sábado, 28 de janeiro de 2012

MaDame Retrospectiva : Top 5 Diretores 2011 - Cinema Nacional






As canções, por Eduardo Coutinho merece muitas honras!


Em uma categoria concorridíssima e de dificil eleição, esta foi a mais desafiadora na retrospectiva do Cinema Nacional do blog, o que é uma prova de que nossos diretores são talentosos e têm realizado excelentes trabalhos. Madame Lumière gostaria de parabenizar todos os diretores brasileiros que engradeceram o Cinema Nacional em 2011 como os trabalhos de Marcos Dutra & Juliana Rojas em Trabalhar Cansa, Toniko Mello em Vips, Rosane Svartman em Desenrola, Marcus Baldini em Bruna Surfistinha, André Ristum em Meu País, Claudio Torres em O homem do futuro, Sérgio Borges em O Céu sobre os ombros, entre outros.





5 - João Jardim, por Amor?



"Uma direção que harmoniza a ficção e o documental, a poesia do visual com a realidade crua dos relatos, a bela fotografia com a consistente interpretação dos atores."









4 - Eryk Rocha, por Transeunte



"Uma direção que transita entre o intimismo, a solidão e a introspecção de um protagonista e a velocidade da vida urbana. O belo olhar de um cineasta sobre a modernidade de homens anônimos."









3 - Gustavo Pizzi, por Riscado


"Uma direção bem conjugada com o roteiro e com a direção de atores. Trabalha a favor de um filme de momentos visuais únicos que celebram o amor pelo trabalho de uma atriz, pelo cinema, pela Arte e não se distancia dos desafios dessa dura realidade."










2 - Jeferson De, por Bróder




"Uma direção que demonstra identidade e afeto. De forma consistente e muito focada, o talentoso cineasta demonstra que sabe contar uma história afetuosa de família e de amigos e realiza uma ótima direção de atores na qual uma protagonista resplandece: a periferia de São Paulo."













1 - Selton Mello, por O Palhaço




"Uma direção completa que reune e maximiza a beleza de vários elementos e a catártica temática da crise da identidade de um palhaço. Do roteiro a fotografia, do elenco a direção de arte, o diretor demonstra um trabalho maduro e consistente que emociona com o riso e com as lágrimas."



Menção Honrosa










Eduardo Coutinho, por Canções




"Com as canções, o cineasta emociona atráves da música e de relatos marcantes de pessoas que tem histórias por trás das canções. Uma direção experiente que conduz o documentário de forma espontânea como deve ser e tão emocionante como o cinema é capaz."







segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

MaDame Retrospectiva : Top 5 Roteiros 2011 - Cinema Nacional


5 -Newton Cannito e Jeferson De, Bróder

"Roteiro bem estruturado de forma a valorizar os laços familiares e de amizade, os diferentes destinos de 3 amigos, a periferia de SP, a questão da identidade e o afeto. Conciso e amoroso!"





4 -Eryk Rocha e Manuela Dias, Transeunte

"Roteiro que se destaca pelo intimismo de um cotidiano solitário e instrospectivo de tantos anônimos urbanos, o que traz à experiência cinematográfico a dicotomia de que homem é uma ilha em uma selva urbana."




3 -Claudio Torres, O homem do futuro


"Roteiro que harmoniza bem romance, ficção científica e comédia, com um toque criativo e de nostalgia, que é contagiante e cativante. Diverte e seduz pela bela história de amor!"






2 -Gustavo Pizzi e Karine Teles, Riscado


"Roteiro que evoca e favorece a proposta da narrativa. Trabalha a favor da protagonista, uma atriz em sua jornada desafiadora de atriz. Momentos espontâneos, simples e sublimes como o Cinema deve ter."





1 -Selton Mello e Marcelo Vindicatto, O Palhaço


"Um roteiro que é o casamento perfeito com a direção do filme, em uma bela sinergia que emociona o público através de risos e melancólicos olhares e silêncios. Também se destaca pela forma como apresenta a necessária necessidade de 'cair no mundo' e ter uma crise de identidade para se encontrar na vida."

domingo, 22 de janeiro de 2012

MaDame Retrospectiva : Top 5 Atrizes 2011 - Cinema Nacional


5 - Cassia Kiss, Bróder

"Mesmo em papéis coadjuvantes, a atriz é uma titã na interpretação em poucos planos. Como uma humilde mãe da periferia de São Paulo, mulher batalhadora e amorosa, ela traz o afeto que o filme evoca."




4 - Everlyn Barbin, O céu sobre os ombros

"Excelente presença na ficção documental de Sergio Borges, a atriz demonstra ao público que seu papel nao é um travesti que se prostitui, é de uma muher inteligente, divertida e autoconfiante que eleva a qualidade da película."



3 - Deborah Secco, Bruna Surfistinha

"A atriz aparece madura e concentrada em uma atuação muito mais desafiadora pela frequência e quantidade das cenas de sexo do que pelo personagem em si. Ela consegue atuar bem sem que seu papel caía em escancarada vulgaridade."



2 - Gilda Nomacce, Trabalhar cansa

"Uma atuação coadjuvante marcante que cativa pelo talento como mola principal e a experiência de quem tem uma base teatral. Com esse trabalho, ela entra em cena no cotidiano de um supermercado e fica na memória do Cinema Brasileiro."





1 - Karine Teles, Riscado


"Uma atuação sublime de uma talentosa atriz que vivencia a jornada de uma atriz. No papel de Bianca, ela enfrenta muitos desafios para viver sua própria Arte, em uma entrega apaixonante ao seu trabalho, uma verdadeira declaração de amor."


Menção Honrosa

Julia Lemmertz, Amor?




"Em alguns poucos minutos e, com muita maturidade, a atriz relata um verídico testemunho sobre amor, paixão, sexo, violência psicológica, maternidade, drogas, redenção. Um primor interpretativo em 35 mm!"

sábado, 21 de janeiro de 2012

MaDame Retrospectiva : Top 5 Atores 2011 - Cinema Nacional


5 - Wagner Moura, VIPS

" Versatilidade e talento natural na representação de um personagem de variadas nuances que conquista pelo improvável: mentira com carisma."




4 - Caio Blat, Bróder

"Demonstra sua carreira sólida como ator em mais um papel no qual se desnuda para viver a humildade e a tragédia de um jovem da periferia."



3 - Rodrigo Santoro, Meu país

"A seriedade profissional é evidente ao interpretar um homem que emociona por ser irmão, marido e amigo em uma nova realidade familiar que o transforma."



2 - Francisco Bezerra, Transeunte

"Papel contido de expressiva atuação, o ator prova que a instrospecção diz tudo quando os olhos se comunicam com a câmera, com o espectador."




1 - Selton Mello, O Palhaço


"Atuação fronteiriça entre o melancólico e o cômico, entre o carismático e o solitário faz do ator um comovente palhaço do cotidiano."



Menção Honrosa

Moacir Franco, O Palhaço




"Porque ser justo com o espectador de Cinema,
é ser o Delegado justo, esplêndido em sua graça."

MaDame Retrospectiva - Cinema 2011


Mestre de cerimônias MaDame Lumière apresenta
a Retrospectiva Cinéfila da Blogosfera
com o melhor do Cinema lançado em 2011



Povo cinematográfico, Povo cinéfilo


Bem vindos à Retrospectiva Madame em sua 2º edição.
Dessa vez, com algumas alterações que visam a reconhecer mais
assertivamente o talento do Cinema Nacional com excelentes longas
e
documentários, e também simplificar a lista de atores, atrizes e roteiros,
independente se for atuação coadjuvante ou principal, roteiro adaptado ou original.
Nessa retrô, teremos 14 top listas no total distribuídos em 2 categorias: Cinema Nacional e Cinema Estrangeiro, com seguinte estrutura:

Cinema Nacional
Top 5 Atores
Top 5 Atrizes
Top 5 Roteiros
Top 5 Diretores
Top 5 Documentários
Top 5 Filmes Mico do Ano
Top 10 Filmes - Ficção

Cinema Estrangeiro
Top 5 Atores
Top 5 Atrizes
Top 5 Roteiros
Top 5 Diretores
Top 5 Animações
Top 5 Filmes Mico do Ano
Top 10 Filmes - Ficção



No final, para fechar com chave de estúdio de Cinema MaDame Lumiére, uma lista pessoal e comovente.


"2011 foi um Ano de muitas emoções.
O maior presente da minha vida é ter
a dádiva de descobrir o quanto o Cinema
é um espelho de mim mesma que reflete
o que é bom e o que é mal, sem preconceitos,
sempre com autenticidade e com um intenso
prazer de viver a minha própria cinematografia"

Um abraço

MaDame


Cinema: Comentários MaDamísticos sobre 69º Globo de Ouro




Grande parte dos cinéfilos sabem que Globo de Ouro, promovido pela Associação da imprensa estrangeira de Hollywood, é como um "esquenta" para o Oscar. "Esquenta" até na questão da bebida. As celebridades fazem uma social clássica, afinal ser famoso em Hollywood é também viver de aparências. Eles vestem grandes marcas de luxo que, aliás, não devem nem pagar por isso ao fazerem propaganda de grifes famosas (e não há nada mais brega do que não pagar pela roupa que se usa, quando na verdade se tem dinheiro para isso!). Continuam tomando umas "biritas na faixa", mas não escondem como a festa é um porre e segue o mesmo roteiro. Ok! Apesar de tudo, mesmo com algumas surpresas ou com premiações mais óbvias, o Globo de Ouro abre o primeiro tapete vermelho para que as estrelas que se destacaram possam desfilar o seu brilho. A festa continua sendo salva pelo humor sarcástico de Rick Gervais que, dessa vez, ficou ligeiramente mais discreto mas não deixou de colocar um ácido em comentários sobre atrizes e atores. A cerimônia continua muito longa e acaba se tornando aborrecedora quando o espectador já está com vontade de dormir para trabalhar na segunda-feira, afinal, não se ganha um cache Hollywoodiano, somos simples mortais. Não podemos esquecer que, é claro, há as ausências ou micos clássicos da noite como as ausências de Woody Allen e Ryan Gosling, os óculos esquecidos na mesa por Meryl Streep antes de seu discurso, o envelope que Juliane Moore deve ter deixado em algum lugar, a cantadinha de Morgan Freeman em Helen Mirren, a esposa do ator Juan Dujardin com o celular na mão tirando fotos ou filmando o seu amor Francês. Em resumo, acontece de tudo no Globo de Ouro e, ainda assim, é uma premiação previsível.




Clap clap Master Scorsese, você arrasa!


Pois é, no último domingo, algumas previsões se confirmaram como a vitória do filme P&B mudo, O Artista, que abocanhou melhor filme - comédia musical, reconheceu o Francês bonitão carismático Juan Dujardin como melhor ator de comédia e ganhou a trilha sonora, a força total da Dama do Cinema, Meryl Streep, que ganhou como melhor atriz - drama como A Dama de Ferro, o favorito e sempre "bem na fita" George Clooney como melhor ator - drama por Os Descendentes. Confirmando as previsões, Michelle Williams ganhou o melhor atriz coadjuvante - comédia ou musical por atuar como a diva Marilyn Monroe e Separação, longa Iraniano, como melhor filme em língua estrangeira, com grande potencial para ganhar o Oscar na mesma categoria. Na direção, Martin Scorsese foi a surpresa boa da noite. Embora seja um titã na direção, sob o ponto de vista da premiação, não era tão esperado que ganhasse como melhor diretor pela Invenção de Hugo Cabret, mas ele sempre merece qualquer prêmio, e a idéia de dirigir o filme veio da filha, que leu o clássico livro quando pequena. Existe pai cinematográfico mais lindo do que Scorsese? Alexander Payne ganhou melhor filme drama por Os descendentes, o que indica que o longa será competitivo no Oscar. Felizmente, Woody Allen ganhou o prêmio de melhor roteiro pelo ótimo Meia Noite em Paris, Steven Spielberg garantiu o troféu de melhor animação por As aventuras de Tintim - O segredo do Licorne e Madonna ganhou melhor canção com W.E -Masterpiece, seu próprio filme.



No geral, embora muitas vitórias foram merecidas, a premiação atirou para todos os lados para agradar a todos, ou seja, fizeram a política da boa vizinhança, mas há um excepcional benefício nesta premiação: reconhecer o longa O Artista, que quebra o paradigma do Cinema Moderno, ou seja, é feito a partir de uma homenagem nostálgica ao Cinema Mudo em P&B, uma honrosa metalinguagem com a sétima Arte, com pano de fundo de uma história de amor que, se for reconhecida no Oscar, sinaliza ao mundo que é possível retornar às origens deste amor cinematográfico e que o Cinema Falado não é o crème de la crème. Cinema é som e imagem, em sintonia, mas as imagens dizem tudo quando as palavras faltam para exprimir emoções.




Juan Dujardin: carisma de alto nível



Confira a lista de ganhadores do Globo de Ouro 2012:


Melhor filme - drama: "Os Descendentes"
Melhor filme - comédia ou musical: "The Artist"
Melhor diretor: Martin Scorsese, "A Invenção de Hugo Cabret"
Melhor ator - drama: George Clooney, "Os Descendentes"
Melhor atriz - drama: Meryl Streep, "A Dama de Ferro"
Melhor ator - comédia ou musical: Jean Dujardin, "The Artist"
Melhor atriz - comédia ou musical:
Michelle Williams, "Sete Dias com Marilyn"
Melhor ator coadjuvante:
Christopher Plummer, "Toda Forma de Amor"
Melhor atriz coadjuvante: Octavia Spencer, "Histórias Cruzadas"
Melhor roteiro: "Meia-Noite em Paris"
Melhor animação: "As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne"
Melhor canção original: "Masterpiece", de "W.E.- O Romance do Século"
Melhor trilha sonora: "The Artist"
Melhor filme em língua estrangeira: "A Separação" (Irã)

Melhor série de televisão - drama:
"Homeland"
Melhor ator em série - drama: Kelsey Grammer, "Boss"
Melhor atriz em série - drama: Claire Danes, "Homeland"
Melhor série de televisão - comédia ou musical: "Modern Family"
Melhor ator em série - comédia ou musical: Matt LeBlanc, "Episodes"
Melhor atriz em série - comédia ou musical:
Laura Dern, "Enlightened"
Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV: Peter Dinklage, "Game of Thrones"
Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV: Jessica Lange, "American Horror Story"
Melhor minissérie ou filme feito para a TV: "Downton Abbey"
Melhor atriz em minissérie ou filme feito para TV: Kate Winslet, "Mildred Pierce"
Melhor ator em minissérie ou filme feito para TV: Idris Elba, "Luther"

domingo, 15 de janeiro de 2012

Cinema: Preferências e Apostas MaDamísticas no 69º Globo de Ouro

Tilda Swinton em Vamos falar sobre Kevin: uma relato brutal e verdadeiro
de uma mãe sobre o filho violento



Hoje é o Big Golden Sunday do Globo de Ouro em sua 69ª edição, com transmissão oficial pela NBC nos USA às 20 h (East) e pela TNT na América Latina às 23 horas, direto de Beverly Hilton em Los Angeles . A questão é: Quem vai ganhar os prêmios nesta premiação prévia ao Grande Oscar do ano? Sempre há queridinhos que lideram as indicações como O Artista como melhor filme - comédia ou musical, que abocanhou 4 prêmios da Critic's Choice Awards (melhor filme, diretor, trilha sonora e figurino) e é um dos favoritos, com méritos. O filme que conta a história de um ator de cinema mudo que vivencia a ameaçante chegada dos filmes falados não deixa de ser uma nostálgica e boa idéia e uma homenagem metalinguística do Cinema falando sobre Cinema, o que costuma ser em visto aos olhos cinéfilos e de críticos, além de deixar o rastro do carisma de honrar a sétima Arte através dela mesma.





O troféu Cecil B. De Mille vai para... Morgan Great Freeman


Dentre o cast da premiação, o George Clooney em Descendentes como melhor ator - Drama e Viola Davis em Histórias Cruzadas como melhor atriz - Drama estão na dianteira do favoritismo, porém podem haver as grandes e bem vindas esperanças de vitória como a de Ryan Gosling em Tudo pelo poder e Tilda Swinton em Vamos falar sobre Kevin, filmes com dramáticos e provocativos argumentos que se tornam estelares com a atuação radiante destes dois atores. Com louvores, Woody Allen foi indicado pelo fantástico roteiro de Meia Noite em Paris, que já assume a pole position e tem tudo para subir no pódio, a não ser que seja ultrapassado pelos que seguem de perto sua traseira: O Artista, Os Descendentes e O homem que mudou o jogo . No quesito direção, a disputa é emocionante com pesos pesados como o próprio Woody , George Clooney (Tudo pelo Poder) e Martin Scorsese (A invenção de Hugo Cabaret), mas tudo indica que quem levará é Michel Hazanavicius, que assina o roteiro e a direção de O Artista.


Como em toda a premiação não pode faltar os prêmios especiais de gratidão à carreira de grandes atores, o prêmio Cecil da noite irá para o maravilhoso ator Morgan Freeman, digno de receber a homenagem e que tem na sua talentosa trajetória belos longas como Um sonho de liberdade e conduzindo Miss Daisy e não faltarão premiações da TV para deixar a festa ainda mais extensa e globalmente Americana. O evento será apresentado pela 3ª vez consecutiva pelo humorista Britânico Rick Gervais, que divide o amor e o ódio do público com suas piadinhas engraçadas e também ofensivas, e que provavemente falará demais para aumentar a audiência e para criar novos inimigos.






MaDame tem preferências e tem apostas nesse excitante 69 do Globo nos indicados de Cinema. Preferências são quem eu quero que ganhe (mesmo que eu já saiba que alguns não ganharão) e apostas são quem têm mais chances de ganhar. No final da festa , o que vale mesmo são as preliminares para o Oscar 2012 e mais um prazer cinéfilo dessa noitada que promete!




O Artista: um retorno à dicotomia Cinema Mudo x Cinema Falado



Melhor Filme - Drama
Preferência: Os descendentes, de Alexander Payne
Aposta: Os descendentes, de Alexander Payne

Melhor Filme - Comédia/ Musical
Preferência: O Artista, de Michel Hazanavicius
Aposta: O Artista, de Michel Hazanavicius

Melhor Filme - Língua Estrangeira
Preferência: A pele que habito (Espanha)
Aposta: A separação (Irã)

Melhor Animação
Preferência: As Aventuras de Tintim - O Segredo do Licorne
Aposta: Rango




Meia Noite em Paris: Woody Allen em um roteiro inspirado
pela forma Woody Allen de fazer roteiro



Melhor Diretor
Preferência: George Clooney, Tudo pelo poder
Aposta: Michel Hazanavicius, O Artista

Melhor Roteiro
Preferência: Woody Allen, Meia Noite em Paris
Aposta: Woody Allen, Meia Noite em Paris




Viola Davis, um merecido e potencial Globo de Ouro a uma
atriz negra em um filme sobre racismo



Melhor ator - Drama
Preferência: Ryan Gosling, Tudo pelo poder
Aposta: George Clooney, Os Descendentes

Melhor atriz - Drama
Preferência: Tilda Swinton, Vamos falar sobre o Kevin
Aposta: Viola Davis, Histórias Cruzadas





Michelle Williams, Blondíssima como diva Monroe


Melhor ator - Musical / Comédia
Preferência: Jean Dujardin, O Artista
Aposta: Jean Dujardin, O Artista

Melhor atriz - Musical / Comédia
Preferência: Kate Winslet, Carnage
Aposta: Michelle Williams, Sete Dias com Marilyn




Jessica Chastain: Talentosa e na pole!



Melhor ator coadjuvante
Preferência: Albert Brooks, Drive
Aposta: Christopher Plummer, Toda Forma de Amor

Melhor atriz coadjuvante
Preferência: Jessica Chastain, Histórias Cruzadas
Aposta: Jessica Chastain, Histórias Cruzadas

Melhor trilha sonora original
Preferência: Millennium, Os homens que não amavam as mulheres
Aposta: W.E - O Romance do Século, Abel Korzeniowski

Melhor canção original
Preferência: Masterpiece, W.E - O Romance do Século
Aposta: Masterpiece , W.E - O Romance do Século


Para conferir os concorrentes às premiações de TV,
acesse a página oficial do Globo de Ouro

Para participar do esquenta de votações no Globo de Ouro 2012,
acesse a fã page da MaDame Lumière

domingo, 1 de janeiro de 2012

Rapidinhas no MaDame: Gato de Botas (Puss in Boots) - 2011


Rapidinhas no MaDame:
Porque o que importa é o prazer da Cinefilia





Sobre a história: O Gato de Botas (Antonio Bandeiras), charmoso personagem que surgiu em Shrek, agora tem a sua própria animação. No enredo, temos conhecimento de seu passado, que tornou-o um fugitivo da justiça e de seu rompimento com seu amigo e irmão, o ovo Humpty Dumpty (Zach Galifianakis). Com a oportunidade de limpar seu nome e as mágoas com esta amizade, ele conhece uma parceira à altura, a gatíssima Kitty Softpaws (Salma Hayek) que o leva a reencontrar-se com Humpty, assim como tem a chance de conseguir os feijões mágicos que os levarão ao ganso dos ovos de Ouro. Para chegar aos feijões, eles terão que enfrentar o perigoso e destemido casal Jack and Jill (Billy Bob Thornton e Amy Sedaris).

Opinião Geral sobre o filme: Depois de Shrek ter perdido seu charme com as sequências da franquia, Gato de Botas é uma grata surpresa da Dreamworks para toda a família. É uma diversão infantil e, ao mesmo tempo, em linha com o público adulto, com um texto bem humorado e inteligente, que não deixa de lado valores como a amizade, a justiça, a misericórdia e o perdão, além de ser uma aventura cheia de ação e emoção. Um ponto bastante favorável é que o Gato de Botas tem luz própria como personagem, tem personalidade, charme e sabe seduzir com seu carisma e olhar, como um amante latino e um corajoso e hábil heroi. Sua animação foi bem criativa e criada com uma ambientação bem "espanhola e latina" assim como, respectivamente, as raízes de Antonio Bandeiras e Salma Hayek. Basta ver a bela cena coreografada de uma dança flamenca entre o Gato e Kitty, com direito a palmas e cante dignos da Andaluzia. O roteiro trabalha com o flashback do passado do Gato para que seja compreendido melhor o presente das ações e sua correlação, ambos bem entrelaçados com uma montagem que provê um excelente timing para a animação.

O prazer: A parceria entre o Gato de Botas e Kitty é cheia de química, graça, coragem e sedução, com ótimas cenas. Nasceram um para o outro!

O desprazer: Embora a animação seja tecnicamente impecável, o personagem de Humpty Dumpty causa uma certa antipatia. A todo o momento, dá a impressão de que é um grande traíra e não merece de jeito nenhum a amizade o gato. Na verdade, é um personagem dual e, portanto, necessário para o desenrolar dos fatos.

Por que vale a rapidinha? Porque O Gato de Botas é um heroi falho, um mocinho por trás do bandido, um romântico por trás do Don Juan pegador. Não há melhor heroi do que aquele que é humanizado mesmo que na pelagem de um gato.

Rendimento:

Feliz 2012, Feliz mais um ano de Cinema