sábado, 2 de outubro de 2010

O Pôster de Filme da Semana: Veludo Azul (Blue Velvet) - 1986


Por que este é o pôster da semana?

O chocante suspense clássico e memoravelmente estranho e perverso dos anos 80 não tem nada de vida em blue; pelo contrário,é um filme obscuro, bizarro, e igualmente atrativo como tocar um veludo azul, misterioso, sexy e de puro prazer, como ser levado ao mundano universo da verdade mais absoluta que há em cada ser humano: sua assustadora existência. O clássico dirigido por David Lynch tem em sua verve a sociopatia, o sadomasoquismo, a criminalidade, as drogas, o erotismo e a alucinógena piração de ser o que se é em um mundo no qual as pessoas fingem ser normais para se adequarem à hiprocrisia cotidiana.

O pôster da semana é um sensual deleite visual e, ao mesmo tempo, tem a pertubadora imagem dos desejos mais contraditórios: a misteriosa atração pela dor e pelo prazer. Dada a sua singularidade fetichista com uma fascinante luminosidade azul que preenche não só o fundo, como ganha a dimensão de colorir o chão, a mesa, a roupa da mulher que não tem rosto, mas é sexy, marcante e intimista o suficiente para adentrar nosso imaginário e seduzir-nos com sua cinta-liga e o seu sapatinho de boneca. A projeção do prazer sadomasoquista e do desejo violento é dado por uma mulher amarrada nos tornozelos, de pernas abertas e com a mancha de sangue ao lado. Deitada sobre a mesa de bilhar, será que esta misteriosa mulher foi invadida sexualmente?
Será que chorou de tanto medo ou de tanto prazer? Será que ela gostou de ser amarrada? Será que pediu para ser violada? Será que ela é Dorothy Vallens, a misteriosa cantora de boate (Isabella Rosellini)? Será que seu rosto está transfigurado? Será que foi asfixada pelo sociopata Frank Booth, no deslumbrante papel do saudoso Dennis Hopper? Será que está morta? Não sabemos... mas as luzes acima da mesa iluminam o seu rosto, revelam a sua identidade, testemunham a realidade dos fatos e o seu destino, atraem os olhares à sádica perversidade de Blue Velvet.

4 comentários:

  1. Ótima escolha, o poster é realmente belo e instigante, porém este é mais um filme que eu não vi. Espero reparar este erro logo.

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Oi Darling,

    este cartaz é lindo mesmo. Nunca tinha visto esta versão. Deu vontade de fuçar na filmografia de Lynch agora. Rs!

    Sobre as postagens anteriores: ' O Menino do Pijama Listrado é muito bom e emociona'. Outra coisa; o que houve com os meus comentários nos posts do Atração Fatal e A lista dos 7 pecados?
    Eu comentei! No dia tava dando problema no seu blog. Estava: BAD SERVICE, mas no dia seguinte eu comentei normal.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Salut,
    ça va?

    Eu adoooorei seu blog Madame.
    Seu gosto é um luxo, certamente.
    Aprecie o cinema sem moderação e aproveite o dia para sorrir (ainda não pagamos imposto para ser feliz)!
    Paz e sucesso.

    Samy DaDriii

    ResponderExcluir
  4. sou fã confesso de Lynch, encho o saco das pessoas que não aprovam para dar uma segunda chance ao diretor rs. E você escolheu o melhor poster de um dos melhores filmes do diretor. Fantástico: belo e chamativo, cartaz à altura do filme.


    Beijos, MaDame!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière