domingo, 13 de dezembro de 2015

Sabor da Vida (2015), de Naomi Kawase




Por Cristiane Costa, Owner, Editora e Crítica de Cinema MaDame Lumière e Especialista em Comunicação Empresarial 





Na caótica vida contemporânea de tempos líquidos nas frágeis relações interpessoais, "Sabor da Vida" (AN) é um filme que recupera e valoriza coisas muito importantes na existência humana: a amizade que nasce da solidão e da aceitação, o convívio que amadurece após uma segunda chance, a esperança, a resiliência e o resgate da alegria,  a empatia com o outro, com o que ele é  e como vive. 





Kirin Kiki : uma atriz espetacular. 
Simpatia, cordialidade e experiência à flor da pele. Única em cena!



Assim, o novo longa-metragem da cineasta Naomi Kawase (de "O segredo das águas") é uma sublime ode sobre o ciclo da vida. Do nascimento, da maturidade e do perecimento que mudam como a estação das cerejeiras, que são tão representativas na cultura japonesa e lembram a morte, mas também a capacidade de renovação, de recomeçar novas jornadas. Através da amizade que floresce de três almas solitárias, especialmente entre a delicada senhora Tokue (Kirin Kiki) e o desesperançado padeiro Sentaro (Masatoshi Nagase), o público é apresentado a um dos filmes mais belos lançados em 2015.





A diretora Naomi Kawase: Super sensível em todos os aspectos da cinematografia. 

"Cinema é a forma em que construímos a realidade com o que é visível, mas, ao mesmo tempo, eu acredito que o cinema possa igualmente criar a presença do que é invisível na vida e apresentá-lo para nós, como platéia."



A história apresenta Sentaro como gerente de uma pequena padaria que vende Dorayakis, uma popular panqueca japonesa que é servida com recheio de pasta de feijão vermelho doce (AN). Com um passado misterioso que o leva a trabalhar incansavelmente, e contaminado por um comportamento de contínuo desânimo com os negócios, Sentaro não consegue fazer bons Dorayakis. Certo dia, conhece uma simpática e dócil senhora, Tokue, que se oferece para trabalhar com ele e lhe apresenta os prazeres de cozinhar um verdadeiro AN. Muito além da magia da culinária, a amizade toma rumos de uma incrível compreensão do outro e de que como, a todo o instante, serão desafiados pelos fantasmas do passado e a complexa natureza, intolerância e pressão da sociedade atual. 





Dorayakis: delícia no sabor, delicadeza no preparo.
 Filme sensorial em variados sentidos




Vencedor da Mostra internacional de Cinema de São Paulo (2015) como o mais votado pelo público, "Sabor da Vida" tem a beleza da natureza humana em toda a sua perfeição e sua imperfeição. Resulta em uma narrativa na qual a cineasta explora os aspectos sensoriais das diferentes estações do ano das cerejeiras, do cuidadoso preparo do Dorayaki como um ritual cultural da gastronomia Japonesa, das emoções genuínas que são expressas através da vontade de viver, do talento e da experiência de Tokue e como ela energiza bem os que a conhecem, do clima amistoso e da confiança que, pouco a pouco, são fortalecidos na amizade entre ela, Sentaro e a jovem garota Wakana (Kyara Uchida, neta de Kirin na vida real), da exemplar capacidade de diferentes gerações conviverem unidas e capazes de trocar experiências e confidências. 




Masatoshi Nagase: excelente ator como Sentaro, o personagem com o maior arco dramático e que reflete o poder de transformação individual.

"Às vezes um silêncio impenetrável nos engole. E, no entanto, a alegria resultante do compromisso e conexão com o mundo nos permite apreciar melhor suas mudanças e evolução" [Naomi Kawase]



Mas, apesar dos preciosos momentos de coração aberto ao outro existentes fortemente aqui, a narrativa carrega a dor de que a vida também rouba o tempo de cada um, de que as injustiças, preconceitos e pesares estão aí em uma sociedade cada vez mais mecânica e negligente com as boas relações e sentimentos. Dessa forma,  o longa é feito de sutilezas que guardam em si um poderoso desafio: como lidar com os obstáculos da vida? Como manter esta energia positiva de doar-se com amor e dedicação ao outro ou a uma atividade como fazer uma deliciosa comida? Tokue é a heroína da história e da vida. Ela é uma inspiração para qualquer um que deseja desistir, que está cansado de ser rejeitado, que está vulnerável e sofre com a solidão e o desespero.  


Nesse ponto, o roteiro, baseado na obra "An" (2013) de Durian Sukegawa, tem um aspecto maravilhoso para a sensibilidade da história e a importância da personagem Tokue: Os dorayakis são feitos com muito afeto e caem no gosto das pessoas. Os negócios crescem. Tokue é o sabor da vida em pessoa e ela é responsável por esse boom comercial.  Ironicamente, eles são feitos por uma senhora que tem uma doença que causa repulsa na sociedade japonesa, a lepra, que lhe trouxe perdas de dedos.  Conciliar a culinária com uma pessoa que, aos olhos da sociedade, não deveria cozinhar e vender Dorayakis para o público é um belíssimo acerto da história e conecta a plateia a uma realidade social: existe o National Tama Zenshoen na periferia de Tóquio, voltado para pacientes e ex-pacientes de Lepra e são pacientes que foram isolados da sociedade. Sim, a vida também é vilã e tem seus sabores amargos, inclusive os que afastam pessoas que precisam de apoio.






"neste filme, podemos ver o personagem principal, Tokue, sendo "roubada" da maior parte de sua vida, mas, ao mesmo tempo, ela também tinha aprendido um monte de coisas em função da situação vivida por ela"
(Naomi Kawase, sobre Tokue) 




Em diferentes momentos, o público verá que existe muita tristeza na vida de Tokue. Ela é uma velha senhora, sem família e com uma doença incurável, além de ser vista pela sociedade como uma prisioneira da lepra e, portanto, tem que permanecer oculta e distante do convívio social. Entretanto, a sua liberdade é a sua força de vontade, o seu dom para a superação. Essa maravilhosa virtude de Tokue é o que faz com que ela seja inesquecível e transforme a vida de Sentaro e Wakana. Seu jeito dócil e suas atitudes sábias são aquelas que energizam Sentaro a uma nova postura e, certamente, este é  um dos pontos mais fantásticos do roteiro. Criar esse elo de amizade que se converte em transformação individual e que sirva de inspiração para a mudança coletiva . O que é  a vida, afinal? Qual é a nossa missão aqui? Qual é o sabor que damos ao nosso cotidiano? Como as pessoas experimentam esses sabores que lhe servimos? É um sabor amargo? É doce? É picante? É agridoce? É feito e encorpado com um toque de doçura e de afeto? De boas experiências e de entrega afetiva incondicional?  


Apenas uma senhora tão bela como Tokue poderia nos deixar um delicioso "Sabor da Vida". É uma mulher para permanecer na memória do Cinema, na memória dos nossos corações. Gratidão a ela.






Ficha técnica do filme ImdB Sabor da Vida
Distribuição : Califórnia Filmes
Lançamento nacional : 03 de Dezembro de 2015
Fotos e trechos da entrevista: uma cortesia Califórnia Filmes.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière