Sou MaDame Lumière. Cinema é o meu Luxo.

Por  Cristiane Costa ,  Editora e blogueira crítica de Cinema, e specialista em Comunicação A mais recente animação da Dr...

O poderoso chefinho (The Boss Baby)





Por Cristiane Costa,  Editora e blogueira crítica de Cinema, especialista em Comunicação



A mais recente animação da Dreamworks, O poderoso chefinho  (The Boss Baby), reúne o mundo adulto com o infantil contando a história de um bebê mandão (voz de Alec Baldwin) que chega a uma família e desperta o ciúmes do irmão Tim (Tobey Maguire/  Miles Baksi). Por trás de sua carinha fofinha, esconde um típico gerente empresarial, daqueles bem racionais e arrogantes. Ligeiramente bizarra e engraçada por ter um "bebê com personalidade adulta", a animação mostra que ele tem uma missão na terra e está disposto a infernizar a vida de Tim.

Ainda que o estúdio Dreamworks não realize animações tão incríveis e memoráveis como a Pixar/Disney,  a ideia de "O poderoso chefinho" é bem autêntica pois, por mais louco que pareça, quando um bebê chega a uma família, ele(a) se torna o centro das atenções, como um chefinho bem bonitinho e mimado. É natural os irmãos sentirem ciúmes, insegurança e carência quando chega um novo membro à família. Aqui não é diferente e é exatamente esta a força do filme: aceitação, fraternidade e afeto familiar que superam qualquer indiferença e intolerância.

o poderoso chefinho the boss baby


Mesmo que o poderoso chefinho tenha uma missão para salvar a própria pele e ser promovido, ele também tem a chance de aceitar o afeto de sua família e transformar a sua vida. Como a maioria das animações, o que vale a pena é a transformação durante a jornada. O bebê e Tim têm um tempo para passar juntos e se ajudarem, oportunidade que estão mais conectados e desenvolvem um amor fraternal.


É interessante observar que, por tradição, executivos não costumam ter vidas próprias, seguem ocupados, estressados e ambiciosos, sendo constantemente sugados pelas demandas das empresas e pela culpa. A animação toca nesse aspecto ao tornar uma criança tão adulta e insuportavelmente ligada a resultados empresariais. Há momentos nos quais o bebê chefe é insuportavelmente chato e racional, mas também cheio de um humor ácido.


o poderoso chefinho the boss baby - 2



De alguma forma, pais, filhos e toda a família serão privilegiados ao assistir a este divertido filme pois ele mostra que há valores muito maiores do que o ganho material, a reputação, a aparência e o status. Com essa temática, talvez alguns pais muito ocupados possam repensar a qualidade do tempo que gastam com os seus filhos. Por outro lado, as crianças podem aprender a dividir as coisas e os sentimentos, inclusive respeitar a  atenção dada pelos pais a outros irmãos e familiares.







2 comentários:

  1. Adoro os filmes de animação e juro que é meu gênero preferido, eu recomendo O Que Será de Nozes 2, passou as minhas expectativas, em sério é uma história super bonita e os personagens são as coisas mais fofas do mundo, você já viu? Eu recomendo, é um de os melhores filmes animação, acho que o ator principal fez um trabalho excepcional e demonstrou suas capacidades, adoro assistir filmes animados! É um filme que vale muito a pena ver. Adorei a participação de Jackie Chan. Espero poder seguir de pertos seus próximos projetos para a evolução do seu trabalho. Realmente recomendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulina, tudo bem? Obrigada pela visita. Também adoro os filmes de animação e, de uns tempos pra cá, me aproximei cada vez mais deles. Eu ainda não vi "O que será de nozes 2", mas depois da sua dica, com certeza, já vou atrás dele. O último que vi foi o "The star", na época de Natal e achei dentro da média, mas valeu a pena pela história bíblica e o espírito de Natal. Obrigada e um abraço.

      Excluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.

Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema.

No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.

Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière