pelo carinho e a amizade! Adoçou o meu dia!

    Bjs

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière