Sou MaDame Lumière. Cinema é o meu Luxo.

MaDame Retrospectiva  por Cristiane Costa (2017) 10. Edgar Wright: Em ritmo de fuga Wright alcança alto nível de precis...

Top 10 Melhores diretores em filmes de 2017


MaDame Retrospectiva 
por Cristiane Costa
(2017)




10. Edgar Wright: Em ritmo de fuga

Wright alcança alto nível de precisão em filme de ação e entrega um blockbuster milimetricamente bem dirigido, cool, com boas atuações e trilha sonora. Orquestração bem feita para o gênero.



9. Ildikó Enyedi, Corpo e alma

Enyedi ganhou merecidamente o Urso de Ouro em Berlim. Sua direção é precisa e disciplinada para este roteiro peculiar, além de uma parceria positiva com o casal de protagonistas.



8. James Mangold, Logan


Com tantos blockbusters, um diretor é desafiado a mostrar o seu real valor. Mangold supera essa dificuldade e realiza um excepcional híbrido de drama e ação poderosamente comovente.



7. Kenneth Lonergan, Manchester à beira mar

O excelente roteiro de Lonergan também deu respaldo à direção. Destaque especial para a forma como ele não exagera no drama e deixa o protagonista bem confortável em vestir a própria pele.





6. Jordan Peel, Corra!

Um sopro refrescante no horror americano, Corra! tem uma direção revigorante para o gênero que intercala o clássico com a contemporaneidade do atual contexto político, étnico e social.




5. Chan Wook Park, a Criada


Bastante focado na dramaturgia, Park entrega uma direção sedutora, envolvente e intensa. Mas, com os movimentos discretamente sinuosos. Uma obra impecável e arrebatadora!





4. Martin Scorsese, Silêncio

Scorsese permanece como um diretor de primeira grandeza.  Com uma obra de difícil direção, de maneira muito consciente e habilidosa, ele consegue expor a violência que vem da religião.




3. Barry Jenkis, Moonlight sob a luz do luar

Em um filme LGBT de forte expressividade universal, Jenkis realiza ótima direção de atores que desbrava talentos do elenco emergente. Sua habilidade narrativa agrega muito valor.



2. Damien Chazelle, La la land : cantando estações

Uma direção disciplinada. Ele resgata a artesania clássica dos musicais e comédias e orquestra todos os elementos com sensibilidade e beleza em um drama ainda contemporâneo.




1. Maren Ade, Toni Erdmann

Competência em conduzir  uma narrativa familiar com graça e estranhamento, unindo as 2 pontas contraditórias da protagonista Ines Corandi (Sandra Huller).



0 comentários:

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.

Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema.

No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.

Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière