quinta-feira, 23 de junho de 2016

Top 5 : Filmes do Festival Varilux de Cinema Francês 2016

Especial Festival  Varilux de Cinema Francês 2016

por Cristiane Costa,  crítica de Cinema MaDame Lumière






Este ano o Festival Varilux de Cinema Francês chegou à reta final provando que disponibilizou uma excelente gama de filmes inéditos. Com uma equilibrada agenda em diferentes localidades geográficas que movimentaram o circuito de exibição, o Festival ofereceu uma prévia de imperdíveis lançamentos que estão sendo distribuídos nos cinemas Brasileiros a partir deste mês.

O MaDame Lumière afirma com todas as letras: Não faltaram emoções em filmes que combinaram o dramático e o cômico com as fraquezas, as vivências e as paixões humanas. Não faltaram emoções em dramas comoventes que foram realizados com sólida pesquisa histórica e escritos de memórias. Não faltaram emoções em  comédias ligeiras com o gustativo toque de humor negro. Essa variedade de histórias propiciou ao público assistir a bons filmes com o privilégio de conhecer melhor jovens atores e realizadores e outros já experientes e estabelecidos na cinematografia Francesa,com destaque para as atrizes Lou de Lâage, Emmanuelle  Bercot e Catherine Frot, os atores  Omar Sy e James Thierrée e os cineastas Anne Fontaine, Christian Carion e Xavier Gannoli.

Desta vez, intencionalmente ou não, os organizadores do Festival atenderam  um importante pedido na programação:  uma edição com mais dramas, especialmente significativos e reconhecidos em premiações internacionais como Cannes, César e Veneza. Estes dramas não passaram desapercebidos e realmente se destacaram na programação e na avaliação do MaDame Lumière.

Com muito prazer, finalizo este especial Festival Varilux com o top 5  filmes da edição , baseado apenas nos filmes inéditos , com exceção da animação. É uma seleção que tentou perseguir, prioritariamente, as virtudes  da história,  da intenção do diretor, da pesquisa e seus resultados na produção, da atuação do elenco e da execução geral do longa.

Espero que vocês gostem da seleção destes filmes e, quem não pôde assisti-los, agende-se para uma memorável experiência cinéfila com estas belas histórias. Histórias que evocam nossa frágil (e universal) humanidade com todo o charme Francês.


Um abraço e obrigada por visitar o blog!

Cristiane Costa - MaDame Lumière








Chocolate (Chocolat)
Dir: Roschdy Zem 



Rafael Padilha, o "Chocolate",  primeiro artista circense negro na França ganhou vida com o carisma de Omar Sy. Neste palco construído no Cinema, o palhaço é homenageado por trazer o riso sem ocultar o seu drama pessoal, da ascensão à queda.





Viva a França (En mai, fais ce qu'il te plaît)
Dir: Christian Carion



A história da França é a história de inúmeras famílias que abandonaram seus lares para fugir da guerra e do cruel avanço do Nazismo. "Viva a França" é um belo retrato de memórias que ajudaram a construir o futuro de um povo, com esperança.





Marguerite (Marguerite)
Dir: Xavier Giannoli




A história de Marguerite, uma mulher apaixonada por óperas e entusiasta cantora clássica, que tinha muitas riquezas mas não tinha uma voz afinada. Sua intensa jornada como cantora é um grande espetáculo que mescla sua autenticidade e solidão com as mentiras e compaixão dos outros.







2º Meu Rei (Mon Roi)
Dir: Maïwenn


Amar é uma volta ao céu e ao inferno, assim é este relacionamento conturbado, realista, profundo e de altos e baixos em "Meu Rei". Um filme denso sobre um casamento em carne viva, que abre e fecha feridas, marca as cicatrizes, se faz presente por anos com dores emocionais impactantes.




1º Agnus Dei (Les innocentes)
Dir: Anne Fontaine


Um filme dirigido por uma mulher que compreende a alma feminina, com mulheres e sobre mulheres em um violento cenário de guerra. Agnus Dei tem o primor de uma direção que valoriza o solene, a vida, a compaixão e a gratidão, o resultado é uma belíssima jornada que converte a dor e a violência em  sobrevivência e segunda chance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière