sábado, 5 de dezembro de 2015

No Coração do Mar (In The Heart of The Sea, 2015), de Ron Howard





Por Rodrigo Qohen
Jornalista e quadrinista pelo selo independente Baboon Mix


Baseado no livro homônimo do autor americano Nathaniel Philbtock, “No Coração do Mar” (In the Heart of the Sea) narra a jornada e tragédia da tripulação do navio baleeiro Essex perante à magnanimidade da cachalote branca que inspirou a caracterização de Moby Dick, esta, por sua vez, criada por Herman Melville (1819-1891).



Crédito foto: Jonathan Prime  © 2015 WARNER BROS. ENTERTAINMENT INC.


Chris Hemsworth, mais magro  para desempenhar o papel de Owen Chase


Prometendo uma das maiores remessas de óleo de baleia – o material era um dos combustíveis mais usados da época em que petróleo ainda não fora descoberto –, a nau americana Essex, em 1820, parte para os mares sob o comando do inábil e bem-nascido Capitão George Pollard Jr. (Benjamin Walker, o Abraham Lincoln caçador de vampiros). Chris Hemsworth (também o Thor em Vingadores) é Owen Chase, a figura central da trama e o segundo em comando na embarcação. O marinheiro de origens humildes é um dos melhores do ramo e tinha a promessa de que partiria para a aventura com título de capitão, mas a instituição patrocinadora da expedição muda seus planos colocando Pollard, herdeiro de uma tradicional família de baleeiros e fundadora da tal companhia, na liderança.








O enredo é dividido em dois núcleos: a jornada de caça aos grandes cetáceos e o “presente”, onde Melville (Ben Whishaw) faceja Thomas Nickerson (Brendan Gleeson), antes um jovem de 14 anos e criado de bordo (vivido por Tom Holland), o próximo  Homem-Aranha dos cinemas) e agora o velho amargurado e único sobrevivente da expedição que terminou em tragédia. Esta, resultado do náufrago causado pela grande baleia branca seguido de 90 dias à deriva com os remanescentes. O jovem garoto que dará vida ao herói aracnídeo é uma ótima surpresa e mostra maturidade e carisma em seu segundo drama aquático – interpretou uma das sofridas crianças em “O Impossível” (2012), longa que mostrou a experiência de uma família que sobreviveu ao tsunami do oceano índico em 2004.



Hemsworth, marcado por Thor, o deus nórdico brucutu , super-herói e membro dos Vingadores, mergulhou numa dieta hollywoodiana de perda de peso para viver seu personagem emagrecido pelos dias que passou em alto mar sob sol escaldante e falta de comida. O regime durou cerca de um mês e envolvia o consumo de 500 a 700 calorias diárias – a média para um homem comum é de 2500. Segundo o próprio ator, durante o processo que não recomenda para ninguém, se sentia “num daqueles reality shows de modelos” com seus companheiros, pois se pesavam cotidianamente e torciam para livrarem-se o máximo possível de quilos. Tanto sofrimento foi bem aproveitado na caracterização, mas não o suficiente para alarmar o público, afinal as interpretações não ultrapassam a cifra básica de melodrama para o tipo de situação. Nessa categoria, dentre os recentes, “A Vida de Pi” (2012) impressionou mais.



Crédito foto: Jonathan Prime  © 2015 WARNER BROS. ENTERTAINMENT INC.

SAM KEELEY como Ramsdell e CHRIS HEMSWORTH como Owen Chase


Sem grandes desapontamentos ou satisfações, “No Coração do Mar”, se revela como uma boa aventura. Ron Howard, o veterano diretor dificilmente faz filmes de qualidade baixa, mas se alterna entre os ótimos e os razoáveis – como nesse caso. “Rush: No Limite da Emoção” (2013), seu último trabalho, figura entre os pontos altos da carreira, enquanto “O Dilema” (2011), o predecessor, é mais fraco. Não há viradas narrativas inteligentes e o roteiro é preenchido com diálogos rasos – não há nenhuma frase memorável – e dramas preguiçosos, como a rixa entre os primeiro e segundo dirigentes do Essex, que não se aprofunda e ainda termina de forma banal.  O longa que conta a história que idealizou “Moby Dick”, se revela como previsível e esquecível.







Ficha técnica do filme Imdb No coração do Mar

Distribuição: Warner bros. pictures Entertainment
Lançamento nacional: 03/12/2015
Editora: Cristiane Costa aka MaDame Lumière
Fotos: uma cortesia Warner Bros Pictures



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière