terça-feira, 17 de maio de 2016

Especial Cannes: O Amor e o Desejo em 15 filmes

MaDame Listas
Especial Festival de Cannes
por Cristiane Costa



Laura Dern e Nicolas Cage em "Coração Selvagem".
"O desabrochar de um amor jovem, passional, violento e erótico se transforma em um road movie dirigido por um dos mestres do Cinema Cult, David Lynch"





Amor e Desejo, duas belas palavras que  podem andar juntas ou separadas. O desejo vem com amor? O amor tem desejo? Tudo é possível! No Cinema, elas encontram variadas formas de manifestação através, em sua maioria, de dramas sedutores, passionais, violentos e contundentes. Não há limites para elas.  Entram pelos poros, seduzem os amantes, mexe com a mente e o coração, traz alegria e tristeza, gozo e dor. Esse universo narrativo é denso e complexo e, transitando entre os extremos do amor e do desejo, o público é convidado a observar suas delícias e dissabores.

O amor e o desejo sempre caminharam juntos nas competições do Festival de Cannes, por isso, grandes clássicos que abordam o amor e o desejo em toda, ou parte específica da narrativa, foram nomeados ou premiados merecidamente. São histórias que exploram as relações interpessoais, seja dentro ou fora de um casamento ou de uma relacionamento estável, com uma gama de abordagens que vão do erotismo fetichista ao drama familiar , realista e disfuncional.

Essa seleção de filmes especialmente preparada para você vai te seduzir e você vai amá-la! É o que espero!


Abraço e boa sessão!

MaDame Lumière




15º Mon Roi  (My King)
Dir: Maïwenn . Cannes 2015.
Prêmio de melhor atriz para Emmanuelle Bercot


"O que é o amor destrutivo na história de Tony? Colocar seu marido como rei da relação? Esperar um trono de paz no casamento? Gerar filhos? Ser o objeto de posse dele? Entre altos e baixos, Tony amou Georgio e ele foi seu rei."




14 º Azul é a cor mais quente (La vie d'Adèle)
Dir: Abdellatif Kechiche . Cannes 2013.
Vencedor da Palma de Ouro e prêmio FIPRESCI



"No começo era apenas o cabelo azul de Emma que atraiu o olhar de Adèle, depois, a paixão arrebatadora entre elas. Como amar é um risco e um aprendizado, essa é a sedutora (e sofredora) jornada de amadurecimento, de amor e prazer de Adèle, com uma das cenas de sexo mais  intensas entre lésbicas."



13º As canções de amor (Les Chansons d' amour)
Dir: Christophe Honoré. Cannes 2007.
Nominado à Palma de Ouro

"O encontro do Amor com o Desejo, da Música com o Cinema, da canção com o roteiro, com um filme terno e frágil sobre os encontros e desencontros do amor, a solidão, a busca de afeto e as dificuldades de expressar os sentimentos."




12º Carol(Carol)
Dir: Todd Haynes. Cannes 2015.
Prêmio de melhor atriz para Rooney Mara.
Prêmio Queer Palm

"O amor simplesmente acontece, por mais óbvia que seja essa citação. Assim foi com Carol e  Therese. Olhares e gentilezas trocadas, o desejo irresistível, uma aventura na estrada. Para amar de verdade, não é  possível olhar para trás."



11º Namorados para sempre (Blue Valentine)
Dir: Derek Cianfrance. Cannes 2010.
Nominado à Câmera de Ouro e ao prêmio "Un certain Regard"

"Entre a linha tênue do paraíso matrimonial e o desfecho da relação, reside uma verdade: casamentos têm problemas. Tem dores e delícias. Compreendê-las e aceitá-las faz parte do jogo. Tomar decisões também."




10º  Crash - estranhos prazeres (Crash)
Dir: David Cronenberg. Cannes 1996.
Nominado à Palma de Ouro
Vencedor do Prêmio Especial do Júri


"Cronenberg é mestre no Erotismo obscuro, fetichista, visceral. O desejo também é estranho e desconhecido. Sentir-se seduzido por "Crash" já é uma deliciosa preliminar. Mas, quando parar?"




9º Instinto Selvagem (Basic Instinct)
Dir: Paul Verhoeven. Cannes 1992.
Nominado à Palma de Ouro

"Instinto Selvagem é aquele clássico  atemporal  e provocativo que revela que, por trás da violenta natureza dos amantes, estão ocultos um  forte e incontrolável desejo sexual e um perigoso jogo de sedução e poder?"




8º Amantes (Two Lovers)
Dir: James Gray. Cannes 2008.
Nominado à Palma de Ouro

É possível escolher a quem amar? Se há duas ou mais possibilidades como em "Amantes", é possível escolher qual relação potencialmente funcionará melhor e apostar nela. Seguir a paixão ou um relacionamento mais convencional? Esse é o drama de  Leonard! Antes de escolher, ele precisa lidar com seus medos, dúvidas e inseguranças."



Dir:  Michael Haneke . Cannes 2001.
Nominado à Palma de Ouro
Vencedor de melhor prêmio do Júri
Prêmio de melhor ator para Benoît Magimel
Prêmio de melhor atriz para Isabelle Huppert

"O desejo sadomasoquista levado ao extremo. Huppert está em cena em estado de obscura graça. Com ela está todo o erotismo doloroso de uma mulher de desejos reprimidos que gosta de observar pornografia, mutilar as partes íntimas, provocar um homem sem finalizar o ato sexual, entre outras taras."





6º Cidade dos sonhos (Mulholland Drive)
Dir: David Lynch. Cannes 2001.
Nominado à Palma de Ouro
Vencedor Prêmio Diretor

"No meio da onírica e bizarra direção de David Lynch, o desejo entre Betty e Rita é uma realidade visualmente atrativa, narrativamente obsessiva e dolorosa."






5º  Ondas do destino (Breaking the Waves)
Dir: Lars von Trier. Cannes 1996.
Nominado à Palma de Ouro
Grande Prêmio do Júri

"De uma maneira devastadora, por trás de toda moralidade religiosa e a falha natureza humana, está uma angustiante história de amor  que ultrapassa as quatro paredes do casamento de Bess e Jan e explora o sexo extraconjugal, a angústia, a culpa e os limites de uma relação" 





4º Coração Selvagem (Wild at Heart)
Dir: David Lynch . Cannes 1990. 
Vencedor da Palma de Ouro






"Com uma mistura de fábula e realismo visceral, recheado de digressões, fotografias com cores esfumaçadas a la Lynch, cortes e montagem não lineares, a liberdade de amar com um "coração selvagem" , sem freios e sem responsabilidades é um dos atrativos desse clássico"





3º Adeus, minha concubina (Farewell  My Concubine)
Dir: Cheng Kaige . Cannes 1993.
Vencedor do Prêmio FIPRESCI
Vencedor da Palma de Ouro

"A exuberância da tradicional ópera de Pequim se une à tragédia dos amantes em um envolvente triângulo amoroso e um amor impossível. Como ocorrem em clássicas histórias de amor, quando há  a mistura de triângulo com amores não correspondidos, o trauma é devastador"




2º O Piano (The Piano)
Dir: Jane Campion . Cannes 1993.
Vencedor da Palma de Ouro
Prêmio de melhor atriz para Holly Hunter


"Em um dos mais belos e envolventes dramas do Cinema,  os desejos de Ada e George passam pelas vibrações e sedutora poesia de um piano. Como um encantador personagem, é ele que abraça, dinamiza e inebria essa incontrolável paixão"



1º Amor à flor da pele (in the mood for love)
Dir: Kar Wai Wong . Cannes 2000.
Nominado à Palma de Ouro. Vencedor do prêmio técnico
Prêmio de melhor ator para Tony Chiu Wai Leung

"Se há um filme que evoca o amor e o desejo tão à flor da pele com uma magnífica poesia virtual, esse é "Amor à flor da pele". Luz, enquadramentos, movimentos de câmera e cortes fluem de uma maneira sublime e em sintonia com as discretas emoções dos amantes. Uma obra de Arte que tudo diz sobre o desejo e o amor, mesmo em silêncio."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière