terça-feira, 7 de setembro de 2010

Os Mercenários (The Expendables) - 2010




O que acontece quando um grupo de brutamontes do gênero de ação são reunidos em um filme sob a direção de Sylvester Stallone? Muita testosterona e adrenalina combinadas ativamente com muitas explosões, porradas e tiros, e a certeza de que, por mais que o roteiro seja fraco e cheio de furos, o mais relevante é vê-los unidos fazendo o que fazem de melhor: pancadaria para uma divertida sessão pipoca. Essa foi a idéia de Sylvester Stallone ao realizar Os Mercenários, longa metragem que ele assina a produção, roteiro e direção e ainda dá um toque Brasileiro ao filmar cenas no país e brindá-las com a presença da bela Giselle Itié em seu primeiro filme norte-americano. O elenco bombástico é reconhecido por suas habilidades físicas e combativas: Jet Li, Jason Statham, Dolph Lundgren, Terry Crews, Randy Couture, Steve Austins, Mickey Rourke, Bruce Willis, Arnold Schwarzenegger; e para os vilões da história, nada melhor do que trazer os gabaritados no quesito: Eric Roberts e David Zayas.






Os Mercenários são um grupo de guerreiros 'descartáveis', liderados por Barney Ross (Sylvester Stallone). Eles são contratados por Church (Bruce Willis) para fazer um trabalho informal por 5 milhões de dólares, trabalho que o ex-parceiro de Barney, Trench (Arnold Schwarzenegger, em uma ponta 'the flash') também estava cotado no páreo para realizá-lo. A missão é por fim ao General Garza (David Zayas), o ditador de Vilena, uma pequena ilha no Golfo e que tem negócios ilegais com um vilão americano Monroe (Eric Roberts). Para apoiar o grupo no primeiro e único contato local, Barney conta com a ajuda de Sandra (Giselle Itié), uma mulher corajosa que luta pela liberdade de seu povo. Mesmo com a parceria de David Callaham, Stallone entrega um roteiro com alguns buracos em uma narrativa mal elaboradora e um desenvolvimento que não prioriza nada além da ação de cortes rápidos para detonar o que deve ser detonado, o humor e a amizade que une o grupo e a trilha sonora que acrescenta mais adrenalina e testosterona à pancadaria; logo Os Mercenários é uma diversão descompromissada de qualquer trama mais profunda, mas é exatamente por ele ser assim que tem um ótimo valor e disparou nas bilheterias.






Para desfrutar de Os Mercenários (e não se frustrar com o roteiro e a direção) há que considerar que Sylvester Stallone foi original em um quesito: unir os astros consagrados do gênero ação porrada, principalmente em uma época que o Cinema não prioriza mais esse tipo de ação com referência nos anos 80; basta ver os últimos filmes de ação e verificar que não há mais espaço para cenas trash de uma violência mais tosca; atualmente as ações são acompanhadas por um Cinema mais sofisticado que reúne agentes como Jason Bourne, James Bond e outros que participam de tramas internacionais com intrigas políticas e de espionagem de uma agenda Global. Em Os Mercenários, a simplicidade do 'saía do meu caminho que eu vou bater ou atirar em você' é o que faz o filme, além de trazer homens fortes e tatuados com músculos bem desenvolvidos e caras de bad boys, fato que visivelmente agrada uma legião de fãs do gênero. O argumento é simples: eles são um grupo paralelo de extermínio, sem pátria e são qualificados para encarar a ditadura e o seu exército sanguinário. Quem faria esse trabalho sujo e que exige valentia? Os Mercenários, aqueles que são os descartados, que já não servem mais para o Cinema de ação nos moldes do que acontece hoje e não estão ali para defender bandeiras nacionalistas, então, a idéia de Sylvester Stallone não foi tão superficial e é muito boa; pode ser encarada como uma homenagem, uma crítica e até mesmo entretenimento puro do gênero já que é bem claro que os atores se divertiram em set na concepção de um filme de ação tão nostalgista. Não a toa que o filme é explosivo na mais divertida das acepções.






No geral, Os Mercenários é trash action 80's e tem o benefício do riso. Com as formas do roteiro e da direção, é possível rir até mesmo quando alguém está sendo torturado ou sendo enforcado, por isso ele faz côro à mais paradoxal das afirmações: é tão ruim que chega a ser bom; ele equilibra também as cenas de corpos explodidos, esfaqueados e metralhados com a sensibilidade que há no grupo. O clima de amizade é descontraído no qual há espaço para as piadas, o famoso 'tirar o sarro do outro' e para o perdão, logo Os Mercenários são homens sensíveis, tanto que Barney se encanta por Sandra, Lee Christmas (Jason Statham) defende a ex
-namorada Lacy (Charisma Carpenter) e Emanuel (Mickey Rourke, no papel de um tatuador) tem o seu momento desabafo e lágrimas em uma das melhores cenas do longa. Os estereótipos dos atores servem de viés para o humor e/ou para enfatizá-los como a altura de Jet Li, a careca de Statham, a política de Schwarzenegger, a vilania de Eric Roberts, a morenice Latina de Giselle Itié, a cara de pirado de Dolph Lundgren, a idade avançada de Stallone, etc. Para quem aprecia o gênero, os astros e gosta de rir, Os Mercenários são indispensáveis.



Avaliação MaDame Lumière


Título Original: The Expendables
Origem: EUA
Gênero(s): Ação, Drama
Duração: 103 min
Diretor(a): Sylvester Stallone
Roteirista(s):
Sylvester Stallone, David Callaham
Elenco:
Sylvester Stallone, Jason Statham, Jet Li, Dolph Lundgren, Eric Roberts, Randy Couture, Steve Austin, David Zayas, Giselle Itié, Charisma Carpenter, Gary Daniels, Terry Crews, Mickey Rourke, Hank Amos, Amin Joseph

7 comentários:

  1. Vc disse tudo madame. Como é saudável um olhar com perspectiva.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Só pelo Stallone ter reunido essa rapaziada toda já vale uma conferida.

    Cultura na web:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. não vou negar, estava virando o nariz para este filme, por vários fatores, principalmente sobre o que stallone havia falado sobre o nosso país, mais Ok, amargura não leva a nada, hehehehe.
    devido ao sucesso é um filme que estou curioso em ver, mesmo já sabendo o que me espera...

    abs.

    ResponderExcluir
  4. "Os Mercenários" faz jus ao cinema de ação dos anos 80. É uma obra sem cérebro, mas que é tão ruim que chega a divertir a gente de uma forma única.

    ResponderExcluir
  5. Olá, MaDame!

    Eu pretendo escrever uma crítica de "Os Mercenários" no meu blog ainda, mas adianto que ela não será tão positiva quanto a sua. Eu reconheço que o filme é uma "ode" ao cinema brucutu da década de 1980 e tal, mas desde quando a maioria daqueles filmes são bons? Salvo raras exceções. Mas é divertido e cumpre o que promete? Com certeza! O novo de Stallone basicamente "copia" a base dos filmes daquela época e adiciona astros que se imortalizaram por estrelarem aqueles filmes - e a geração nova.

    "Os Mercenários" é o desperdício do ano. Stallone tinha tudo nas mãos, menos um bom roteiro. E qual seria o motivo para assistir a esse filme e não a um antigo? Os astros, correto? Outra frustração! A química entre eles é gélida, não existe rs, são péssimos e sem um pingo de carisma - Statham até que convence um pouco, mas vá lá!

    Enfim, sinceramente esperava um filmaço de ação de "Os Mercenários" e entendo quem aprecie por ser uma "réplica" dos anos 80, mas eu não enxerguei nada além de uma grande decepção. Infelizmente.


    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, MaDame!

    Eu pretendo escrever uma crítica de "Os Mercenários" no meu blog ainda, mas adianto que ela não será tão positiva quanto a sua. Eu reconheço que o filme é uma "ode" ao cinema brucutu da década de 1980 e tal, mas desde quando a maioria daqueles filmes são bons? Salvo raras exceções. Mas é divertido e cumpre o que promete? Com certeza! O novo de Stallone basicamente "copia" a base dos filmes daquela época e adiciona astros que se imortalizaram por estrelarem aqueles filmes - e a geração nova.

    "Os Mercenários" é o desperdício do ano. Stallone tinha tudo nas mãos, menos um bom roteiro. E qual seria o motivo para assistir a esse filme e não a um antigo? Os astros, correto? Outra frustração! A química entre eles é gélida, não existe rs, são péssimos e sem um pingo de carisma - Statham até que convence um pouco, mas vá lá!

    Enfim, sinceramente esperava um filmaço de ação de "Os Mercenários" e entendo quem aprecie por ser uma "réplica" dos anos 80, mas eu não enxerguei nada além de uma grande decepção. Infelizmente.


    beijos!

    ResponderExcluir
  7. MaDameLumière não assiste o filme ainda mais vou conferir ótimo conteúdo no seu blog meus parabéns desejo sucesso
    Um grande abraço
    Ass:Rodrigo Rocha

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière