terça-feira, 3 de novembro de 2015

Mostra SP: Desde allá ( From far, 2015), de Lorenzo Vigas

MaDame te mostra a Mostra internacional de Cinema 
Uma seleção especial de filmes na semana mais cinéfila de São Paulo
Acompanhe!






Por Cristiane Costa


Desde Allá (From far) é o primeiro longa-metragem do diretor  Lorenzo Vigas  em uma bem sucedida coprodução México e Venezuela que envolve produtores e cineastas influentes nas produções cinematográficas deste eixo, entre eles Guillermo Arriaga ("Amores Brutos", "21 gramas"), Rodolfo Cova, Michel Franco ("Depois de Lucía" e "Chronic"). À frente da produção executiva estão Édgar Ramirez ("Carlos") e  Gabriel Ripstein. Esse último realizou seu debut com "600 milles"  que venceu o "Best first Feature awards" no Festival de Berlim 2015 além de ser o representante do México para concorrer a uma das vagas da categoria de melhor filme estrangeiro - Oscar 2016. Para completar a competente equipe, reuniram-se ao projeto um dos diretores de fotografia mais solicitados no Cinema Latino Americano: Sergio Armstrong, que realizou excelentes trabalhos com o diretor chileno Pablo Larraín, entre os quais "No" e o mais recente "El Club", um ator incrível como Alfredo Castro ("El Club") e o jovem revelação Luis Silva.




Alfredo Castro, Lorenzo Vigas e Luis Silva : 
parceria que deu certo e um Leão de Ouro



A estreia de Vigas começou em grande estilo. O filme ganhou o  Leão de Ouro no Festival de Veneza com méritos. Trata-se de um projeto cinematográfico que mostra uma história contundente , uma direção segura e dois protagonistas que criam uma forte tensão sexual e dramática. Armando (Castro) é um micro empresário que trabalha com próteses dentárias. Tem cerca de 50 anos, nunca se casou e nem tem filhos, logo, tem grana suficiente para arcar com um desejo específico: abordar garotos da periferia da Venezuela, pertencentes a gangues e bem pobres, e pedir-lhes para ficar nus mediante oferta  de uma boa quantia de dinheiro. De forma muito facilitada, os jovens acabam aceitando o convite por mero interesse financeiro. Armando não os toca. Gosta de observar e se masturbar. Até que um dia ele encontra Elder (Luis Silva), jovem agressivo e difícil de ser influenciado. Ao invés de se distanciar de vez, Armando fica mais obsessivo pelo rapaz. A relação entre eles se desenvolve entre a atração e a repulsa, entre interesses e afeto. Cada um, a seu modo, exerce um intenso poder sobre o outro.






A riqueza do roteiro está no arco dramático dos personagens por conta da transformação do relacionamento. De estranhos passam a um nível de intimidade inesperada, porém, a todo o momento é uma amizade que tem uma tensão explícita e uma potencial abertura para uma desestruturação de suas vidas. Ao mesmo tempo que cedem à uma afeição, podem estar enganando um ao outro. Tudo é possível e as possibilidades de reflexão são variadas! Armando apenas deseja Elder? Elder quer apenas o dinheiro de Armando? Até que ponto Elder é confiável? Armando vai querer se livrar de Elder? Eles se apaixonarão um pelo outro? Elder vê em Armando uma figura paterna já que tem um pai ausente? Armando suportará ter Elder em seu encalço? As perguntas não terminam. Este efeito provocativo e uma história que não entrega o conflito totalmente digerido  faz de "Desde Allá" um filme notável entre as últimas produções da América Latina.


É interessante notar que a direção aproveita habilidades e estilo da equipe que o produziu para ter uma força dramatúrgica e um visual bem marcante. A história é inspirada por Arriaga e Vigas. Neste caso, Arriaga gosta de temas fortes ao lado do produtor Michel Franco, característica que joga o espectador em uma narrativa que não o deixa passivo, inerte ao conflito.  O DOP Sergio Armstrong entrega mais um trabalho excepcional de fotografia, principalmente  na maneira que contribui para dar um tom bem realista na evolução desta intimidade que, pouco a pouco, vai entrando em cena na casa de Armando e, depois ganha espaço no ambiente externo como os bem executados enquadramentos em cenas nas quais estão próximos ao mar e em uma festa.







Mas o destaque maior é a dupla de atores e a fusão da experiência de um com a revelação do outro.  Há uma sinergia boa entre Alfredo Castro e Luis Silva porque seus personagens conseguem atrair-se mas também provocam distanciamento.  Assim, a relação é uma mistura de emoções que muitas vezes são contraditórias. Ambos interpretam pessoas de níveis sociais, idades e educação bem diferentes, como consequência, a história torna-se mais atrativa com a aproximação desses dois mundos e seus choques. Alfredo Castro faz uma atuação crível e, como em "El Club" de Larraín, mais uma vez ele encarna um personagem homossexual notadamente misterioso, dúbio, instigante.  Por outro lado, por trás da violência de Elder, há também sedução, ousadia, ternura e carência. Luis Silva evolui muito bem para nuances interpretativas como o desabrochar da sexualidade, a carência de afeto e o jogo de interesses movido por dinheiro e , desta forma, destaca-se como um dos emergentes talentos para novos filmes. 




Ficha técnica do filme ImdB Desde allá




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière