domingo, 1 de janeiro de 2017

MaDame Retrospectiva 2016 - atrizes : 10 melhores atuações

MaDame Retrospectiva 
por Cristiane Costa






O time seleto de melhores atuações femininas em 2016 traz uma diversidade de atrizes talentosas, com destaque para as britânicas e as francesas. 

Assim como a seleção de melhores atores, essa lista preserva o quanto o personagem caiu como uma luva para cada atriz e o quanto elas se apropriaram da história, perfil e emoções da protagonista. 

É uma lista de peso, que demonstra o quanto as mulheres do cinema são realmente incríveis e inesquecíveis.

Curta a lista! Também, continue na Retrospectiva MaDame, que avança até amanhã, fechando com os melhores filmes de 2016.




10. Catherine Frot em "Marguerite"


"Frot apresenta uma atuação harmônica que valoriza bem as duas principais nuances de sua personagem: dramática e cômica. Tudo com elegância e graça."



9. Lou de Laâge em "Agnus Dei"


"Em um drama solene e doloroso sobre freiras violentadas, Laâge realiza uma atuação crível na qual sua personagem transita muito bem entre a afetividade e a racionalidade."





8. Saoirse Ronan em "Brooklyn"

"Uma atuação que conquista pela sutilezas da atriz ao compor uma personagem delicada e também corajosa, disposta a não negar a si mesma e aos seus sonhos." 



7. Alicia Vikander em "A Garota Dinamarquesa"


"uma performance dramática que se entrega verdadeiramente aos rumos inesperados de uma relação e que dá força e aceitação a quem se ama."



6. Sonia Braga em "Aquarius"


"De uma maneira leve e que também valoriza a força e a coragem de seu personagem, a atriz entrega uma atuação digna de mulheres autênticas e que lutam pelo que acreditam."



5. Cate Blanchett em "Carol"

"Com uma performance deslumbrante que percorre a elegância da época ao relacionamento com outra mulher, a atriz intensifica o desejo e a coragem de seu personagem em viver um amor lésbico."




4. Brie Larson em "O quarto de Jack"


"Uma mãe que não desiste do filho e da liberdade, assim Larson domina a maioria das cenas com um magnífico controle da força e das fragilidades de seu personagem."



3. Amy Adams em "A Chegada"


"Ainda que essa combinação drama e sci fi seja uma experiência única, Adams é o principal alicerce de toda a história. É ela que sustenta a narrativa, que se comunica com o público, que traz as intensas emoções à tela."




2. Emmanuelle Bercot em "Meu Rei"


"Uma  personagem que sofre de amor com uma relação problemática poderia ser bem estereotipada, mas com a atuação de Bercot, há um magnífico realismo em cena. Ela interpreta a personagem com uma performance exata e madura que não esconde as vulnerabilidades do relacionamento."



1. Isabelle Huppert em "Elle"


"Apenas uma atriz excepcional e de primeira grandeza poderia interpretar  Michèle, uma personagem complexa, cheia de nuances profundas que envolvem o desejo, o sexo, a violência, o poder, o jogo. Apenas Huppert. Definitivamente, ela é um ser de outro mundo em cena, uma força da natureza que seduz a revelar quem ela realmente é e até onde pode chegar."



Lista considera os lançamentos nos cinemas Brasileiros em 2016.

Um comentário:

  1. Ahh, perfeito! Foi um ano com magníficas interpretações femininas. As mulheres entendem o drama na sua essência e há filmes de diferentes gêneros o que foi muito interessante. E é claro, concordo que "Elle", a nossa diva Isabelle Huppert, seja a primeira da lista.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Prezado(a) leitor(a)

Obrigada pelo seu interesse em comentar no MaDame Lumiére. Sua participação é muito importante para trocarmos percepções e informações sobre a fascinante Sétima Arte.
Madame Lumière é um blog democrático e sério, logo você é livre para elogiar ou criticar o filme assim como qualquer comentário dentro do assunto cinema. No entanto, serão rejeitadas mensagens que insultem, difamem ou desrespeitem a autora do blog assim como qualquer ataque pessoal ofensivo a leitores do blog e suas opiniões. Também não serão aceitos comentários com propósitos propagandistas, obscenos, persecutórios, racistas, etc.
Caso não concorde com a opinião cinéfila de alguém, saiba como respondê-la educadamente. Opiniões distintas são bem vindas e enriquecem a discussão.

Saudações cinéfilas,

MaDame Lumière