sábado, 2 de janeiro de 2016

MaDame Retrospectiva: 10 filmes, 0 expectativa, 10 melhores achados

MaDame Retrospectiva 
por Cristiane Costa



Durante o excelente ano cinéfilo de 2015 e com a grande quantidade de lançamentos e Mostras de Cinema, muitas novidades maravilhosas surgiram na telinha. Entretanto, há sempre um número específico de filmes pelos quais não há nenhuma expectativa e, de repente, ele surge como um grande achado.

Normalmente filmes desconhecidos, ou de novos diretores, ou que não estavam na watching list do MaDame Lumière. Até que, a magia do Cinema acontece: um amigo cinéfilo recomenda o longa, um colega crítico escreve bem sobre ele , a gente encontra na lista de recomendação de alguém ou na programação de um festival e, assim por diante, a curiosidade aumenta mais e mais e não dá para resistir a mais um filme potencialmente interessante.

Esta seleção especial é um pouco diferente da 20 filmes surpreendentes. Ela é bem eclética e prioriza 10 filmes que consideramos os melhores achados exatamente porque a expectativa estava zerada e eles nem faziam parte do radar do blog.

Espero que curtam a lista e que seja um bom achado para vocês!




10. Camino a la paz, de Francisco Varone

um dos filmes mais agradáveis da 89ª Mostra internacional de Cinema de São Paulo por reunir três atrativos: tem um roteiro de road movie combinado com comédia dramática, tem a beleza e a qualidade audiovisual das histórias transformadoras e bem humoradas do Cinema Argentino e tem Rodrigo de la Serna e Ernesto Suarez como uma dupla que faz uma viagem incrível juntos, uma bela jornada de aceitação, tolerância e paz."





9. Party Girl, de Marie Amachoukeli, Claire Burger , Samuel Theis

"O que acontecerá à esta fascinante Party Girl?  Observá-la e perceber se há algo de Angélique em nós é o grande prazer deste filme. Para as mulheres que têm espírito livre e autonomia, sem abrir mão do valor da família, Party Girl tem de tudo para ser marcante."






9. Straight Outta Compton - a história do NWA, de F. Gary Gray

"A história sobre a criação, sucesso e decadência do grupo de gangta rap "NWA" traz a força do cinema independente Americano, de ótimos atores negros, da importância do Hip Hop na formação de um dos maiores grupos do gênero na década de 80 dos Estados Unidos e a da música como direito à voz da identidade, da justiça, da liberdade e do questionamento contra o sistema.  O longa  tem vigor na direção, eficiente montagem, excelente ritmo e uma história que desperta o interesse e entretém." 




7. Boa noite, mamãe, de Severin Fiala e Veronika Franz

" Com uma excelente direção e design de produção que usam bem os espaços da casa e coopera para criar um sensação de suspense, a câmera acompanha crianças que já estavam misteriosamente sozinhas em casa e que começam a ter conflitos com a suposta mãe. Ótimos enquadramentos que remetem ao horror, uso de insetos asquerosos e moderna fotografia fantasmagórica contribuem para valorizar o estilo do gênero e a fantasia."





6. Desde allá, de Lorenzo Vigas

"A riqueza do roteiro está no arco dramático dos personagens por conta da transformação do relacionamento. De estranhos passam a um nível de intimidade inesperada, porém, a todo o momento é uma amizade que tem uma tensão explícita e uma potencial abertura para uma desestruturação de suas vidas. Ao mesmo tempo que cedem à uma afeição, podem estar enganando um ao outro. Tudo é possível e as possibilidades de reflexão são variadas!"





5. O botão da pérola, de Patrício Guzman

" Uma ode visual sobre a história da humanidade. Da poderosa vida existente nas águas à história, evolução e luta de povos latino americanos, este documentário é uma magnífica expressão de storytelling através de imagens deslumbrantes apoiadas por uma fotografia de forte encantamento sensorial e uma narração belíssima com momentos de reflexivas digressões."




4. Victoria, de Sebastian Schipper

"Um plano sequência de 134 minutos, uma nova estrela chamada Laia Costa, uma fotografia exata para o "mood" do filme e uma direção com fôlego que não deixa a batuta cair  fazem de Victoria um filme com uma direção vigorosa, no pique e uma grande aventura na madrugadas das ruas de Berlim."





3. A ovelha negra, de Grímur Hákonarson


 "De origem Islandesa, esta comédia dramática é imperdível, divertida e bem dirigida. É uma história que conta um conflito entre dois irmãos e um negócio de ovelhas  e mostra que há muita ambição e mágoas no seio familiar, mas também esperança de que, apesar dos conflitos, irmãos serão sempre irmãos."




2. Ex machina, de Alex Garland

" Uma  envolvente ficção científica sobre inteligência artificial, na qual o humano e a robótica se unem em uma história profunda sobre  vida, desejo, amor , solidão e liberdade. Um filme para sentir e refletir sobre a nossa humanidade e os limites entre a emoção e a razão , principalmente através da delicada atuação de Alicia Vikander como a andróide AVA."




1. O Sabor da vida , de Naomi Kawase

"apesar dos preciosos momentos de coração aberto ao outro existentes fortemente aqui, a narrativa carrega a dor de que a vida também rouba o tempo de cada um, de que as injustiças, preconceitos e pesares estão aí em uma sociedade cada vez mais mecânica e negligente com as boas relações e sentimentos. Dessa forma,  o longa é feito de sutilezas que guardam em si um poderoso desafio: como lidar com os obstáculos da vida? "


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière