domingo, 12 de junho de 2016

Dia dos Namorados: 10 filmes realistas sobre o AMOR

MaDame Listas
Sessão de Cinema Dia dos Namorados
por Cristiane Costa




"Blue Valentine", um dos filmes mais maduros sobre o amor vivenciado
em um casamento



Neste dia dos Namorados, o MaDame Lumière traz a você uma lista diferente de 10 filmes para celebrar o Amor.  É uma lista não idealizada por romances solares ou comédias românticas divertidas e com finais felizes. Este tipo de retrato "conto de fadas" sobre o amor não é real, assim sabemos. É o Cinema a serviço de nossos sonhos mais adolescentes de amor. 

A lista do dia é mais palpável, mais cotidiana e madura. É uma seleção de filmes que guardam em si a difícil arte e dor de amar, afinal, amar também é sofrer e se sentir sozinho, seja em um amor correspondido ou não, bem vivido ou não.

Espero  que você aprecie os "10 filmes realistas sobre o Amor" recomendados pelo blog. São dramas essenciais sobre relacionamentos em diferentes situações, do primeiro amor ao casamento e a impossibilidade de vivenciar o Amor. 

Um abraço,

MaDame Lumière






10º Educação (An Education, 2009), de  Lone Scherfig


A iniciação amorosa da jovem Jenny (Carey Mulligan) é uma jornada de deliciosas descobertas em Paris, acompanhada de cultura, música, elegância e do sedutor David (Peter Sarsgaard). Como toda educação amorosa, Jane tem uma inevitável decepção afetiva. O primeiro amor pode ser uma ida ao paraíso e ao inferno ao mesmo tempo e é necessário para o amadurecimento. 



 Meu Rei (Mon Roi, 2015), de  Maïween 
(Filme está em exibição no Festival Varilux de Cinema Francês 2016)


A anatomia de uma relação densa e dramática entre Georgio (Vincent Cassel) e Marie - Antoinette (Emmanuelle Bercot) deixa evidente que um amor verdadeiro também é doloroso e continuamente fraturado pelas diferenças, desapontamentos e o tempo. Em uma história que retrata quando se conheceram até suas idas e voltas, o filme esmiuça o "reino" do casamento onde o amor idealizado não existe, ainda assim,  o amor de uma mulher é tão intenso que ela o coloca como um rei.



8º  Ferrugem e Osso (De Rouille et D'Os, 2012), de  Jacques Audiard

Stephanie (Marion Cotillard) e  Alain (Mattias Schoenarts), duas pessoas solitárias e calejadas por diferentes dramas se encontram como duas almas perdidas que foram feitas uma para a outra. Da violência e da dor, nasce o amor, o companheirismo e a cumplicidade em uma perfeita love story que muitos considerariam imperfeita.



7º  Namorados para sempre (Blue Valentine,2010), de  Derek Cianfrance


O drama realista de um casamento que evoluí da intensa paixão ao desmoronamento da relação. Com Dean (Ryan Gosling) e Cindy (Michelle Williams), o amor é uma trajetória de altos e baixos como deve ser, sem idealizações, apenas a constatação nua e crua das delícias e dores do que é amar.




6º  Brilho eterno de uma mente sem lembranças 
(Eternal Sunshine of the spotless mind, 2004), de  Michel Gondry


Com o fim da relação, esquecer o amante é o desejo mais imediato, como uma rota de fuga para não sentir nenhuma dor da perda, apagar quaisquer doces e amargas lembranças. Aqui, o drama  de Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) é uma viagem sobre o amor e aqueles inesquecíveis momentos afetivos que guardam uma força que nem o tempo e nem a memória podem derrubar. 



5º  Amantes  (Two lovers, 2008), de James Gray

Um homem, duas mulheres bem diferentes, duas paixões. Qual delas Leonard (Joaquin Phoenix) deve escolher? O caminho mais seguro e convencional com Sandra (Vinessa Shaw) ou o mais intenso e apaixonante com Michelle (Gwyneth Paltrow). Querer amar duas pessoas é possível. Estar dividido entre as escolhas mais sensata e cômoda e a mais louca e libertária é uma das contradições  e dos impasses do Amor.



4º  Antes do amanhecer  (Before sunrise, 1995), de Richard Linklater

Os primeiros momentos juntos de Jesse (Ethan Hawke) e Céline (Julie Deply)  no filme 1 desta clássica e essencial trilogia sobre relacionamentos é uma apoteose de cenas intimistas que podem ter acontecido na vida de variados casais, todas bem dirigidas por um dos diretores independentes que mais entendem sobre a passagem do tempo. Como aquele amor que nasce em encontros inusitados e/ou improváveis, eles se conhecem e começam uma aventura regada a conversas descontraídas e maduras sobre si mesmos, a vida, os relacionamentos e o amor.



3º  Closer: perto demais  (Closer, 2004), de Mike Nichols

Com histórias afetivas que se relacionam entre si,  enfocando dois casais (Anna/Julia Roberts e Larry/Clive Owen) e (Dan/Jude Law e Alice /Natalie Portman),  Closer é um clássico dilacerante sobre o amor e os relacionamentos que nunca perderá a data de validade. Sem firulas, os encontros que culminam em traições, dúvidas, ofensas, desabafos e abandonos, o filme mostra a faceta mais dolorosa dos relacionamentos, mas também a mais confortante após o amadurecimento e fechamento de ciclos amorosos.



2º  Desejo e reparação (Atonement, 2007), de Joe Wright

Com Robbie (James McAvoy) e Cecilia (Keira Knightley), "Desejo e Reparação" é um dos dramas românticos mais trágicos do cinema. É dolorosamente a história de amor que aconteceu, mas não foi plenamente vivenciada pelos amantes. É uma separação causada por uma mentira pueril e imaginária, entrecortada pelo destino de uma guerra que contribuiu mais ainda para a distância dos apaixonados. Esta é uma das histórias de amor mais tristes e mais bem dirigidas de todos os tempos, uma obra prima  definitiva.




1º  Ela (HER,2013), de Spike Jonze

Em tempos líquidos de cultura digital , paixões e idealizações frágeis , fantasias virtuais, amores à distância e muita solidão e falta de amor, "Ela" é um contemporâneo e brilhante clássico sobre os relacionamentos e o amor, entre amar e deixar ir, entre amar de novo e deixar ir e, por fim, passar a observar uma visão mais abrangente sobre o amor e de como nós temos uma necessidade visceral de desenvolver afeto e ser amados, seja em meio digital ou não.

.

4 comentários:

  1. Boas dicas, de todos estes gostei demais de Desejo e Reparação e Amantes. Sempre bom ler o seu BLOG que prima pelo que há de melhor. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Amei tanto essa lista, Madame! <3
    DIVINA!

    ResponderExcluir
  3. Lista maravilhosa, Madame. Closer, Ela, Amantes, Blue Valentine... Sei nem por onde começar!

    ResponderExcluir
  4. Hummmm, o Festival Varilux está bem atrativo. Só verei os novos filmes com o tempo, em casa, mas adorando sua atualização do Festival.

    E, é claro, adorei esse especial do Dia dos Namorados e sua lista está perfeita, Madame. Eu adoro filmes realistas sobre relacionamentos, onde o piegas é posto um pouco de lado e quando a fita discute a problemática e faz um trabalho até mesmo de terapia de casal. "Blue Valentine" é o melhor exemplo. Também tenho predileção por "Closer" e a trilogia do Linklater. Também incluiria "De Olhos Bem Fechados", certamente o filme mais colossal sobre relações, embora se concentre também na jornada psicossexual do protagonista, mas não deixa de falar de amor por mais que Kubrick tenha sido rotulado de diretor frio e calculista durante anos. "Ela", de fato, também é um filme contundente, embora seja mais significativo para quem esta solteiro. A solidão é uma tristeza sem fim.

    Bjos,
    Curator

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière