quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Praia do Futuro - 2014





Praia do Futuro entra na galeria de excelentes filmes de Karim Aïnouz que realizou  outros  importantes no Cinema Nacional como Madame Satã, Céu de Suely e Abismo Prateado. Com co-produção Alemã, o longa que leva o nome de uma das praias mais famosas do Ceará (terra do diretor), também tem locações em Berlim. A história é dividida em capítulos, na qual temos Wagner Moura como Donato, um salva vidas que após a morte de um banhista, conhece o alemão Konrad (Clemens Schick) e  eles se apaixonam. Donato decide morar na Alemanha e como um peixe fora d'água tem que lidar com a distância e amadurecer sua nova condição. Inspirado na música Heroes de David Bowie, Praia do Futuro aborda a figura desse heroi dividido, que entra em um processo de busca para encontrar a si mesmo, o que afinal ele deseja, qual escolha deve tomar.






Girando em torno desse relacionamento e  suas consequências, o filme é uma bela  história de amor também. É um relacionamento retratado de uma maneira natural, sem idealizações, sem clichês românticos, sem dramas desnecessários, por isso, é um relacionamento mais palpável, passional, amoroso, com altos e baixos. Com todas essas virtudes mais "pragmáticas", é um das mais bonitas histórias de amor entre homens do Cinema. O diretor tem todo o cuidado narrativo de mostrar a sensibilidade desse amor, desde o sexo casual, intenso e repentino até os mais carinhosos após a evolução do romance. Como nem tudo são flores, Donato fica  dividido entre suas origens, família  e o seu amor por Konrad e a vida na Alemanha, mas também chega a esquecer um passado que ficou para trás, tendo que resgatá-lo mais adiante em uma situação conflituosa. No geral, o roteiro não se aprofunda no desenvolvimento de todos os personagens, apenas são encontradas algumas dificuldades que vão desde a adaptação de Donato a um novo país até o encontro tempestuoso com o irmão interpretado por Jesuíta Barbosa e suas  pequenas crises com Konrad.






Aqui não importa tanto o roteiro como peça mais diferenciada mas o que  Karim  Aïnouz foi capaz de fazer na construção dessa narrativa. Nas mãos de um outro diretor, o efeito não seria o mesmo porque o Karim tem uma assinatura na direção muito clara e  uma beleza ímpar em fundir vários elementos em uma linguagem cinematográfica precisa, moderna, humanizada. Basta lembrar de Alessandra Negrini em crise de casamento em Abismo Prateado. Abandonada pelo marido e vagando pelas ruas do Rio de Janeiro em um período de 24 horas, ela toca o filme sozinha assim como é a sua vida solitária. Muitas emoções estavam ali, evidentes na Tela mas contidas no sofrimento, no desamparo, na solidão. Karim Aïnouz permite que o público entre na situação da personagem e não explica muito, bastando a cada um desenvolver o olhar sob seus filmes. Em Praia do Futuro, a forma de conduzir o drama não é  tão diferente e os atores dão conta do recado, porém a beleza está na marca do diretor, que tem identidade própria e eleva a qualidade do longa.






Karim Aïnouz é um dos melhores diretores Brasileiros porque o seu Cinema dá espaço para a personagem mostrar o ponto de vista, entregar-se a situações em meio à uma crise ou busca pessoal, vivenciar emoções antagônicas; e principalmente tem um diferencial máximo : o Cinema dele é um Cinema que tem poesia na Imagem. Karim é um poeta audiovisual! Ele escreve cada imagem com muita consistência e certa liberdade na imagem. Um dos exemplos é como ele inclui planos de mar, de estrada, de ruas com excelência na fotografia. Ele consegue coordenar imagem, som, elenco, diálogos, olhares, gestos, silêncios etc com sutilezas que têm uma força dramática grandiosa na Tela além de um toque autoral.  E que silêncios que o Karim Aïnouz traz em seus filmes! Aqui eles estão presentes e se alternam com uma trilha sonora fantástica composta por  Hauschkaque dialoga com a imagem como um amor que não pode ser contido. Para cada cena e/ou sequência, a música entra no tom certo com o(s) plano (s).


Esse é um filme para sentir o drama como uma fusão de linguagens  orquestradas por Karim Aïnouz. Ele é um diretor contemporâneo  que agrega um valor diferenciado a seus filmes, aquele que sai do lugar comum mas não se afasta das emoções simples que tanto nos cercam no dia a dia.






Ficha técnica do filme no ImDB Praia do Futuro

2 comentários:

  1. Boa noite,
    Estudo o cinema de Karim Aïnouz e durante todas as minhas leituras, críticas, entrevistas, resenhas. Posso dizer, honestamente, este é um dos textos mais lindos e próximos do que retrata esse cinema tão humano realizado por Karim.
    Bravo!
    Abraço na alma.

    ResponderExcluir
  2. Olá Beatriz
    Fiquei tão contente de ler seu comentário. Muito carinhoso e incentivador. Fez o meu dia! Obrigada por reconhecer meu esforço, ser uma pessoa que aprende com a beleza do Cinema e se deixar tocar também pelas palavras . Abraço na alma e bons estudos sobre o Cinema.

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière