quarta-feira, 31 de março de 2010

Cadê os Morgans? (Did you hear about the Morgans?) - 2009



O diretor Marc Lawrence é mais um cara das comédias românticas. Em seu background de direção estão Amor à Segunda Vista (com Hugh Grant e Sandra Bullock), Letra e Música (com Hugh Grant e Drew Barrymore) e, agora, o mais recente lançamento em exibição no cinema: Cadê os Morgans? com Hugh Grant (de novo!) e Sarah Jessica Parker, ambos carismáticos em romances do riso, bem sucedidos e elegantes na medida certa para encenar o casal Paul e Meryl Morris (os Morgans), habitantes da ultra cosmopolita Nova York. É notável que Marc adora trabalhar com o ator britânico, Mr. Grant, que tem o charme cômico e os olhos românticos circulados pelas rugas mais sensuais do Reino Unido. Nesse longa metragem, Marc assina também o roteiro e diferente dos outros trabalhos de apaixonados solteiros que se encontram em suas solitárias vidas, em seu mais novo trabalho o diretor e roteirista aborda o casamento em vias de fracasso que tem chance de ser recuperado, basta uma ajuda fatal do destino.






Meryl (Sarah Jessica Parker) é uma corretora de imóveis bem recomendada em Nova York. Preside a própria empresa, participa em eventos sociais e filantrópicos, é uma lady moderna apaixonada por Manhattan que ama roupas, smartphones, internet e todo a praticidade e diversão que uma cidade como Nova York oferece. Separada de seu marido Paul (Hugh Grant), um bem sucedido e requintado advogado, eles ainda hesitam em se encontrar pois o casamento foi abalado por uma traição. Embora a confiança do casal foi quebrada, ainda há uma lacuna em aberto que pode uní-los novamente pois Paul sugere uma terapia de casal e deseja reconquistar Meryl. Após um jantar a dois, eles são testemunhas de um assassinato e, eis que a vida de ambos muda do vinho para o leite de vaca, de Nova York para o interior distante de Wyoming pois eles são obrigados a protegerem suas próprias vidas e integram o programa de proteção a testemunhas para fugir do assassino que está em seus encalços.





De todas as comédias românticas de Marc Lawrence, Cadê os Morgans? está comparativamente aquém das demais porque Hugh Grant e Sarah Jessica Parker poderiam render uma comédia muito mais robusta e com muito mais romance, inspirando os corações da audiência. Como são bem queridos, a expectativa é sempre maior, mesmo que o gênero do filme já é por sí próprio um clássico clichê. Isso acontece porque a idéia do enredo é boa mas não se trata de um casal que acabou de se conhecer e se apaixonar mas tem a dramaticidade de um casal que já construíu uma história, está ferido e se vê em uma situação que os obriga a encarar-se diariamente e salvarem seu casamento, além disso ambos saem de seus habitats normais e vão redescobrir o amor no fim do mundo. Cadê os Morgans? ainda garante boas risadas com um Hugh Grant romântico e previsível e uma Sarah Jessica Parker idem. Basicamente eles interpretam a eles mesmos. Grant muito educado até para o riso, garantindo aquele seu clássico senso de humor com ótimas e inesperadas tiradas e Sarah Jesssica Parker com a faceta clássica da mulher moderna voltado a assuntos como casamento, amor, carreira, filhos, e embalada também pelo gene que a une à eterna Carrie Bradshaw e seu insano amor à vida Nova Yorkina.





Os pontos altos do filme são a oportunidade de ver esses atores juntos performando exatamente o estilo que os consagrou e, analisar a importância de redescobrir o amor e dar uma chance ao perdão em um casamento que parece fadado ao fracasso. Sob esse último aspecto, Cadê os Morgans? serve-se de uma variável cômico trágica, ou seja, um casal que testemunha um assassinato e abandona todo o luxo de suas vidas para ir a um lugar desprovido de internet, telefone e tantas outras necessidades básicas para uma melhor socialização. Essa mudança de vida poderia ser deprimente, mas não o é porque, desprovidos de suas agendas muito ocupadas e de seus secretários que acompanham o passo a passo de seus compromissos, Paul e Meryl têm tempo de sobra para conversarem sobre seu relacionamento e curarem suas feridas, sem dúvidas, essa é a grande sacada do filme: tempo e espaço em uma paisagem bucólica para valorizar aquilo que é importante além do rush da cidade grande. Uma oportunidade única para uma reflexão fundamental: "Cadê minha real vida"? "Cadê o que realmente importa viver"?.



Avaliação MaDame Lumière



Título original: Did you hear about the Morgans?
Origem: EUA
Gênero: Comédia romântica, Comédia, Romance
Duração: 103 min
Diretor(a): Marc Lawrence
Roteirista(s): Marc Lawrence
Elenco: Hugh Grant, Sarah Jessica Parker, Natalia Klimas, Vincenzo Amato, Jesse Liebman, Elisabeth Moss, Michael Kelly, Seth Gilliam, Sándor Técsy, Kevin Brown, Steven Boyer, Sharon Wilkins, Sam Elliott, Mary Steenburgen, Kim Shaw

2 comentários:

  1. Oi, Madame!

    Primeiramente, tenho que dizer que seu texto é sempre gostoso de ler, querida!

    Mas, verdade seja dita: nem isso salva o filme que é um horror.

    Desde o bizarro poster de divulgação(olha a expressão de Hugh e Sarah, o contexto visual) ao trailer fraquinho já demonstrava o quão tosco seria o filme. Dito e feito. Sinceramente? quase saí na metade do filme, rs

    Bem verdade assumo: sempre achei Hugh Grant sempre ele mesmo - apático, chatinho, sem carisma e sem sexy-appeal, nem bonito ele é, rs...muito menos ator! Não tem jeito, minha repulsa com ele é evidente, eu acho que ele precisava mesmo é se aposentar, o cara não faz nenhum personagem bom em sua carreira...sempre a mesma expressão, fala sério! rs

    Sarah Jessica Parker ainda consegue ter carisma, é bonita, charmosa e convence. E só.

    Péssimo filme mesmo!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris!

    Obrigada pelo elogio. Altamente excitante ler suas elogiosas e carihosas palavras.

    Então peppery boy, eu também não gostei de Cadê os Morgans? como filme. Não achei péssimo como você achou,somente achei um desperdício unir estes dois fofos que amo e não rodar um filme mais inesquecível. Há comédias melhores e mais agradáveis.Senti que faltou algo especial neste filme.

    Eu gosto do Hugh Grant. Concordo que ele não muda o seu jeito, basta avaliar todos os seus trabalhos, ele realmente mantém-se igual, mesmo jeitinho bobinho, inglesinho e charmosinho, mas eu acho ele adorável, talvez por gostar das comédias românticas como Nothing Hill, quatro casamentos e um funeral e Letra e Música. Mais pelo filme do que pela performance dele.

    Beijinho!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière