sábado, 13 de agosto de 2011

Quero matar meu chefe (Horrible Bosses) - 2011





Pelo menos, alguma vez na vida, alguém já teve vontade de torcer o pescoço do(a) chefe, principalmente se ele(a) não for um(a) líder e sim um(a) chefe hierárquico(a), que manda e desmanda,sem consistência e disposto(a) a não facilitar a vida e carreira do empregado. Por tradição e na maioria dos casos, a relação entre chefe e subordinado é uma relação tensa que potencialmente pode se desdobrar seriamente em conflitos e traumas psicológicos como abuso de poder, assédio moral e sexual, assim como em dramas silenciados e diálogos velados, pois muitas pessoas com a preocupação de manter seus empregos a salvo permanecem calados, acabam se tornando funcionários insatisfeitos com o trabalho e que nutrem uma raiva incondicional por seus chefes.







A nova comédia dirigida por Seth Gordon, cineasta que tem experiência em séries na TV como Community e The Officer, se baseia no argumento de que existem chefes horríveis, psicopatas, doentes e chantagistas que abusam moralmente de seus funcionários e que, no limite desta relação de desafeto e de violência psicológica, os empregados decidem matá-los ou, no mínimo, tem vontade de aniquilá-los. Para um assunto tão dramático e pesado como lidar com chefes do mal e ter a insana idéia de assassiná-los, os roteiristas Michael Markowitz, John Francis Daley e Jonathan Goldstein realizaram um filme leve e divertido que recupera através do non sense como os padrões de chefe ruim se repetem e como é difícil e paralisante lidar com eles, além disso o longa tem uma presença cativante em seu elenco estelar que traz nomes como o de Kevin Spacey, Jamie Foxx, Jennifer Aniston, Colin Farell e o hilário trio central Jason Bateman, Charlie Day e Jason Sudeikis.






A história diversifica os tipos de chefe em questão e expõe as diferentes humilhações e abusos sofridos por seus funcionários. Nick Hendricks (Jason Bateman) trabalha para o mercado financeiro e tem um chefe psicopata e violento, Dave Harken (Kevin Spacey, excelente) que controla cronometricamente seus horários de entrada e saída, cria expectativas de promoção de carreira que inexistem e abusa emocionalmente de Nick. A dentista Julia Harris (Jennifer Aniston) é muito mais do que uma ninfomaníaca, ela comete assédio sexual contra seu assistente Dale Arbus (Charlie Day, ótimo) que se vê perseguido e forçado a transar com ela. Já Kurt Buckman (Jason Sudeikis) é um leal funcionário até que seu bom chefe Jack Pellitt (Donald Shuterland) falece e é substituído pelo filho cheirador de cocaína, Bobby (Colin Farrell). Nick, Dale e Kurt decidem contratar um profissional especialista em assassinatos e conhecem Motherfucker Jones (Jamie Foxx , hilário) em um bar barra pesada.




Para um comédia pautada pelo humor negro e em um roteiro que brinca com assuntos sérios como abuso moral e sexual sem deixar de sinalizar a verdade, Quero matar meu chefe é bem dosado mesmo que perca um pouco do desenvolvimento narrativa nos minutos finais. Ainda assim, ele demonstra algumas facetas já conhecidas em relações de chefe e subordinado que aparecem como: o controle de horários e trabalhos extraordinários que impedem que o funcionário tenha uma vida social e familiar, o interesse sexual com cantadas constrangedoras e sem sentido que intimidam e deixam o funcionário sem graça e chefes que herdaram negócios familiares e não estão nem aí para a direção da empresa, passando a prejudicar funcionáriso da casa e de longa data. Para o gênero, o ótimo elenco contribui muito porque permeia em boa parte de suas atuações o sarcasmo negro que ironiza as cômicas situações. Sem dúvidas, a diversão é garantida com muitas piadas e confusões.




Avalição MaDame Lumière



Título Original: Horrible Bosses
Gênero: Comédia
Diretor: Seth Gordton
Roteiristas: Michael Markowitz, John Francis Daley e Jonathan Goldstein
Elenco: Kevin Spacey, Colin Farell,Jennifer Aniston, Jamie Foxx,Jason Bateman, Charlie Day e Jason Sudeikis

7 comentários:

  1. Estou pensando em assistir ao filme esta semana, espero pelo menos, um bom passatempo. rsrs.

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir
  2. Ah, você pegou pesado na avaliação... dava pra dar uma estrelinha a mais, vai... Eu dei boas risadas, adorei Colin Farrell e Kevin Spacey e relaxei bastante. Não é isso que se espera de uma comédia???

    Bjos
    Clênio
    www.lennysmind.blogspot.com
    www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. O que me deixou mais curiosa em relação a esse filme foi o fato de ele ter uma trama bem politicamente incorreta, mas uma mensagem final um tanto responsável. Eu acho que o longa também lida muito bem com os clichês de seus personagens e de algumas situações a seu favor.

    ResponderExcluir
  4. Ma, vai dar boas risadas, o filme é bem descontraído, rs! beijo

    ResponderExcluir
  5. Clenio, eu sempre pego pesado, rs! Mas a comédia atendeu perfeitamente bem, normalmente uma comédia deste tipo ganha entre 2 ou 3 estrelas por aqui, mas isso é relativo e não determina por inteiro a qualidade do filme. Seria ruim se tivesse recebido 1. De qualquer maneira, o filme é uma excelente diversão, assim mais do que estrelas, eu valorizei o filme no que ele se propoe a dizer. obrigada pela visita, abraços

    ResponderExcluir
  6. É Kamila, concordo com você. O ponto positivo do filme é que atravez de algo "errado" e situações non sense, ele consegue dar uma veracidade responsável ao grand finale. Os funcionários não perdem suas essências e isso é o que vale a pena assistir. bjs

    ResponderExcluir
  7. Acho que Quero matar meu chefe é um sarro e tanto. Potencial de ser a melhor comédia do ano - excluindo Woody Allen da lista. Daria mais uma estrela, mas duas traduzem bem o filme.

    Bjs

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière