domingo, 25 de dezembro de 2011

Os Muppets (2011)



É muito mais divertido ir ao Cinema quando assistimos a uma cativante produção cinematográfica com o expertise de entretenimento da Disney. A nova diversão se chama Os Muppets, longa com um charme todo nostálgico ao trazer os bonecos fantoches Muppets, personagens ficcionais criados por Jim Henson, que contracenam com atores de carne, osso, carisma e riso como Jason Segel, Amy Adams, Jack Black e Zach Galifianakis e convidados bem especiais como Emily Blunt, John Krasinski, Selena Gomez, Neil Patrick Harris e Whoopi Goldberg. O resultado é uma história bem humorada, sensível e contagiante, embalada por música, dança e artísticas apresentações.

Walter (Peter Linz), um super fã dos Muppets, viaja de férias para Los Angeles com seu irmão Gary (Jason Segel) e a namorada dele Mary (Amy Adams). Lá descobre que Tex Richman (Chris Cooper), explorador petrolífero e vilão da história, planeja destruir o teatro abandonado dos Muppets para extrair petróleo. Para salvar o local, eles decidem partir em busca do sapo Kermit (Steve Whitmire) para que juntos possam reunir os Muppets, montar um novo programa de TV e arrecadar US$10 milhões necessários.





A história já é cativante e feita para emocionar a partir do início inusitado da narrativa. Vemos Walter, que nasce e cresce como Muppet em uma família humana e tem uma relação muito amiga com seu irmão Gary. Eles são muito unidos e tem um carisma em tela grande que roteiro, a edição e a trilha sonora se encarregam de enfatizar a beleza e sensibilidade desta conexão. Usam pijamas parecidos, escovam os dentes juntos, dormem no mesmo quarto, assistem aos Muppets. Este começo tem a sua razão de ser, pois a narrativa evolui para demonstrar que Walter é um grande fã dos Muppets desde que acompanhava os antigos programas dos fantoches na infância e na adolescência, demonstra um afeto tão especial por este mundo Muppets que chega a criar uma identidade com eles sonhando em ser um dos seus ídolos e fazer parte desta grande família. Quando surge a oportunidade de conhecer o teatro dos Muppets, Walter tem quase um enfarte de tanta alegria, mas como nem tudo é perfeito, terá o desafio de lutar para ajudar seus estimados Muppets, batalhando contra o tempo para reuní-los pois cada um tomou um rumo diferente na vida, além do desafio de se reconhecer como um artista, um integrante da família Muppets. Se por uma lado, os Muppets correm o risco de perderem seu teatro legado, por outro lado, a adversidade os ajudará a resgatar algo muito mais valioso do que US$ 10 milhões: a amizade, o talento, a alegria, a diversão e a união entre os Muppets.





O longa é uma excelente diversão para toda a família, e só vem a confirmar que a Disney continua tendo sua magia atemporal de emocionar o público, com belas músicas e personagens carismáticos. Ainda que a distribuição Brasileira do filme tenha colocado cópias dubladas que ocultaram o brilho musical da trilha sonora e tiram um pouco do espetáculo sonoro da fita, Os Muppets é o tipo de filme que ressalta como o amor, a amizade e o livre arbítrio movem a gente a fazer escolhas que valem a pena. Em algum momento da narrativa, algum Muppet fará uma escolha por um bem muito maior e sem preço, que prioriza a lealdade a uma história que foi construída e que continua viva. É um filme que começa com a missão de salvar um local físico, mas este é somente o motivo da ação, o que ficará no coração do espectador é a emoção que vai crescendo até o clímax e que cria esta sintonia com fantoches tão graciosos. Dá vontade de dizer bem alto: Os Muppets são demais e são para amar! Não a toa que a Disney comprou os direitos dos personagens por um astronômico valor, pois tem tudo a ver com o poder do encanto do Cinema da Disney e os estúdios sempre vão precisar de personagens únicos e inesquecíveis. Os Muppets são peculiares e especiais por serem autênticos, como por exemplo, o destaque especial vai para a charmosa personagem de Miss Piggy, hilária, vaidosa e estilosa. Apaixonada por Kermit, com o qual teve um relacionamento no passado que não evoluiu, ela fez o que normalmente a maioria das mulheres deveriam fazer quando perdem seus amores. Foi morar em Paris, ser chique e bem sucedida; tornou-se uma poderosa editora de uma revista de beleza e tem o orgulho passional e mal resolvido de boa parte das mulheres. Apesar da distância do seu grande amor, é uma miss de personalidade e atitude, ainda apaixonada por Kermit. Com tanta graciosidade e amorosidade, Os Muppets valem muitas Muppets sessões!


Avaliação MaDame Lumière



Título: The Muppets
País/Ano: USA (2011)
Direção: James Bobin
Roteiro: Jason Segel, Nicholas Stoller
Elenco: Jason Segel, Amy Adams, Chris Cooper, Jack Black, Zach Galifianakis, Emily Blunt, John Krasinski, Selena Gomez, Neil Patrick Harris,Whoopi Goldberg etc

3 comentários:

  1. Vou tentar pegar uma sessão ainda esta semana (:

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei a forma como esses personagens foram levados ao cinema nessa versão. Achei uma adaptação felicíssima. "Os Muppets" é aquele tipo de filme que a gente vê e abre um enorme sorriso no rosto, o que é maravilhoso de se sentir. Uma história carismática e cativante por demais.

    ResponderExcluir
  3. Madame, Feliz Natal atrasado pra você, sabe que te gosto demais e desejo tudo de bom pra ti do coração! Gostaria de ter te mandado um email, mas como essa semana foi muito corrida (mesmo não trabalhando rsrs) não deu tempo! No Ano Novo venho te bajular mais um pouco, hahaha. Tenho novidades que gostaria de compartilhar contigo, já que tu és uma grande amiga: passei no vestibular!!! OH YEAH =D Estou felicíssimo e muito animado pra essa nova etapa!

    Falando dos Muppets, adorei o filme. Não conhecia Miss Piggy, Caco e outros da minha infância (sou novinho demais =P), mas todos eles me cativaram muito. Sem falar que o filme é puro risos. Gargalhei mais do que as crianças da seção que eu estava! Chorei com o sapato-pum do Fozzie e o interminável assobio do Walter! kkk

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière