Sou MaDame Lumière. Cinema é o meu Luxo.

Por  Cristiane Costa ,  Editora e blogueira crítica de Cinema, e specialista em Comunicação A mais recente animação da Dr...

O poderoso chefinho (The Boss Baby)





Por Cristiane Costa,  Editora e blogueira crítica de Cinema, especialista em Comunicação



A mais recente animação da Dreamworks, O poderoso chefinho  (The Boss Baby), reúne o mundo adulto com o infantil contando a história de um bebê mandão (voz de Alec Baldwin) que chega a uma família e desperta o ciúmes do irmão Tim (Tobey Maguire/  Miles Baksi). Por trás de sua carinha fofinha, esconde um típico gerente empresarial, daqueles bem racionais e arrogantes. Ligeiramente bizarra e engraçada por ter um "bebê com personalidade adulta", a animação mostra que ele tem uma missão na terra e está disposto a infernizar a vida de Tim.

Ainda que o estúdio Dreamworks não realize animações tão incríveis e memoráveis como a Pixar/Disney,  a ideia de "O poderoso chefinho" é bem autêntica pois, por mais louco que pareça, quando um bebê chega a uma família, ele(a) se torna o centro das atenções, como um chefinho bem bonitinho e mimado. É natural os irmãos sentirem ciúmes, insegurança e carência quando chega um novo membro à família. Aqui não é diferente e é exatamente esta a força do filme: aceitação, fraternidade e afeto familiar que superam qualquer indiferença e intolerância.

o poderoso chefinho the boss baby


Mesmo que o poderoso chefinho tenha uma missão para salvar a própria pele e ser promovido, ele também tem a chance de aceitar o afeto de sua família e transformar a sua vida. Como a maioria das animações, o que vale a pena é a transformação durante a jornada. O bebê e Tim têm um tempo para passar juntos e se ajudarem, oportunidade que estão mais conectados e desenvolvem um amor fraternal.


É interessante observar que, por tradição, executivos não costumam ter vidas próprias, seguem ocupados, estressados e ambiciosos, sendo constantemente sugados pelas demandas das empresas e pela culpa. A animação toca nesse aspecto ao tornar uma criança tão adulta e insuportavelmente ligada a resultados empresariais. Há momentos nos quais o bebê chefe é insuportavelmente chato e racional, mas também cheio de um humor ácido.


o poderoso chefinho the boss baby - 2



De alguma forma, pais, filhos e toda a família serão privilegiados ao assistir a este divertido filme pois ele mostra que há valores muito maiores do que o ganho material, a reputação, a aparência e o status. Com essa temática, talvez alguns pais muito ocupados possam repensar a qualidade do tempo que gastam com os seus filhos. Por outro lado, as crianças podem aprender a dividir as coisas e os sentimentos, inclusive respeitar a  atenção dada pelos pais a outros irmãos e familiares.







0 comentários:

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.

Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema.

No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.

Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière