Sou MaDame Lumière. Cinema é o meu Luxo.

Por  Cristiane Costa ,  Editora e blogueira de Cinema, e specialista em Comunicação   Longfellow Deeds, um adorável tocador de T...

O galante Mr. Deeds



Por Cristiane Costa,  Editora e blogueira de Cinema, especialista em Comunicação 



Longfellow Deeds, um adorável tocador de Tumba, interpretado pelo icônico Gary Cooper, herda uma fortuna , vira  motivo de notícias enganosas que descredibilizam sua sanidade e é alvo de oportunistas e ambiciosos.  Como essa dinâmica, Frank Capra, um dos maiores cineastas humanistas, realiza uma das mais divertidas e charmosas comédias do Cinema, O Galante Mr. Deeds.




Com várias produções no auge dos anos 30, o diretor é de uma época na qual as comédias eram afiadas para tratar temas sociais e criticar a sociedade de aparências  de um modo bem humorado e igualmente cortante. Contemporâneo de cineastas que investiram no gênero como  Howard Hawks e  Ernst Lubitsch, Capra é reconhecido pelo seu legado com clássicos como Aconteceu naquela noite (1934), Do mundo nada se leva (1938), A mulher faz o homem (1939) e A felicidade não se compra (1946) que enobrecem a comédia com um approach dramático bastante enraizado no idealismo do diretor. O velho ditado "Dinheiro não traz felicidade" cabe bem na filmografia de Capra. Em grande parte dos seus longas, a integridade do homem é reforçada como um valor universal e vital.






Merecidamente vencedor do Oscar de melhor diretor por esse filme, o cineasta demonstra um vigor excepcional na direção ao transformar um plot aparentemente medíocre em uma marcante comédia. No início, Mr. Deeds tem um jeito abobalhado e deslocado do mundo. Não se importa com dinheiro e tem uma reação atípica que muitos outros  não teriam ao ganhar um grande quantia de dinheiro. Muito querido pela população de uma cidade do interior, Mr. Deeds é apresentado como um homem íntegro e terno, bem nos moldes dos heróis Caprianos. Pouco a pouco, o roteiro do experiente  Robert Riskin, que tem uma forte parceria com Capra em outros filmes, evoluí para mostrar como as pessoas podem ser bem invejosas e nocivas com o outro. Mr Deeds vira motivo de chacota com posteriores danos pessoais. Aqueles que ama e que deveriam protegê-lo, como a jornalista Babe Bennett (Jean Artur), mostram as garras da ambição e da hipocrisia. Mas, nunca é tarde para se redimir! Afinal, Capra é um otimista.






A comédia é um espetáculo na junção do roteiro, elenco e direção. Transborda em elementos comuns nos filmes da época como o jornalismo impresso, a mise en scène de um tribunal e os personagens periféricos e patrióticos. Especificamente aqui, com destreza e articulação, Capra e Riskin trabalham muito bem com grande elenco. Há espaço para outros atores que se referem a personas que afetam a vida de Mr. Deeds e que são retratos dessa sociedade como Jean Artur, a jornalista esperta e ambiciosa que deseja subir na carreira, e  George Bancroft, o editor patético que adora notícias ridículas e topa tudo para a primeiro página. Personagens como fazendeiros, autoridades legais e médicas, vizinhas do interior e todos os  interesseiros em heranças também são essenciais para o grande momento: Mr. Deeds é louco ou não?. O que essa sociedade bisbilhoteira incapaz de olhar para o próprio umbigo tem a dizer? Ela está realmente atenta às virtudes do homem ou seus argumentos são tão superficiais como as aparências?






Com louvores, destaque especial para a paciência de Gary Cooper em um papel que a sanidade do personagem é testada. Além de combinar com os faroestes como o imperdível Will Kane, em Matar ou Morrer(High Noon), o ator cabe muito bem em personagens gentleman com suas feições angelicais que agregam humor, delicadeza e um toque de melancolia. Ele se destaca como um galã que não é apenas um rosto bonito mas um homem que transmite credibilidade, ética e atrai a simpatia do público. Assim é o Mr. Deeds: encantador! Ele encarna bem os peculiares atos que são foco de zombaria, o romantismo e a timidez diante da amada e o estilo nobre e lúcido de quem não perde suas humildes origens e não está à venda por qualquer preço. Até mesmo as mirabolantes ações de generosidade de Mr Deeds, obviamente nutridas pelos propósitos idealistas, sentimentais e políticos de Capra, são graciosos. Demonstram que talvez a generosidade seja um ato de loucura em um mundo ganancioso que, a todo momento, testa a nossa humanidade e mina o riso fácil, despojado. 





Ficha técnica do filme no Imdb O Galante Mr. Deeds

0 comentários:

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.

Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema.

No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.

Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière