quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

MaDame Retrospectiva: Top 10 - melhores filmes Brasileiros - 2015

MaDame Retrospectiva 
por Cristiane Costa



O MaDame Lumière, com uma proposta cada vez mais multicultural e humanista para falar sobre Cinema, continuamente homenageia as melhores produções do Cinema Brasil. Em 2015, participamos do Festival É tudo Verdade, no qual conhecemos documentários novos como "Sou Carlos Imperial", além de prestigiar  filmes  Brasileiros na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, como foi o caso de "Boi Neon". Ambos a serem lançados este ano.

A grande novidade desta seleção é uma boa notícia: na opinião MaDame, o melhor filme Brasileiro lançado em 2015 nos Cinemas não foi um longa de ficção, foi um documentário, o que mostra que esta é uma seara que o Cinema Nacional pode explorar cada vez mais.

Com uma lista diversificada, este top 10 é uma celebração simbólica e agradecimento a todos os produtores, diretores e equipes , distribuidores  que têm se empenhado para um Cinema Brasileiro mais independente e reconhecido internacionalmente.



10. Os últimos cangaceiros  (Dir: Wolney Oliveira) 


"Memórias de um Sertão de quem conviveu ao lado de Lampião e Maria Bonita, memórias de um Brasil emoldurado pela beleza da história Nordestina."



9. Califórnia (Dir: Marina Person) 

" Juventude, música e ritos de passagens de quem viveu os anos 80 quando jovem e sente saudades."




8.  Olmo e a gaivota (Dir: Petra Costa e Lea Glob) 

"Uma mulher grávida, distante da carreira de atriz e muitos sentimentos  e desabafos. Mais um belo mergulho na alma feminina feito com poesia e delicadeza. "



7. O último cine drive-in (Dir: Iberê Carvalho) 

"Bem vindo ao nosso último e verdadeiro cine drive-in em Brasília, que mobilizou pessoas e emociona com uma linda história sobre família, recomeços e Cinema."



6.  Últimas conversas (Dir: Eduardo Coutinho) 

"Coutinho não partiu. Ele vive através das pessoas que ele entrevistou. Últimas conversas  tem momentos tristes e engraçados com os quais o público se conectará facilmente. É autêntico como a juventude Brasileira e como Coutinho sempre será lembrado."



5. Branco sai, preto fica ( Dir: Adirley Queirós) 

" Entre a ficção e a realidade, entre uma cidade com grades e a liberdade do Cinema, o filme ocupa seu espaço e sua voz para falar da cruel realidade brasileira sobre exclusão, preconceito e diferenças sociais."



4. Casa Grande ( Dir: Fellipe Barbosa) 

" A classe média quer manter as aparências  e não quer perder privilégios, a sociedade Brasileira mantém o ranço de estruturas de casa grande e senzala em pleno século XXI, o filme é uma dramédia que fala tudo isso com ótimo senso de humor."



3. A história da eternidade (Dir: Camilo Cavalcante) 

"Uma poesia visual absoluta que atravessa as fronteiras entre tempo e espaço, envolve o público em um lugar que se faz eterno e verdadeiras histórias de mulheres que convivem com o amor, o desejo, a solidão."



2. Que horas ela volta (Dir: Anna Muylaert) 

"Um filme que destrói velhas estruturas de opressão e submissão, reconstrói novas esperanças aos que lutam por dias melhores e provoca uma bela reflexão sobre nosso lugar no espaço social Brasileiro."




1. Cássia  (Dir: Paulo Henrique Fontenelle)  

"Rock, nostalgia, provocação, arte, liberdade e muitas histórias marcantes. Cássia passou como um furacão e deixou saudades.  Um filme que valorizou a saudosa cantora de forma digna e à altura de seu valor."


*Para a elaboração desta lista, foram considerados apenas filmes lançados no Brasil em 2015 e um top 10 geral, independente se é longa de ficção ou documentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière